BCRI11 - Fundo bate maior liquidez e menor rendimento nos últimos 12 meses

O Banestes Recebíveis Imobiliários - BCRI11 - fundo que tem como objetivo adquirir ativos como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Letra de Crédito Imobiliário (LCI), cotas de FII, dentre outros recebíveis, divulgou nesta segunda-feira (18) seus últimos resultados.

Seu portfólio atualmente está composto em sua maioria por ativos de CRI, sendo esse, quase 90% de sua carteira.

Em suas últimas movimentações, foi realizado a aquisição do CRI Saraiva de Resende, representando 2,17% do seu patrimônio liquido (PL) e de cotas do FII Hectare CE (HCTR11), 2,49% do PL.

Segundo informou o relatório, com o objetivo de maximizar a rentabilidade do fundo através da aquisição do CRI Saraiva de Resende, foi realizado também as vendas parciais de alguns CRIs para prover a liquidez (Urbamais e VLI), ativos que ainda fazem parte do portfólio.

Já em relação a participação em cotas de FIIs, o fundo possui participação de 9,3% do seu PL, compradas, segundo sua gestão, a preços bem abaixo do valor atual de mercado destes FII, mas como nada foi alienado ainda, só foram distribuídos os rendimentos recebidos até agora. O ganho de capital, portanto, será distribuído após a efetiva alienação dessas cotas.

Fundo distribui o menor rendimento dos últimos 12 meses

No mês de outubro, foi distribuído o menor rendimento nos últimos doze meses, no valor de R$ 0,64 por cota, perfazendo um dividend yield (calculado a partir da cota de mercado) de 0,54%.

Consequentemente, seu dividend yield também demonstrou um declínio nesse mesmo período.

Mercado secundário teve o maior movimento nos últimos doze meses

Por outro lado, o mercado secundário de compra e venda de cotas do BCRI11 teve sua maior negociação, atingindo próximos R$ 40 milhões.

Nesse movimento, a cota que fechou o último mês de setembro à R$ 133,10, terminou o mês de outubro sendo cotada à R$ 118,85 desvalorizando, com isso, 10,7%.

 

O Fundo de Recebíveis Imobiliários - BCRI11 - é administrado pelo Banco Fator S.A. e seu gestor é o Banestes DTVM.  Sua taxa de administração é de 1,0% ao ano e sua participação no IFIX é 0,5%. Recentemente foi concluído a sua 5ª emissão de cotas no valor de R$ 84,7 milhões.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Desenvolvedor de conteúdos

Formado em Engenharia de Produção pela FAACZ, com experiência de mais de 5 anos no mercado financeiro do Brasil. Investidor e desenvolvedor de conteúdos sobre o mercado imobiliário, economia e investimentos.

Comentários