BTCR11: Cotas da 4ª emissão começam a ser negociadas na B3 amanhã (10)



Quer receber todas as notificações desse FII? Seguir FII Seguir Fundo

O FII BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11) informou aos cotistas  e ao mercado em geral, os rendimentos pro-rata, referente ao período das aplicações financeiras dos recursos captados na 4ª emissão de cotas.

btcr11

Segundo o BTG Pactual, administrador do BTCR11, a partir de amanhã, 10 de março de 2020, as 1.410.978 cotas integralizadas durante o direito de preferência 4ª emissão de cotas passarão a ser negociadas na B3 – Brasil, Bolsa, Balcão.

Já as 389.022 cotas (oferta 476) integralizadas durante a oferta da 4ª emissão, passarão a ser negociadas na B3 somente a partir de 17 de maio de 2020.

Por último, foi informado que todas essas cotas, total de 1.800.000, participarão em igualdade de condições nas futuras distribuições de rendimentos do BTCR11.

BTCR11 - Da 1ª a 4ª emissão de cotas

O FII BTG Pactual Crédito Imobiliário foi constituído em março de 2018 por meio de uma oferta ICVM 476 (esforços restritos).

Em dezembro de 2018, foi anunciada a 2ª emissão de cotas, por meio de uma oferta ICVM 400, com o volume total captado de R$ 102 milhões.

Em junho de 2019, foi encerrada a 3ª oferta com o volume de R$ 131 milhões, por meio de uma oferta ICVM 476.

Em janeiro de 2020 foi anunciada a 4ª oferta, com volume base de R$ 150 milhões, dos quais R$ 89,5 milhões foram liquidados durante o período de preferências e a oferta já foi encerrada com o volume total, adicionado do montante adicional, já emitido.

O FII BTCR11 é considerado do tipo papel e possui um patrimônio líquido (PL) de R$ 382,9 milhões. Com uma gestão ativa, é administrado e gerido pelo grupo BTG Pactual e sua taxa de 1% do PL ao ano é divida em 0,2% para administração e 0,8% para a gestão.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários