13 de julho/20: Fechamento e principais destaques do dia



IFIX apresentou nesta segunda-feira (13), uma desvalorização de 0,57%, fechando o dia aos 2.751,18 pontos. No acumulado deste mês de julho e ano de 2020, a variação do índice é de -1,97% e -14,14%, respectivamente.

fiis noticias fechamento

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

VISC11 (Tijolo/Shopping): Ativos em funcionamento representam cerca de 83% da receita imobiliária esperada

Fundo informou que o Prudenshopping, ativo do qual possui 100% de participação, localizado na cidade de Presidente Prudente no estado de São Paulo, retomará suas atividades a partir do dia 13 de julho/20.

Considerando este cenário, o VISC11 passa a ter 10 shoppings em funcionamento, que representam aproximadamente 83% da receita imobiliária esperada.

Estes shoppings estão funcionando em horário reduzido e seguem rígido protocolo de reabertura, que visa preservar a saúde e o bem-estar de todos os clientes, lojistas, colaboradores e parceiros. As operações nos segmentos de alimentação e entretenimento seguem as restrições impostas pelas autoridades locais.

Dos 13 shoppings do fundo, apenas o Shopping Crystal, Minas Shopping e Shopping Paralela permanecem fechados.

 

MXRF11 (Híbrido) apresenta crescimento elevado de cotistas e 6ª emissão de cotas - Destaques de junho

  • A XP Vista Asset, gestora do MXRF11, juntamente com seu administrador, o BTG Pactual, destacaram o elevado crescimento para mais de 192 mil cotistas na base do fundo. Esse novo patamar representa um crescimento de 14,2% (cerca de 24 mil novos cotistas) referente ao mês anterior, maio/20.
  • No que diz respeito a proposta da 6ª emissão de cotas do MXRF11, no dia 10 de junho, sua administração propôs uma consulta formal visando a aprovação pelos cotistas. A votação encerrou no dia 10 de julho e o resultado será divulgado na próxima quarta-feira, dia 15 de julho.
  • Carteira de ativos: O MXRF11 segue uma estratégia de manter um portfólio composto de CRIs de boa qualidade, com taxas atraentes do ponto de vista risco-retorno, foco em originação e estruturação próprias e atento à gestão ativa para ganho adicional em operações no mercado secundário. O patrimônio líquido de R$ 1,25 bilhão está distribuído em Créditos Imobiliários (83%), imóveis (7%), cotas de FIIs (6%) e Caixa (4%).
  • Rendimentos: A distribuição de R$ 0,07 por cota será realizada amanhã, 14 de julho/20 para os detentores de cotas em 30 de junho/20. Considerando o valor de fechamento da cota no mês (R$ 10,99) o resultado equivale a um dividendo de 0,63% ou 295,93% do CDI no período, já livre de impostos.
  • Rentabilidade da cota: Em junho, a cota do MXRF11 valorizou 1,47%. No ano (1º semestre) a cota acumulou uma desvalorização de 22,1%.
  • No mercado secundário, ocorreram 242.418 negociações, movimentando um volume de R$ 149,43 milhões em junho. Com isso, a liquidez média diária do MXRF11 na bolsa foi de R$ 7,12 milhões.

 

RVBI11 (Fundo de Fundos/FOF) fechou o mês sendo negociado 15% abaixo de seu valor patrimonial - Destaques de junho

  • O VBI REITS encerrou junho, seu 5º mês de operações, com patrimônio líquido por cota no valor de R$ 96,96, o que representa variação de +5,1%.
  • As cotas do fundo valorizaram 5,12% em junho.
  • O fundo manteve sua relação preço/patrimônio líquido (P/PL) de 0,85x, o que revela deságio de 15% das cotas do em relação ao seu patrimônio líquido.
  • Desde seu início, em 4 de fevereiro, o patrimônio líquido do Fundo acumula queda de -3,0% contra - 8,2% do IFIX. Já as cotas no secundário acumulam queda de - 17,3%.
  • Nos rendimentos, serão distribuídos R$0,46 por cota no dia 15 de julho/20 para os cotistas do dia 08 de julho/20 (Dividendo 0,54%/Cota base 84,68). Este valor que equivale à um dividend yield de 5,5% a.a. em relação ao valor da 1ª emissão de cotas (R$ 100,00/cota), ou ainda 5,7% sobre o patrimônio líquido do fundo ao final de junho (R$ 96,96) ou 6,7% sobre o preço das cotas do fundo no mercado secundário (R$ 82,73).
  • Seu patrimônio líquido de R$ 132,8 milhões está distribuído em cotas de FIIs (89%), Caixa (9%) e CRI (2%).
  • No mercado secundário, o VBI REITS registrou média diária de negociação de R$ 447,3 mil, encerrando junho com R$ 9,4 milhões em transações, o que representa um giro de 7,9% em relação ao seu valor de mercado.

A gestora VBI Real State disse que apesar da alta volatilidade observada em março e abril e dos impactos causados pela COVID-19, a performance do RVBI11 segue em linha com as projeções apresentadas em prospecto no momento da 1ª oferta, tanto em termos de evolução gradual dos dividendos quanto em termos de patrimônio líquido.

 

TGAR11 (Híbrido): Apesar dos desdobramentos da pandemia, os empreendimentos do fundo não sofreram efeitos negativos - Destaques de junho

  • Apesar dos desdobramentos da pandemia, os empreendimentos investidos pelo fundo não sofreram efeitos negativos relevantes. Pelo contrário, o portfólio do fundo contou com aumento de vendas em 17 dos 40 empreendimentos lançados (considerando ativos investidos via equity e via CRI), com os demais apresentando estabilização ou leve redução do volume vendido, em linha com o comportamento histórico.
  • O TG Ativo Real FII apresentou uma variação de 16,36% em suas cotas negociadas em bolsa, ou 15,29% se desconsiderado os efeitos de distribuição de dividendos.
  • O fundo atingiu um resultado caixa de R$ 4.894.397, correspondente a R$ 1,41 por cota. Deste resultado, foi distribuído no mês R$ 1,23 por cota, representando 435% do CDI e um Dividend Yield de 0,92% (cota base R$ 133,06). O Dividend Yield de junho anualizado corresponde a 11,67% a.a.
  • O fundo apresentou, um aumento na base de cotistas, contando com 23.463 investidores ao fim de junho. Isso representa um aumento de 22% frente ao mês anterior.
  • Quanto ao volume financeiro movimentado, o mês de junho totalizou R$ 34,3 milhões, com média de R$ 1,6 milhões por dia.

O TG Ativo Real investe em empreendimentos localizados em municípios expostos a sólidos ciclos de crescimento econômico ligados ou a movimentos de expansão e adensamento de regiões metropolitanas (por exemplo, Trindade, Senador Canedo e Valparaíso de Goiás) ou a fatores regionais específicos, com destaque para três regiões: Cinturão da Soja, MATOPIBA e região que engloba o Estado de Goiás, Triângulo Mineiro e o interior paulista.

 

RBRF11 (Fundo de Fundos/FOF) retém saldo excedente não distribuído no 1º semestre

A RBR Gestão optou por realizar a retenção do saldo excedente não distribuído, em linha com a autorização concedida pelos cotistas.

O saldo retido é de R$ 316.402,47 do resultado do semestre. A Gestora ressalta que a retenção realizada representa, em linha com a legislação aplicável, menos de 5% do resultado do semestre e que o valor será alocado em Ativos de Liquidez e/ou Ativos Imobiliários, podendo, a exclusivo critério do Gestor, ser, total ou parcialmente, distribuído aos cotistas futuramente.

 

RBED11 (Tijolo/Educacional): Cota valorizou 11,8% e dividendos foram de 0,58% - Destaques de junho

  • No mês de junho/20, o resultado do RBED11 foi de R$ 1,02 por cota e a distribuição, de R$ 1,00 por cota (Dividendo 0,58%, cota base R$ 172,18).
  • Seu patrimônio é composto por 5 ativos educacionais localizados nas cidades de São Luís (MA), Cuiabá (MT), Belo Horizonte, Betim e Ipatinga (MG). Dos 84.466,03 m² de ABL que o fundo detém, 53% estão em Minas Gerais, 29% no Maranhão e 19% no Mato Grosso. Os imóveis são locados para a Cogna, com contratos atípicos com duração entre 10 e 12 anos.
  • Em termos de liquidez, o número de cotas negociadas no mês de junho teve aumento de 144,4% frente ao mesmo mês do ano anterior, e o volume médio diário negociado no mês teve acréscimo de 103,8% no mesmo período. O valor de mercado teve aumento de 123,5% em 12 meses.
  • No mês de junho a cota do RBED11 valorizou 11,8%.

A Rio Bravo assumiu a gestão do FII Aesapar (antiga denominação do Fundo) em dezembro de 2017. Naquele momento, o regulamento do fundo só permitia, dentro de sua política de investimentos, a aquisição de dois terrenos, em Campinas e Cuiabá, para posterior construção de duas faculdades, cuja inviabilidade econômica e legal já havia sido comunicada para os investidores. Através de um grande esforço realizado pela Rio Bravo, que trabalhou ativamente com os investidores para alterar o regulamento do fundo, foi possível permutar os terrenos do fundo por duas faculdades prontas, locadas e performadas, em Cuiabá e São Luis, que são de extrema importância para a locadora, a Cogna Educação S.A., nova denominação da Kroton S.A.. Com esta transação, o RBED11 garantiu sua sustentabilidade de longo prazo com um inquilino de excelente qualidade em ativos extremamente importantes para sua operação.

 

XPML11 (Tijolo/Shopping) volta a ter 10 dos 12 shoppings do portfólio funcionando

Fundo informou na tarde do dia 13 de julho/20 que as operações do Catarina Fashion Outlet (São Roque/SP) foram retomadas neste dia. O shopping está funcionando em horário reduzido e segue rígido protocolo de reabertura, que visa preservar o bem-estar de todos os clientes, lojistas, colaboradores e parceiros.

O XP Malls volta a ter, desse modo, 10 shoppings reabertos, sempre seguindo as determinações das autoridades locais.

Os empreendimentos Natal Shopping (Natal/RN) e Shopping Bela Vista (Salvador/BA) permanecem fechados e funcionando apenas com serviços essenciais, atividades de delivery e drive-thru.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários