02 de julho/20: Fechamento e principais destaques do dia

O IFIX apresentou nesta quinta-feira (02), uma desvalorização de 0,10%, fechando o dia aos 2.813,15 pontos. No acumulado deste mês de julho e ano de 2020, a variação do índice é de +0,25% e -10,99%, respectivamente.

fiis noticias

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

HGLG11 (Tijolo/Galpões) concluiu aquisição de mais 3 galpões logísticos para portfólio

No dia 01 de julho/20 o fundo concluiu a aquisição de um conjunto de galpões logísticos localizados na cidade de Extrema, estado de Minas Gerais, com as seguintes características:

  • Galpão 1: Imóvel logístico com área bruta locável de 9.792,00 m², locado em regime típico à empresa Nakata Automotiva S.A., com locação vigente até o dia 30 de novembro de 2024 pelo valor mensal atual de R$ 186.561,48;
  • Galpão 2: Imóvel logístico com área bruta locável de 10.366,13 m², locado em regime típico à empresa Via Varejo S.A., com locação vigente até o dia 15 de julho de 2024 pelo valor mensal atual de R$ 217.688,73;
  • Galpão 3: Imóvel logístico com área bruta locável de 13.943,00 m², locado em regime atípico à empresa Nakata Automotiva S.A., com locação vigente até o dia 30 de novembro de 2024 pelo valor mensal atual de R$ 278.860,60.

O valor a ser pago pelo HGLG11 na aquisição do imóveis será de R$ 89.714.126,05 distribuído em parcelas conforme o contrato.

Portanto, a partir do dia 01 de julho/20 o HGLG11 fará jus a 72,6% das receitas de locação dos Imóveis, equivalente a aproximadamente R$ 0,04 por cota. De acordo com o pagamento das parcelas restantes, as receitas vão passando proporcionalmente para o fundo.

 

XPLG11 (Tijolo/Galpões): Recibos de subscrição da 4ª emissão passarão a ser XPLG11 a partir de amanhã

Fundo informou que no dia 01 de julho/20 foi encerrada sua oferta pública da 4ª emissão de cotas da qual foram subscritas e integralizadas 5.487.973 novas cotas. Com isso, os recibos de subscrição (XPLG13, XPLG15 e XPLG14) passarão a ser cotas XPLG11 na abertura dos mercados do dia 03 de julho/20.

Com a nova emissão o XP Log vai apresentar um patrimônio próximo de R$ 2,5 bilhões em valor de mercado e com isso, passa a ser o maior FII de logística do País.

SADI11(Papel/CRI): Administrador e gestor reduz taxa de administração do fundo por 1 ano

A Santander Brasil e o Santander Caceis Brasil, gestor e administrador, respectivamente, comunicaram no dia 01 de julho/20 que decidiram renunciar, temporariamente, a parcela da taxa de administração, de forma que a taxa de administração efetivamente cobrada dos investidores, durante o período entre 1º de julho/20 e 30 de junho/21, deixará de ser de 1% ao ano e passará a ser de 0,80% ao ano sobre o valor de mercado das cotas do SADI11.

 

BPML11 (Tijolo/Shoppings): 5 dos 7 shoppings do fundo já estão abertos - Destaques de junho

  • Foram reabertos quatro ativos, totalizando cinco shoppings abertos ao final de junho. Em relação aos outros dois ativos do fundo, Contagem e Plaza Macaé, a expectativa de reabertura é a partir da segunda quinzena de julho/20.
  • No mercado secundário, o fundo apresentou negociações em 100% dos pregões, movimentando cerca de R$ 1,3 milhões.
  • O valor de mercado encerrou em R$ 94,88 por cota, representando uma variação positiva de 1,5% se comparado ao mês anterior, enquanto o IFIX apresentou uma variação positiva de 5,6%.
  • Nos rendimentos, em decorrência dos impactos sofridos pelas medidas de isolamento social, o fundo não distribuiu a antecipação mensal. Nesse sentido, reforçou que, caso tal situação permaneça, o BPML11 poderá, quando da apuração do resultado semestral, fazer uma única distribuição dos rendimentos relativos ao restante do semestre.
  • Não houve nenhuma alteração na composição do portfólio de Shoppings do fundo, sendo que a carteira permanece com 7 ativos, dos quais 3 estão alocados em sociedade de propósito específico (SPE).

 

KNIP11 (Papel/CRI): Liquidez diária foi de R$ 3 milhões - Destaques de junho

  • Gestão destacou que a carteira do KNIP11 permanece adimplente em suas obrigações.
  • As alocações finalizaram o mês com 97,3% em CRIs com taxa média ponderada de 6,26% ao ano. Os restantes 2,7% estão alocados em ativos em instrumentos de caixa.
  • Nos rendimentos, será distribuído no próximo dia 13 de julho, R$ 0,50 por cota, representando um dividendo de 0,45% no mês (cota base R$ 110,55).
  • No mercado secundário foram transacionados um volume de 63,3 milhões, correspondendo à uma média de aproximadamente R$ 3 milhões por dia.

 

KNHY11 (Papel/CRI): Carteira permanece saudável e adimplente em suas obrigações - Destaques de junho

  • Gestão destacou que a carteira permanece saudável e adimplente em suas obrigações.
  • O portfólio finalizou o mês com 72,3% em CRIs. Os restantes 27,7% estão alocados em ativos em instrumentos de caixa.
  • Nos rendimentos, será distribuído no próximo dia 13 de julho, R$ 0,32 por cota, representando um dividendo de 0,29% no mês (cota base R$ 110,00).
  • No mercado secundário foram transacionados um volume de 28,2 milhões, correspondendo à uma média de aproximadamente R$ 1,3 milhões por dia.

 

BRCR11 (Tijolo/Escritórios): Reavaliação semestral do portfólio de imóveis foi positiva - Destaques de junho

Fundo divulgou a apuração dos votos da consulta formal aos cotistas, onde foi aprovado sua 7ª emissão de cotas. O montante inicial da oferta é de pouco mais de R$ 262 milhões, podendo ser acrescido em até 20%.

Os recursos da oferta serão destinados preferencialmente a nova aquisição do fundo, o Edifício Morumbi Corporate - Diamond Tower.

Foi concluído a reavaliação semestral do portfólio de imóveis do BRCR11. O resultado da avaliação gerou um aumento no valor dos ativos de R$ 6,3 milhões. Com isso, o patrimônio líquido atingiu R$ 2,5 bilhões ou R$ 109,8 por cota.

Fundo recebeu uma notificação de rescisão antecipada de contrato do locatário Cenesp. Com isso, fará jus ao aviso prévio e multa contratual por término antecipado.

A rentabilidade total para o cotista, considerando rendimentos distribuídos e o valor da cota, foi positivo em 3,4%.

Nos rendimentos, será distribuído no próximo dia 15 de julho, R$ 0,43 por cota, representando um dividendo de 0,45% no mês (cota base R$ 94,91).

O fundo possui 12 empreendimentos de lajes corporativas distribuídos nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro com 63 contratos de locação. Juntos, somam 184.450 m² de área bruta locável (ABL).

 

BTCR11 (Papel/CRI): CRI investidos pelo fundo não apresenta risco de inadimplemento ou de deterioração de garantias - Destaques de junho

Com a redução da meta Selic ocorrida no início de maio, de 3,75% a.a. para 3,00% a.a., e em conjunto com a queda dos índices de inflação (IPCA e IGP-M), o BTCR11 informou que presenciou uma diminuição pontual na receita dos ativos aplicados pelo fundo, e, com isso, obteve uma redução pontual no lucro líquido dos CRI.

Até o momento, nenhum dos CRI investidos pelo fundo apresenta risco de inadimplemento ou de deterioração de garantias.

O portfólio de ativos do fundo está distribuído em CRI (75%), Renda fixa (23%) e cotas de FIIs (2%).

Em junho o fundo distribuiu um rendimento de R$ 0,42 por cota, perfazendo um dividendo de 0,45% no mês (cota base R$ 93,43).

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.

Comentários