O BTG Pactual, administrador do FII Torre Almirante (ALMI11), publicou hoje, 29 de novembro, fato relevante no qual informa que não haverá distribuição dos rendimentos, referente a este mês de novembro.

O fundo é proprietário de 40% do Edifício Torre Almirante, localizado na Av. Almirante Barroso, 81, Rio de Janeiro - RJ.

O imóvel está localizado no coração do centro empresarial do Rio de Janeiro e inserido perfeitamente à paisagem local, o empreendimento privilegia-se com vista desde a Praça Mauá até Santa Tereza, passando pelo Aeroporto Santos Dumont, Pão de Açúcar e o Cristo Redentor.

O acesso ao local é facilitado pela estação de metrô do largo da Carioca e Cinelândia, pelas linhas de ônibus que servem a região e pela proximidade do edifício Terminal Garagem Menezes Cortes.

A propriedade possui 34 pavimentos de escritórios, cobertura e heliponto. Já o edifício-garagem possui 11 pavimentos de estacionamento, com capacidade para 382 veículos, salas de reunião e videoconferência.

O empreendimento total possui área bruta locável (ABL) de 41.468,60 m², parte ALMI11, de 40%, 16.587,44 m².

Fundo apresenta alta vacância

De acordo com seu último relatório divulgado referente ao mês de agosto, o fundo apresenta uma vacância de 82% e seus contratos ativos estão previstos para vencer em 2021.

Na imagem abaixo, vemos também que o ALMI11 não distribui rendimentos pelo motivo de não sobrar dinheiro em caixa – inclusive, ele não consegue distribuir rendimentos deste março de 2017.

De acordo com seu último informativo, sua taxa de administração é de 0,383% ao ano sobre o patrimônio líquido (PL - R$ 190 milhões), além de uma taxa de gerenciamento de 1,00% ao mês sobre as suas receitas. É dividido em 111.177 cotas distribuídas entre 4,2 mil cotistas.

As cotas do ALMI11 começaram a ser negociadas em Bolsa no ano de 2006 e apesar de todo esse contorno negativo, nos últimos 12 meses, seu retorno de mercado é positivo em 20,45%.

O FII Torre Almirante é do tipo tijolo e foi constituído em 2004 com o objetivo investir exclusivamente no edifício Torre Almirante visando proporcionar aos cotistas a rentabilidade decorrente do recebimento de receitas de aluguel das unidades comerciais, fachadas, depósitos e vagas de garagem do Imóvel, nos termos de contratos de locação que forem celebrados.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Desenvolvedor de conteúdos

Formado em Engenharia de Produção pela FAACZ, com experiência de mais de 5 anos no mercado financeiro do Brasil. Investidor e desenvolvedor de conteúdos sobre o mercado imobiliário, economia e investimentos.

Comentários