03 de julho/20: Fechamento e principais destaques do dia

O IFIX finalizou o dia nesta sexta-feira (03) mantendo seus 2.813,15 pontos. No acumulado deste mês de julho e ano de 2020, a variação do índice é de +0,25% e -10,99%, respectivamente.

fiis notícias

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

HCTR11 (Papel/CRI): Administrador aprova 5ª emissão de cotas do fundo

O administrador Vórtx comunicou a aprovação da 5ª emissão de cotas do Hectare CE com montante máximo de 865.127 novas cotas com valor unitário de R$ 115,59 totalizando cerca de R$ 100 milhões.

O preço de emissão unitário foi fixado com base na no valor das cotas patrimoniais do fundo no dia 29 de maio/20.

A oferta restrita será destinada exclusivamente a investidores profissionais. No entanto, será assegurado aos cotistas detentores de cotas subscritas e integralizadas do fundo em 03 de julho/20 o exercício do seu direito de preferência.

 

RBRY11 (Papel/CRI): Reservas a distribuir são de R$ 0,33 por cota - Destaques de junho

Todos os 17 CRIs na carteira estão integralmente em dia com suas obrigações (juros e amortização).

Fundo reafirma que não vislumbram nenhum default em sua carteira de crédito imobiliário seja no curto/médio/longo prazo por conta das características das operações (fluxo, fundo de reserva, garantia e devedores) e por conta do mapeamento de risco reforçado desde o início da pandemia.

Ao longo do mês o fundo vendeu R$ 1,7 milhões de umas posições realizando um ganho de R$ 171,2 mil, agregando R$ 0,09 por cota no resultado do mês.

No acumulado desde o início (junho/18), o resultado do RBRY11 é de R$ 17,96 por cota. Média mensal de R$ 0,72 por cota.

Nos rendimentos, o fundo distribuiu R$ 0,65 por cota no dia 17 de junho. O valor equivale um dividendo de 0,65% no mês (cota base R$ 100,00). Reservas a distribuir são de R$ 0,33 por cota.

 

VILG11 (Tijolo/Logística): Administrador aprova 5ª emissão de cotas e fundo conta com acordos de exclusividade assinados para a potencial aquisição de 3 galpões logísticos

O administrador BRL Trust comunicou a aprovação da 5ª emissão de cotas do Vinci Logística com montante máximo de 3.101.737 novas cotas (quantidade poder ser aumentada ou diminuída) com valor unitário de R$ 116,73 já considerando a taxa de distribuição primária (R$ 3,89 por cota) totalizando cerca de R$ 350 milhões.

A oferta restrita será destinada exclusivamente a investidores profissionais. No entanto, será assegurado aos atuais cotistas do fundo o exercício do direito de preferência.

Não haverá aplicação mínima por Investidor Profissional, tampouco no exercício no direito de preferência e no direito de subscrição das sobras e montante adicional.

Os recursos líquidos captados na oferta restrita serão aplicados na medida em que o VILG11 identifique e negocie ativos imobiliários para integrar seu patrimônio que obedeçam sua política de investimento e estejam alinhados com as estratégias definidas pelo Gestor - Vinci Real State - como mais vantajosas para o fundo.

Neste dia 03 de junho/20, o VILG11 conta com acordos de exclusividade assinados para a potencial aquisição de 3 galpões logísticos que somam cerca de R$ 290 milhões com um cap rate para o 1º ano ponderado de 8,5% localizados na região sudeste do Brasil, sendo dois no estado de São Paulo e um em Minas Gerais.

 

CXCE11B (Tijolo/Escritórios): Foi aprovado o desdobramento de cotas do fundo de 1 para 25

A Caixa Econômica Federal administradora informou que foi aprovado por meio de consulta formal realizada em 24 de junho/20 o desdobramento de cotas do fundo na proporção de 1:25, de forma que cada 1 cota do CXCE11B passará a corresponder a 25 cotas.

Assim, após o desdobramento, o total de cotas passará a ser de 1.712.950 cotas, com a consequente alteração do valor base de cada cota, na mesma proporção, permanecendo inalterado o somatório do valor das referidas cotas.

A posição de cotistas considerada para o desdobramento das cotas do fundo será 17 de julho/20. Sendo assim, a partir de 20 de julho/20, as cotas serão negociadas na forma desdobrada.

As cotas resultantes do desdobramento serão creditadas aos cotistas em 22 de julho/20.

 

TRXF11 (Híbrido) triplicou seu número de cotistas - Destaques de junho

  • No dia 29 de junho, fundo comunicou a conclusão da aquisição e posterior locação de mais 7 imóveis ao Pão de Açúcar e ao Assaí por 15 anos na modalidade Sale and Leaseback.
  • A distribuição de R$ 0,67 por cota representa um Dividend Yield anualizado de 7,84% e 0,65% no mês, sobre a cota base de R$ 102,50.
  • Portfólio de 16 imóveis do fundo está distribuído em 8 estados totalizando uma área bruta locável de 204 mil m².
  • As cotas do fundo negociadas no mercado secundário valorizaram 7,67% no mês.
  • No ano, a rentabilidade total do TRXF11, que inclui a variação da cota no secundário e a distribuição de dividendos, é de 5,05%, contra -10,07% do IFIX.
  • O número de cotistas do fundo mais do que triplicou em junho e fechou o mês com 1.845 investidores.
  • No mercado secundário, o volume diário médio negociado no mês superou os R$ 850.000,00 por dia, sendo que na segunda metade do mês o volume diário médio de negociação foi superior a R$ 1.100.000,00.
  • Os Imóveis adquiridos nesta segunda tranche são compostos por 4 lojas atacadistas, sendo 3 localizadas em Goiânia/GO e 1 localizada em Campina Grande/PB e 3 lojas varejistas localizadas nas cidades de Teresina/PI, Rio das Ostras/RJ e Araruama/RJ.
  • Também foi divulgado no dia 29 de junho, que foram formalizadas as condições para a aquisição e locação de mais 29 lojas do Grupo Pão de Açúcar, divididas em mais 2 etapas.
  • Uma vez concluída a aquisição dos imóveis prevista até o dia 31 de agosto/20, os fundos terão concluído junto ao Grupo Pão de Açúcar a aquisição de 41 imóveis, com valor total de aproximadamente R$ 1.2 bilhões.

 

TEPP11 (Tijolo/Escritórios) finalizou o mês com um resultado melhor do que o esperado - Destaques de junho

O fundo finalizou o mês de junho com um resultado melhor do que o esperado, mas ainda com incertezas quanto aos próximos meses.

Houve redução na taxa de inadimplência e recuperação de parte dos aluguéis em atraso, trazendo impactos positivos. Entretanto, o prolongamento da paralisação das atividades vem prejudicando os inquilinos de menor porte, tornando as negociações mais desafiadoras.

Considerando os descontos e diferimentos já formalizados no cenário da pandemia, o Fundo fechou o mês com uma inadimplência de 3,2%, abaixo do mês anterior (4,9%).

29% dos aluguéis em atraso foram efetivamente recebidos, resultado de inúmeras negociações por parte da equipe de gestão.

Fundo foi afetado com a saída de dois inquilinos do Ed. Passarelli, Telebrás e IDIS, trazendo um impacto na receita de R$0,005 por cota/mês.

Com essa mudança e com a aquisição dos dois novos conjuntos no mesmo prédio, o fundo passa a ter uma Área BOMA total de 28.549m² e fecha o mês de junho com uma vacância de 8%.

O fundo vai distribuir um dividendo de R$0,50 por cota (dividendo 0,53% no mês, cota base R$ 93,00), fechando com um dividend yield de 6,4% a.a., equivalente a 353% do CDI.

TEPP11 possui participação em 3 edifícios corporativos na cidade de São Paulo.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.

Comentários