01 de junho/20: Fechamento e principais destaques do dia



O IFIX apresentou nesta segunda-feira (01), uma valorização de +0,70%, fechando o dia aos 2.676,23 pontos. No acumulado deste mês de junho e ano de 2020, a variação acumulada do índice é de +0,70% e -16,01%, respectivamente.

fiis

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

VISC11 (Tijolo/Shoppings): 3 dos 13 shoppings do portfólio já estão funcionando

O Prudenshopping, do qual o fundo possui 100% de participação, retomou suas atividades a partir de hoje, 01 de junho/20.

Além do Prudenshopping, o VISC11 tem atualmente em funcionamento o Iguatemi Florianópolis e o Shopping Crystal que reabriram em 22 de abril e 25 de maio, respectivamente, e que juntos representam cerca de 32% da receita imobiliária.

A Vinci Real State, gestor, disse que os shoppings estão funcionando em horário reduzido e seguem rígido protocolo de reabertura. A medida visa preservar a saúde e o bem-estar de todos os clientes, lojistas, colaboradores e parceiros.

As operações nos segmentos de alimentação e entretenimento seguem as restrições impostas pelas autoridades locais.

 

GGRC11 (Tijolo/Galpões): Após muitas tratativas, locatário paga aluguel

Após muitas tratativas, o valor do aluguel devido pela locatária COVOLAN INDÚSTRIA TÊXTIL LTDA. foi pago no dia 29 de maio/20.

O aluguel representa cerca de R$0,11 por cota referente ao mês de maio/20, o equivalente à 13% da receita e será distribuído neste mês de junho.

 

SDIL11 (Tijolo/Galpões) diz que o cenário de incerteza vai dificultar a linearização de distribuição de resultados costumeira, neste período específico

O fundo recebeu no mês de maio o aluguel em atraso (competência de março) da Sherwin Williams do Brasil Ind. e Com. Ltda, que ocupa 4.700 m² do One Park.

No entanto, a gestora Rio Bravo informou que ainda não recebeu o pagamento do aluguel referente abril/20, com vencimento no mês de maio, das locatárias:

  • Sherwin Williams, que representa 5,45% da receita imobiliária; e
  • Metalúrgica Andrômeda, que ocupa 2.650 m² também do One Park e representa 1,58% da receita.

Portanto, as inadimplências descritas acima representam um impacto negativo no resultado do SDIL11, somadas, de aproximadamente R$ 0,04 por cota.

Devido a estes acontecimentos e buscando uma linearização da distribuição de rendimentos, o SDIL11 reduzirá a distribuição para R$ 0,44 por cota referente a maio/20, redução de R$ 0,02/cota.

A Rio Bravo, por fim, anunciou que o cenário de incerteza dificulta a linearização de distribuição de resultados costumeira neste período específico, e há menor previsibilidade na distribuição no curto prazo. Contudo, reforçou a importância da manutenção da cobrança integral do aluguel dos locatários, de forma a manter o compromisso do fundo de gerar renda imobiliária sustentável e de longo prazo a seus investidores.

 

QAGR11 (Tijolo/Lajes Corporativas) passou a integrar o Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários – IFIX (B3)

O fundo passou a integrar o Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários – IFIX (B3) na última carteira do índice, definida para o quadrimestre de maio a agosto de 2020. Desde o início (Novembro/19), a cota atingiu uma média de liquidez diária de 27.639 negociações ou R$ 2,7 milhões.

O resultado do fundo não sofreu impacto em função do contexto atual da pandemia do Covid-19.

Seguindo o plano de alocação, o Quasar (gestor), disse que o fundo celebrou compromisso de compra e venda (CCV) de 4 centros de recebimento de grãos pelo montante total de aproximadamente R$ 49 milhões. As quatro unidades adquiridas, localizadas no estados do Paraná e Santa Catarina, foram locadas à BRF S.A., na modalidade de contrato atípico com prazo de 10 anos.

O aluguel do novo conjunto de empreendimentos irá impactar o resultado do fundo e a distribuição de rendimento a partir de junho de 2020. Após a conclusão da transação, o aluguel mensal total, cerca de R$ 311 mil, representará aproximadamente R$ 0,06 por cota.

“Com a conclusão desta operação, o QAGR11 atinge 29% do patrimônio alocado em ativos-alvo”, afirmou o Quasar.

Em suma, seu relatório de resultados de abril/20 anunciou que o foco da gestão continua na alocação dos recursos em caixa, o que deve contribuir tanto para a diversificação do portfólio quanto para o resultado do fundo.

Neste momento, as operações em negociação, com 4 locatários diferentes, somam mais de R$ 300 milhões e envolvem:

  • Aquisição de quatro unidades de armazenagem de grãos situadas no Paraná;
  • Aquisição de três unidades de armazenagem de grãos situadas em Goiás e Minas Gerais;
  • Construção de um terminal de transbordo no Mato Grosso;
  • Aquisição de 11 unidades de armazenagem de grãos situadas em Goiás e Mato Grosso;
  • Construção de uma unidade de armazenagem de grão no Rio Grande do Sul.

O pipeline de ativos em negociação envolve 20 ativos. As aquisições, portanto, estão sujeitas à conclusão satisfatória das negociações e das condições precedentes, incluindo due diligence completa (legal, técnica, ambiental, financeira, cronograma e custo de obras, entre outros aspectos).

O QAGR11 informou que estão preservando a identificação dos vendedores e dos locatários para evitar qualquer impacto comercial sobre as negociações.

 

KFOF11 (FOF/Fundo de Fundos): Principais destaques dos resultados de maio/20

  • O rendimento de R$ 0,45 por cota será distribuído no próximo dia 15 de junho/20 é equivalente a um dividendo de 0,45% (cota base R$98,50).
  • A rentabilidade da cota foi de positivos 1,54%, partindo de R$97,00 em 30 de abril, para R$ 98,50 em 29 de maio.
  • Desde seu início, em 3 de setembro/18, o desempenho da cota patrimonial, ajustada pelos proventos distribuídos, foi de 14,57%.
  • Ao término do mês de maio o fundo encontrava-se com 92% dos ativos alocados em cotas de FIIs e os restantes 8%, em caixa.
  • No mercado secundário, as cotas foram negociadas em 100% dos pregões, com volume total negociado de R$ 7,74 milhões e volume médio diário de aproximadamente R$ 0,39 milhões.

 

KNRI11 (Tijolo/Híbrido): Rentabilidade da cota foi de positivos 8,42% - Resultados de maio/20

  • No mês de maio a carteira do fundo continuou demonstrando importante solidez neste momento desafiador gerado pela pandemia de Covid-19 com o recebimento de quase a totalidade dos alugueis previstos.
  • Devido os consequentes efeitos da pandemia na economia, o Kinea (gestor) disse que as conversas com os inquilinos a respeito de pagamento de aluguel nos próximos meses, tem se tornado mais desafiadoras.
  • Com relação a carteira de inquilinos, em maio o fundo acorreu a desocupação de meio andar do Edifício Buenos Aires Corporate pela empresa Hatch. Com isso, a vacância aumentou para 5,58%.
  • O rendimento de R$ 0,65 por cota será distribuído no próximo dia 15 de junho/20 é equivalente a um dividendo de 0,37% (cota base R$172,39).
  • A rentabilidade da cota foi de positivos 8,42%, partindo de R$158,99 em 30 de abril, para R$ 172,39 em 29 de maio.
  • No mercado secundário, suas cotas foram negociadas em 100% dos pregões, com volume médio diário de aproximadamente R$ 3,34 milhões.
  • Seu portfólio está composto por 19 propriedades sendo 10 edifícios comerciais e 9 centros logísticos. São 82 contratos de locação e mais de 50 inquilinos. O prazo médio dos contratos firmados pelo fundo é de 9,79 anos.

 

KNCR11 (Tijolo/CRI) não apresenta qualquer problema de inadimplência ou impontualidade na carteira – Resultados de maio/20

  • Ao final de maio, o fundo apresentava alocação em CRI equivalente a 97,5% do seu patrimônio. Os imóveis que baseiam suas operações estão localizados nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.
  • O fundo não apresenta qualquer problema de inadimplência ou impontualidade na carteira.
  • O rendimento de R$ 0,30 por cota será distribuído no próximo dia 12 de junho/20 é equivalente a um dividendo de 0,32% (cota base R$92,70).
  • No mercado secundário, foi transacionado um volume de R$ 66,73 milhões, referente a uma média de aproximadamente R$ 3,34 milhões por dia.
  • A rentabilidade da cota foi de negativos 1,15%, partindo de R$108,00 em 30 de abril, para R$ 106,75 em 29 de maio.

 

KNHY11 (Papel/CRI): Principais destaques dos resultados de maio/20

  • Ao final de maio, o fundo apresentava alocação em CRI equivalente a 72,2% do seu patrimônio e aproximadamente 27,8% permanecem em caixa. Os imóveis que baseiam suas operações estão localizados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.
  • O fundo não apresenta qualquer problema de inadimplência ou impontualidade na carteira.
  • O rendimento de R$ 0,30 por cota será distribuído no próximo dia 12 de junho/20 é equivalente a um dividendo de 0,28% (cota base R$106,75).
  • No mercado secundário, foi transacionado um volume de R$ 13,22 milhões, referente a uma média de aproximadamente R$ 0,66 milhões por dia.
  • A rentabilidade da cota foi de negativos 2,98%, partindo de R$95,55 em 30 de abril, para R$92,70 em 29 de maio.

 

VILG11 (Tijolo/Galpões) anuncia a conclusão da aquisição da participação de 66,83% no Extrema Business Park I

A Vinci Real Estate, administrador do fundo, publicou que no dia 01 de junho/20 concluiu a aquisição de 66,83% do ativo “Extrema Business Park I”, tendo sido praticados todos os atos societários necessários para que o fundo detenha fração ideal direta no imóvel a partir desta data.

O valor pago ao vendedor foi de R$ 146.357.700,00, passando o fundo a ter direito sobre o resultado operacional líquido (NOI) da fração ideal adquirida, em regime caixa, a partir de hoje.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários