Bom Dia FIIs – MGHT11, DEVA11, EDGA11, ABCP11, RBRS11 e FVPQ11 - Confira os destaques de 24/11



O IFIX apresentou nesta terça-feira (24), uma desvalorização de -0,01%, fechando o dia aos 2.796,51 pontos. No acumulado do mês de novembro e ano de 2020, a variação do índice é de +1,09% e -12,52%, respectivamente.

Confira as últimas notícias do mercado:

MGHT11 comunica aprovação de 2ª emissão de cotas para captar até R$ 120 milhões

O Fundo de Investimento Imobiliário Mogno Hotéis (MGHT11) informou ao mercado que, no último dia 23 o seu administrador, o BTG Pactual Serviços Financeiros DTVM, aprovou a realização da 2ª emissão de cotas do fundo, a ser realizada nos termos da ICVM 476 (investidores profissionais).

O montante total da oferta é de até R$100 milhões, correspondente a até 1 milhão de novas cotas, pelo valor unitário de R$100,00, valor este fixado, tendo-se em vista o valor patrimonial das cotas do fundo, com data base no último dia 30 de outubro, contemplando um desconto de 0,41%, observado que não haverá custo de distribuição e não serão cobradas taxas de ingresso ou taxa de saída.

O montante total oferta poderá ser aumentado, contudo, em até 20% da totalidade das novas cotas originalmente ofertadas, ou seja, até 200.000 novas cotas, correspondentes a R$20 milhões.

Foi informado, ainda, que será assegurado aos cotistas, detentores de cotas no dia 26 de novembro, o direito de preferência na subscrição de novas cotas no período compreendido entre 1º e 15 de dezembro. O fator de proporção para subscrição de novas cotas será equivalente a 1,20019779260, a ser aplicado sobre o número de cotas integralizadas e detidas por cada Cotista em 26 de novembro.

Maiores informações sobre essa e demais emissões em andamento no mercado podem ser conferidas na página de Emissões e IPOs dos Funds Explorer.

Recibos serão convertidos em cotas do FII DEVA11 a partir de hoje

A Vórtx DTVM, na qualidade de administradora do Devant Recebíveis Imobiliários (DEVA11) comunicou ao mercado ontem (24) que os recibos oriundos da oferta inicial feita pelo fundo em meados de outubro, com ISIN BRDEVAR01M16, BRDEVAR02M15, BRDEVAR03M14, BRDEVAR04M13, BRDEVAR05M12, BRDEVAR06M11, serão convertidos em cotas da primeira emissão a partir de hoje (25 de novembro).

Tais cotas estarão liberadas para negociação no mercado de bolsa administrado e operacionalizado pela B3 – Brasil, Bolsa, Balcão sob o código de negociação DEVA11 e código ISIN BRDEVACTF000 exclusivamente após decorrido o período de lock up, com prazo final marcado para 18 de janeiro de 2021.

Vale lembrar que o DEVA11 encerrou a sua 1ª emissão de cotas (nos termos da nos termos da ICVM nº 476) no último dia 21 de outubro, tendo sido subscritas e integralizadas, na ocasião, 1.031.554 cotas, o que representou um montante de R$ 103.155.400,00.

EDGA11 comunica recebimento de pagamento referente à inadimplência de setembro

O BTG Pactual Serviços Financeiros DTVM, instituição administradora do FII EDIFÍCIO GALERIA (EDGA11), comunicou ontem aos seus cotistas e ao mercado em geral que, após tratativas e negociações para regularização do pagamento, o fundo recebeu o total dos valores de competência setembro e vencimento outubro que estavam em situação de inadimplência.

Desta forma, conforme reforçado no comunicado, a última distribuição de rendimentos foi impactada positivamente em, aproximadamente, R$ 0,04 por cota.

Rio Bravo passará a ser instituição prestadora dos serviços de escrituração de outros 3 FIIs

A Rio Bravo Investimentos DTVM, na qualidade de instituição administradora dos fundos imobiliários ABCP11, RBRS11, e FVPQ11, comunicou ao mercado que, a partir do próximo dia 27 de novembro, passará a ser a instituição financeira prestadora dos serviços de escrituração dos fundos, em substituição à Itaú Corretora de Valores S.A.

A partir da referida data, portanto, o atendimento aos cotistas dos FIIs acima mencionados, bem como qualquer comunicação relacionada aos serviços de escrituração, deverá ser tratada diretamente perante a Rio Bravo, perante os contatos por telefone (+55 11 3509-6522) ou e-mail ([email protected]).

A Rio Bravo destacou ainda que não haverá qualquer alteração contratual nas cobranças anteriormente estabelecidas para prestação do serviço de escrituração, ou seja, permanecem as mesmas condições comerciais e não há impacto de novas cobranças ou alterações das já estabelecidas.

Lembrou também que parte das despesas relacionadas à escrituração são variáveis conforme o número de cotistas do fundo e que, portanto, eventuais alterações no montante de despesas referentes à escrituração podem estar relacionadas ao volume de cotistas dos respectivos fundos.

Dúvida do dia

Qual a modalidade de Fii mais seguro da bolsa?

Infelizmente, não existe uma resposta certa para essa pergunta. Sim, sabemos que existem segmentos com ativos de menor risco, fundos com menor volatilidade e maior previsibilidade de proventos (como fundos de galpões multiativos com contratos atípicos de longo prazo, por exemplo). Mas, mesmo assim, estamos falando de renda variável. Todo dia nós recebemos perguntas como essa, e muitas vezes são de pessoas que estão começando, então eu acho muito importante reforçar que, apesar da menor volatilidade e da maior previsibilidade de alguns segmentos, ainda existe risco sim. É importante entender seu perfil de investidor e ver se você está adequado ao investimento em renda variável. Por fim, sem dúvida alguma o que mais gerará segurança em um investidor é o estudo. O conhecimento (que virá naturalmente ao longo do tempo com o estudo) faz com que a segurança em se saber onde e como se está investindo aumente, muito embora os riscos continuarão existindo sempre, independentemente do segmento de atuação do FII em questão.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Autor

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.




Comentários