14 de julho/20: Fechamento e principais destaques do dia



IFIX apresentou nesta terça-feira (14), uma desvalorização de 0,31%, fechando o dia aos 2.742,70 pontos. No acumulado deste mês de julho e ano de 2020, a variação do índice é de -2,28% e -14,45%, respectivamente.

fiis notícias fechamento

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

MALL11 (Tijolo/Shoppings): 5 dos 7 shoppings estão em funcionamento

Fundo informou que o Shopping Park Sul reativou as suas atividades, possibilitando o funcionamento de todas as lojas, exceto operações de lazer e entretenimento, com horário de funcionamento reduzido, das 12 horas às 20 horas, inclusive fins de semana, conforme permitido pelo decreto de sua região.

A administração do Shopping Park Sul ressaltou que está tomando as precauções, bem como as medidas sanitárias e de segurança necessárias a fim de evitar a disseminação das contaminações pelo vírus.

O MALL11 detém, atualmente, participação nos seguintes ativos:

  • Maceió Shopping (Maceió - AL);
  • Shopping Tacaruna (Recife - PE);
  • Suzano Shopping (Suzano - SP);
  • Shopping Taboão (Taboão da Serra-SP);
  • Boulevard Shopping Feira de Santana (Feira de Santana - BA);
  • Shopping Park Lagos (Cabo Frio – RJ); e
  • Shopping Park Sul (Volta Redonda - RJ).

Com a reabertura do Shopping Park Sul, com exceção do Maceió Shopping e do Boulevard Shopping Feira de Santana, todos os demais shoppings do portfólio do MALL11 se encontram abertos, com horário reduzido. Ou seja, 5 dos 7 shoppings estão em funcionamento.

 

VGIR11 (Papel/CRI) diz que o cenário econômico continua incerto, embora as perspectivas de recuperação estejam mais favoráveis - Destaques de junho

  • O VGIR11 encerrou o mês com 95,7% de seu patrimônio líquido alocado em CRI, distribuídos em 38 diferentes operações, num total investido de R$418 milhões. Os demais recursos (4,3%) estão investidos em instrumentos de caixa.
  • A distribuição de rendimentos será de R$0,48 por cota (Dividendo 0,56%, cota base R$ 85,00), equivalente também a uma rentabilidade líquida de CDI + 3,30% ao ano (cota base R$ 100,00).
  • O fundo encerrou o mês de junho com 27.069 cotistas, se mantendo relativamente estável nos últimos meses.
  • No mercado secundário, o volume médio de negociação diário aumentou para R$1,2 milhão, um aumento de 70% em relação ao mês anterior. Nos primeiros 8 dias úteis de julho a média diária ultrapassou o valor de R$1,8 milhão.
  • A cota do fundo desvalorizou 0,18% no mês.

Em relação aos efeitos provenientes da crise relativa a Covid-19, a gestão do VGIR11 entende que o cenário econômico continua incerto, embora as perspectivas de recuperação estejam mais favoráveis.

 

RBRF11 (Fundo de Fundos/FOF) informou o resultado final de sua 5ª emissão de cotas

Em relação a sua 5ª emissão, fundo informou que foram subscritas e integralizadas, pelos atuais cotistas, 1.426.514 cotas. No âmbito do Direto de Subscrição de Sobras foram subscritas e integralizadas, pelos atuais cotistas, 925.401 cotas e serão subscritas e integralizadas pelos Investidores da Oferta, 1.579.565 cotas, totalizando o montante total de 3.931.480 novas cotas, equivalente a R$367.711.324,40.

Na emissão, houve um excesso de demanda acima de 1/3 da quantidade de cotas inicialmente ofertada.

 

VLOL11 (Tijolo/Escritórios): Valorização da cota mais rendimentos somam positivos 5,22% - Destaques de junho

Em 14 de Julho/20 serão distribuídos R$ 0,45 por cota (Dividendo 0,42%, cota base R$106,92).

No mercado secundário, a cota do VLOL11 movimentou cerca de R$ 3,7 milhões (média diária R$ 179 mil) e valorizou 4,8% no mês.

Apesar do momento ainda se mostrar desafiador, os imóveis do fundo continuam 100% ocupados.

Por ter como característica o tipo de atuação passiva, os papéis do Gestor, RB Capital Asset, e do Administrador, Oliveira Trust, têm como foco principal otimizar os contratos de locação, atraindo inquilinos de qualidade e buscando a maior valorização possível dos preços de locação.

O Vila Olímpia Corporate, fundo imobiliário constituído em agosto/12, investe em 6 lajes da Torre B do empreendimento comercial classe AAA Vila Olímpia Corporate na cidade de São Paulo. Após emissão do Habite‐se em agosto/13, o FII iniciou o período de 12 meses de maturação do investimento no qual a empresa desenvolvedora remunerou o cotista com a taxa de 9% a.a. líquido mediante o pagamento do prêmio de locação. Após este período, as receitas imobiliárias do FII passaram a ser provenientes exclusivamente do resultado operacional do Vila Olímpia Corporate.

 

RFOF11 (Fundo de Fundos/FOF) Desde seu início, escada dos rendimentos só aumentou - Destaques de Junho

Ao longo do mês de junho, o fundo continuou utilizando os recursos alocados em caixa como: ferramenta de proteção contra grandes volatilidades do mercado, modalidade de diversificação temporal de alocação evitando alocações especulativas e munição para aproveitar as oportunidades de comprar ativos de alta qualidade com preços atrativos.

Até o final de junho, o RFOF11 mantinha um volume de aproximadamente 25% dos recursos em caixa.

O portfólio do RFOF11 segue bastante diversificado setorialmente, pulverizado em 23 fundos, com maior exposição no estado de SP e em ativos de alta qualidade.

Seu foco está em novas alocações nas novas emissões de FIIs, principalmente as ofertas restritas, destinados apenas a investidores profissionais (CVM 476).

As ofertas que estavam para acontecer no mês de março e abril foram sendo canceladas, suspensas ou adiadas, e agora com a recuperação do mercado de FIIs, muitas emissões primárias foram retomadas e algumas aceleradas.

Com isso, RFOF11 informou que tem mapeado mais de R$ 7 bilhões de volume, divididos em cerca de 30 fundos imobiliários, em novas ofertas de FIIs (ICVM 400 e ICVM 476) atualmente em andamento ou protocoladas na CVM.

Nos rendimentos, será distribuído R$ 0,27 por cota no dia 14 de julho/20 (Dividendo 0,33%, cota base R$ 82,86).

Desde de seu início, no final de fevereiro/20, o RFOF11 distribuiu os seguintes valores, por cota: Março/20: R$ 0,17; Abril/20:R$ 0,22; Maio/20:R$ 0,24 e Junho/20:R$ 0,27;

No mercado secundário, a cota do RFOF11 movimentou cerca de R$ 4,6 milhões (média diária R$ 209 mil) e valorizou 6,2% no mês.

O objetivo principal da gestão, no RFOF11, está na construção de um portfólio de Fundos Imobiliários diversificado, com exposição à diversos segmentos e gestores, de forma a mitigar riscos decorrentes da concentração em um único fundo ou setor imobiliário.

 

THRA11 (Tijolo/Escritórios): Rendimento distribuído será o maior nos últimos 12 meses - Destaques de junho

O fundo detém 5 de 15 andares (3º, 4º, 16º, 17º e 18º andares) do Edifício Thera Corporate, localizado na Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini,nº 105, em São Paulo/SP. Portfólio do fundo está 90,1% ocupado.

Houveram solicitações por parte dos locatários acerca flexibilizações devido à crise do vírus. O BTG Pactual (administrador) ressalta que foi-se analisado caso a caso, juntamente com a consultora do fundo, com o intuito de preservar os contratos de locação.

Nos rendimentos, serão distribuídos R$ 0,78 por cota no dia 14 de julho/20 (Dividendo 0,54%, cota base R$ 145,50). Esse valor representa a maior distribuição dos fundo nos últimos 12 meses.

No mercado secundário, a cota do THRA11 valorizou 11,15% no mês.

 

MAXR11 (Tijolo/Varejo): Imóveis do fundo são destinados à exploração comercial varejista e educacional - Destaques de junho

  • O fundo detém 100% de oito imóveis destinados à exploração comercial varejista e educacional distribuídos em oito cidades.
  • Seus principais locatários são Lojas Americanas, Hipermercados Bom Preço Supermercados do Nordeste Ltda. (grupo Walmart), Torra-Torra e Curso Exatas.
  • O Setor de varejo e educacional, que corresponde ao perfil de ativos do fundo, teve que lidar com a abrupta perda de receita devido ao fechamento das lojas.
  • Entretanto, o administrador disse que está em contato constante com os locatários visando preservar o patrimônio dos cotistas e também a manutenção dos contratos. Como resultado, conseguiram reaver valores de alugueis em atrasado.
  • Nos rendimentos, o administrador optou por não realizar a antecipação mensal aos cotistas até que se tenha maior visibilidade quanto aos impactos do vírus em seu fluxo de caixa.
  • No mercado secundário, a cota do MAXR11 valorizou 6,2% no mês.

 

QAGR11 (Híbrido): Resultado não sofreu impacto em função do contexto atual da pandemia - Destaques de junho

O fundo celebrou mais uma carta de intenções para aquisição e locação de 1 centro de distribuição de produtos do agronegócio pelo montante total de aproximadamente R$ 42 milhões. O imóvel a ser adquirido, localizado no estado do Paraná (região de Paranaguá), será locado para uma Companhia do segmento agroindustrial, em contrato atípico com prazo de 10 anos.

Até o momento, o QAGR11 anunciou 4 operações diferentes:

  • 4 imóveis, Paraná, locados para Belagrícola (R$ 88 milhões);
  • 4 imóveis, Paraná e Santa Catarina, locados para BRF (R$ 50 milhões);
  • 3 imóveis, Minas Gerais e Goiás, a serem alugados para BRF (R$ 98 milhões); e
  • 1 imóvel, Paraná, locado para uma Companhia agroindustrial (R$ 42 milhões).

Considerando a conclusão destas operações, o fundo atingirá aproximadamente 57% do patrimônio líquido alocado em ativos-alvo.

Ao final do mês de junho, os recursos do QAGR11 estavam alocados em ativos-alvo (24%) e cotas de fundo de renda fixa (76%).

Nos rendimentos, o resultado no mês em questão (R$ 0,29 por cota) será integralmente distribuído no dia 14 de julho/20 (Dividendo 0,33%, cota base R$86,60). O resultado do fundo não sofreu impacto em função do contexto atual da pandemia do Covid-19.

No mercado secundário, a cota do QAGR11 movimentou cerca de R$ 2,3 milhões por dia e valorizou 10,2% no mês.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários