04 de junho/20: Fechamento e principais destaques do dia



O IFIX apresentou nesta quinta-feira (04), uma valorização de +0,53%, fechando o dia aos 2.744,80 pontos. No acumulado deste mês de junho e ano de 2020, a variação acumulada do índice é de +3,24% e -13,47%, respectivamente.

hgbs11

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

VRTA11 (Papel/CRI) anuncia a 7ª emissão de cotas no valor próximo de R$ 0,5 bilhão

O fundo comunicou, 04 de junho/20, o início da oferta pública de sua 7ª emissão de cotas.

Destinada a investidores em geral, a distribuição primária será de até 4.291.259 cotas, sem considerar cotas adicionais, com valor unitário de R$ 99,03 (valor não considera a taxa de distribuição primária) perfazendo o valor total de até R$ 424.963.378,77 e o volume mínimo de R$ 44.797.705,95.

Montante Mínimo de Investimento por Investidor: 31 cotas, totalizando o montante de R$ 3.194,55 considerando a taxa de distribuição primária (4,05% ou R$ 4,02). Estima-se que a oferta seguirá o cronograma abaixo:

VRTA11

 

QAGR11 (Tijolo/Indefinido): Cotistas voltaram atrás e cancelaram pedido de assembleia

O administrador BTG Pactual informou que o pedido de convocação referido no fato relevante divulgado em 14 de maio/20, foi formalmente cancelado pelos cotistas que o haviam apresentado.

Na ocasião, foi solicitado ao BTG Pactual que a assembleia ocorresse em até 30 dias, na qual seriam discutidos os seguintes assuntos:

  • Amortização imediata de R$ 35 por cota, ou seja, um total de R$176.400.000;
  • Alteração da razão social do QAGR11 para Quasar Logística Agro e Urbana - Fundo de Investimento Imobiliária;
  • Alteração do objeto (investimento direto e/ou indireto em empreendimentos imobiliários de uso logístico e/ou logístico-industrial) do QAGR11 para Quasar Logística Agro e Urbana – Fundo de Investimento Imobiliária;
  • Alteração de sua Política de Investimento; e
  • Aprovação de que os custos da assembleia requerida pelos cotistas sejam pagos pelo fundo.

Acesse a matéria completa clicando aqui. O QAGR11 também divulgou uma carta explicando todo este ocorrido. Para conferir, acesse a página do fundo clicando aqui, role até o final e clica em “Outros Documentos – 04/06/2020”.

 

HGBS11 (Tijolo/Shoppings): 4 dos 16 ativos já estão abertos. Expectativa é de 100% dos ativos já estarem em funcionamento neste mês

A Hedge Investments, administrador, informou que a operação do Shopping Goiabeiras foi retomada no dia 03 de junho/20. O ativo está localizado na cidade de Cuiabá, estado do Mato Grosso. Sobre os horários de funcionamento, a princípio será em horário reduzido, das 14h às 22h, vedado o funcionamento aos domingos e feriados.

Em adição, no dia 04 de junho/20, foi retomado a operação do Shopping Tivoli localizado na cidade de Santa Bárbara d’Oeste, estado de São Paulo, também em horário reduzido, das 14h às 18h, com abertura permitida de segunda-feira a domingo.

Com isso, esses shoppings se juntam ao I Fashion Outlet Novo Hamburgo e ao Floripa Shopping, que retomaram suas atividades em 15 de maio e 22 de abril, respectivamente. Na figura a seguir, a Hedge apresentou a situação atual da carteira, conforme divisão geográfica.

hgbs11

Juntos, estes ativos representam 16% do portfólio do HGBS11, considerando o patrimônio no fechamento de maio/20.

Os demais shoppings continuam com suas operações suspensas, respeitando as determinações governamentais, com funcionamento apenas das atividades essenciais, operações de delivery e drive thru.

No entanto, em linha com os planos anunciados pelos Governos Estaduais, O HGBS11 está na expectativa de reabertura ainda neste mês de junho. Ao final de junho, espera-se que 100% dos ativos do fundo já estarão em funcionamento, informou a Hedge.

 

BTCR11 (Papel/CRI): Riscos de "ficar sem receber renda" estão fora do radar

Informações e destaques dos resultados em abril/maio 2020:

  • Com a redução da meta Selic no final de março de 4,25% a.a. para 3,75% a.a., houve uma queda pontual na receita dos ativos do fundo aplicados atrelados ao CDI;
  • Por outro lado, os CRIs investidos pelo fundo atrelados a indicadores de correção monetária, principalmente IPCA, obtiveram resultados positivos. Com isso, no mês de abril obteve-se um aumento de 11% no lucro líquido frente ao mês anterior;
  • A distribuição de rendimentos referente ao mês de abril foi de R$ 0,40 por cota, o que representa um dividendo anualizado de 5,70% e mensal de 0,48% se considerado o preço de mercado no fechamento do mês, de R$ 84,17;
  • Não foram adquiridos novos CRI em abril. O rendimento baixo, frente ao potencial do fundo, refletiu o elevado montante em caixa, 25% do patrimônio (75% alocado em CRI), atrelado ao fato de que, nos últimos meses, as operações em estruturação foram adiadas ou canceladas, tendo em vista o foco na proteção do patrimônio do cotista e espera por um momento de menor volatilidade;
  • Até o momento (maio), nenhum dos papéis apresenta risco de inadimplemento ou de deterioração de garantias;
  • Em maio, a rentabilidade da cota foi de positivos 0,77%, partindo de R$84,17 em 30 de abril, para R$84,82 em 29 de maio;
  • No mercado secundário, BTCR11 movimentou cerca de R$ 20 milhões no mês de maio. (Média diária R$ 1 milhão).

O FII BTCR11 é considerado do tipo Papel/CRI que possui 6,1 mil cotistas e um patrimônio líquido (PL) de R$ 467,5 milhões. Com uma gestão ativa, é administrado e gerido pelo grupo BTG Pactual e sua taxa de 1% do PL ao ano é dividida em 0,2% para administração e 0,8% para a gestão.

 

BRVA11 (Tijolo/Outros): Leilão de cotas realizado com sucesso

Seu administrador, Rio Bravo, comunicou que foi realizado, em 29 de maio/20, o leilão das frações de cotas do fundo. O leilão teve preço de venda de R$ 129,10 por cota e negociou o montante total de R$ 1.229.677,50.

O valor proporcional às frações de cota dos cotistas será creditado nas respectivas contas correntes, devidamente informadas aos agentes de custódia, no dia 05 de junho/20.

Importante ressaltar que a alienação da fração de cota tem o mesmo tratamento tributário de uma venda em bolsa, portanto o eventual ganho de capital na venda desta fração em leilão estará sujeito ao recolhimento do imposto de renda (20% sobre o lucro). O cálculo e o pagamento são de exclusiva responsabilidade do investidor.

 

RBIV11 (Papel/CRI): FII investe principalmente em ativos de alta qualidade de crédito (high grade) – Destaques do relatório mensal maio/20

  • Fundo fechou o mês de maio com 96,5% do patrimônio alocado no ativo alvo da estratégia, totalizando 12 CRIs e cotas de 3 FIIs. O restante está aplicado em instrumentos de liquidez.
  • 73,13% do patrimônio estão alocados em ativos indexados à inflação. Como consequência, os dividendos mensais podem sofrer volatilidade;
  • Movimentações do mês: Venda de R$ 248 mil do CRI 4 (BB Mapfre/Aliança); Compra de R$ 1,5 milhão do CRI 12 (GPCI); Compra de R$ 2,5 milhões em cotas de FIIs;
  • O mercado secundário está aquecido para operações com elevada qualidade de crédito. Houve boa oportunidade para venda de CRI em carteira e a Rio Bravo - gestor - continua procurando ativos para compras, além de analisar novas emissões.
  • O rendimento de R$ 0,36 por será distribuído no próximo dia 15 de junho/20. O valor equivale a um dividendo de 0,48% para o mês de maio. (Cota base R$76,34).
  • Rentabilidade da cota foi de negativos 1,49%, partindo de R$77,50 em 30 de abril, para R$ 76,34 em 29 de maio.

 

XP Vista Asset vai fazer uma conferência para falar sobre o cenário econômico atual

A gestora dos FIIs XPIN11, XPLG11, XPCI11, XPPR11, XPSF11, XPHT11, XPML11, XPCM11 está convidando os cotistas e o mercado em geral para uma conferência extraordinária de atualização sobre os Fundos Imobiliários da Gestora e o impacto da pandemia do coronavírus no cenário econômico atual com Pedro Carraz e André Masetti no próximo dia 10 de junho/20, quarta-feira.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários