Cotas do VGIR11 já valorizam 21,87% desde seu IPO em 2018

Valora RE III (VGIR11) é um fundo imobiliário do tipo papel administrado pelo BTG Pactual e tem como finalidade o objetivo de investir em Certificados de Recebíveis Imobiliários - CRI.

Resultados e informações do VGIR11 - Total investido em 2019 passa de R$ 400 milhões

Segundo informou seu relatório divulgado ao mercado no dia de ontem, 15 de janeiro de 2020, o fundo encerrou o mês de dezembro com 94,5% de seu patrimônio alocado em CRI.

Eles foram distribuídos em 36 diferentes operações, num total investido de R$413,3 milhões. Os demais recursos estão investidos em instrumentos de caixa.

vgir11

O foco da gestão do VGIR11 (Valora Gestão de Investimentos) é trabalhar com a maior alocação possível em CRI.

Estratégia do VGIR11 busca oportunidades e diversificação nos segmentos dos recebíveis

De acordo com sua estratégia, a minimização da posição de caixa aumenta a eficiência do VGIR11, com o objetivo de entregar rendimentos superiores aos cotistas.

Ao mesmo tempo, a Valora mantem posições em CRI com boa liquidez, o que permite aproveitar eventuais oportunidades de mercado.

Atualmente, sua exposição está praticamente em todos os segmentos do mercado imobiliário, embora seja mais concentrado no segmento residencial.

vgir11

Para estruturar essa alocação, a gestão entende que os fatores micro (localização, produto, inserção de mercado etc.) são os de maior influência para o mercado imobiliário, embora sempre tendo como base maior os fatores macroeconômicos.

O VGIR11 encerrou o mês de dezembro de 2019 distribuindo 100% de seu lucro caixa disponível

A distribuição de rendimentos do VGIR11, referente ao mês de dezembro de 2019, será de R$0,6574 por cota, equivalente a uma rentabilidade líquida de CDI + 3,43% ao ano.

vgir11

O acumulado do ano de 2019 foi de R$8,88 por cota (equivalente a CDI + 3,09% ao ano), e desde o início foi de R$12,35 por cota (equivalente a CDI + 2,76% ao ano).

Todas essas rentabilidades foram calculadas com base no valor da cota de R$100,00.

Cotistas da 4 emissão do VGIR11 já recebem rendimentos este mês de janeiro

Os cotistas que exerceram seus direitos de preferência liquidados em 28 de novembro de 2019 (VGIR13) receberão o valor de R$0,6574 por cota, mesmo valor a ser distribuído aos detentores de VGIR11.

JÁ os recibos referentes aos direitos de subscrição das sobras liquidados em 11 de dezembro (VGIR14) e os recibos referentes a subscrição de novos cotistas liquidados em 18 de dezembro (VGIR15) receberão remuneração equivalente a rentabilidade líquida de fundos de liquidez.

O valor foi calculado pelos dias úteis entre a data de liquidação e final de dezembro, sendo respectivamente, R$0,1657 e R$0,0919 por cota.

Cotas do VGIR11 já valorizam 21,67% desde seu IPO em 2018

A negociação das cotas do Valora RE III foi iniciada em 3 de agosto de 2018, com o preço de abertura correspondente a R$100,00.

No dia 30 de dezembro de 2019, o valor da cota fechou em R$ 121,67. (+ 21,67%)

Em dezembro, a liquidez média diária das cotas atingiu o volume de R$3,9 milhões, um crescimento de 230% em relação ao mês de novembro.

Ao final do mês de dezembro, o VGIR11 possuía um total de 18.965 cotistas.

VGIR11 encerra sua 4ª emissão de cotas e atinge posição de caixa acima do projetado em dezembro

Com as aquisições ao longo de dezembro, a gestão praticamente encerrou a alocação dos recursos advindos da 4ª emissão de cotas encerrada dia 19 de dezembro.

Para complementar, sua posição de caixa ficou acima do projetado devido a amortizações extraordinárias não esperada de CRIs, no valor total aproximado de R$9 milhões.

O VGIR11, no momento atual, detém um patrimônio liquido (PL) de R$ 334,8 milhões e sua taxa de administração é equivalente a R$1,40 mensais por cotista, com valor mínimo mensal de R$3.000, limitado a 0,06% ao ano sobre seu PL.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.

Comentários