08 de julho/20: Fechamento e principais destaques do dia



IFIX apresentou nesta quarta-feira (08), uma desvalorização de 0,67%, fechando o dia aos 2.779,58 pontos. No acumulado deste mês de julho e ano de 2020, a variação do índice é de -0,95% e -13,12%, respectivamente.

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

BBPO11 (Tijolo/Bancário), GTWR11 (Tijolo/Escritórios) e BBRC11 (Tijolo/Bancário) esclarecem publicações na mídia sobre devolução de imóveis do locatário Banco do Brasil

Houve publicações na mídia no dia 08 de julho/20 sobre decisão do Banco do Brasil S.A. de devolver edifícios por ele locados, devido a adoção de trabalho remoto (home office) pela instituição, que será implementado em definitivo para parte dos funcionários.

No entanto, o Banco do Brasil S.A., na qualidade de locatário de imóveis dos fundos, não manifestou à BV Asset (gestora dos fundos), até o presente momento, intenção de desocupar os imóveis pertencentes aos fundos.

 

MGFF11 (Fundo de Fundos/FOF): Cotas da 5ª emissão passarão a ser negociadas na B3 no dia 10 de julho/20

Fundo informou os rendimentos pro rata referentes ao período das aplicações financeiras dos recursos captados na 5ª emissão de cotas.

Disse também que a partir de 10 de julho/20, as 1.202.792 cotas da 5ª emissão integralizadas passarão a ser negociadas na B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão, participando em igualdade de condições nas futuras distribuições de rendimentos.

 

HGBS11 (Tijolo/Shoppings) Valor de mercado posiciona o fundo como o maior em portfólio de shopping center - Destaques de junho

  • O fundo distribuirá R$ 0,35 por cota como rendimento referente ao mês de junho (Dividendo 0,16%, cota base R$214,50). O pagamento será realizado em 14 de julho/20, aos detentores de cotas em 30 de junho/20.
  • O valor de mercado da cota do HGBS11 foi de R$ 214,50, valorizando 5,71% no mês. Esse valor representa um valor de mercado total do fundo de R$ 2,1 bilhões, posicionando o HGBS11 como o maior fundo imobiliário de portfólio de shopping center. O valor patrimonial da cota foi de R$ 226,94.
  • O fundo encerrou o mês de junho com investimentos em 16 shopping centers, distribuídos em onze cidades e cinco estados.
  • 87% da carteira de ativos estão alocados em Ativos Imobiliários de shoppings e 13% em Fundos de Investimento Imobiliário Líquidos (FII), Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Fundos de Investimento Imobiliário de Certificados de Recebíveis Imobiliários (FIIs de CRI) e outros ativos de renda fixa (RF).
  • Com 100% de presença nos pregões, HGBS11 movimentou R$ 86,3 milhões, o equivalente a um giro de 4% de suas cotas.

 

VILG11 (Tijolo/Galpões): Todos os imóveis do portfólio encontram-se 100% ocupados - Destaques de junho

Durante o mês de junho o fundo recuperou parte dos recebimentos atrasados, finalizando o mês com uma inadimplência liquida negativa (recuperação) de -2,3%. Além disso, ainda conta nos próximos meses com recuperações de descontos concedidos nos meses anteriores.

Com 53% da receita está exposta a locatários que praticam atividades de e-commerce, 14% ao setor de alimentos e bebidas e 5% ao setor de material hospitalar, e ainda com 46% da carteira exposta a contratos atípicos.

O VILG11 manteve a receita de locação do portfólio estável desde o início da pandemia. Todos os imóveis do portfólio encontram-se 100% ocupados.

O resultado para o mês de junho foi de aproximadamente R$ 0,72 por cota, dos quais foram distribuídos R$ 0,60 por cota (Dividendo 0,47%, cota base R$ 126,50), gerando um resultado acumulado de R$ 0,13 por cota.

A cota ajustada encerrou o mês de junho avaliada a R$ 125,90, uma variação de 9,9% que somada aos rendimentos distribuídos, representou uma rentabilidade de 10,5% no mês.

O Vinci Logística encerrou o mês de junho com 50.721 cotistas e um valor de mercado de R$ 890,4 milhões.

O volume médio diário de negociação foi de R$ 4,9 milhões, que representou um giro equivalente a 12% das cotas do fundo.

Seu portfólio é composto por participação em 9 imóveis, distribuídos em 4 estados do país, totalizando mais de 238 mil m² de ABL próprio.

 

XPPR11 (Tijolo/Escritórios) recebe multa rescisória da WeWork - Destaques de junho

Foi divulgado a distribuição de R$ 0,93 por cota, que corresponde ao dividend yield anualizado de 11,5% e 0,96% no mês, ambos em relação ao valor da cota de mercado no fechamento do mês (R$ 96,90) ou um dividend yield anualizado de 11,2% se considerar o valor do IPO (R$ 100,00/cota). Os rendimentos declarados serão pagos no dia 15 de julho.

A gestão informou que a distribuição de rendimento expressiva divulgada neste mês é oriunda do resultado do recebimento da primeira parcela da multa rescisória da WeWork, a qual ocupava os conjuntos 13 e 14 do Ed. Corporate Evolution. A segunda parcela, de R$ 8 milhões, será liquidada neste mês de julho e está devidamente garantida por meio de depósito garantia já realizado pela própria WeWork.

A segunda parcela será distribuída ao longo do 2º semestre/20, de forma a preservar a estratégia de linearização dos rendimentos.

No mercado secundário, a cota movimentou R$ 26,6 milhões (média diária de R$ 1,2 milhão), mantendo uma tendência de queda se comparado ao montante negociado nos primeiros meses após o IPO em virtude dos impactos do vírus.

Seu portfólio é composto por 4 empreendimentos performados no estado de São Paulo com 11 contratos de locação e 9% de vacância. As propriedades totalizam 36,5 mil m² de ABL próprio.

 

BCRI11 (Papel/CRI) vai distribuir R$ 0,85 por cota no próximo dia 15 de julho - Destaques de Junho

  • O Banestes Recebíveis Imobiliários vai distribuir R$ 0,85 por cota no próximo dia 15 de julho (Dividendos 0,79%, cota base 106,95)
  • Seu portfólio (patrimônio líquido - PL R$ 316 milhões) é composto por 95,4% em ativos de CRI, 2,5% cotas de FII e 2,1% fundos de liquidez. A cota do fundo desvalorizou 1,75% no mês.
  • O Banestes Recebíveis Imobiliários tem como objetivo a aquisição de ativos financeiros de base imobiliária, como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Letras Hipotecárias (LH), quotas de FII, quotas de FIDC, quotas de FI Renda Fixa e Debêntures. O Benchmark do Fundo é IGP-M + 6% a.a.

 

MALL11 (Tijolo/Shopping) Shopping na Bahia vai fechar por uma semana

No dia 06 de julho/20, a Prefeitura do Município de Feira de Santana (Bahia) anunciou um decreto por meio do qual se instituiu a suspensão das medidas de flexibilização e um novo fechamento do comércio em geral, inclusive para shopping centers, que perdurará pelo período compreendido entre o dia 07 de julho e o dia 13 de julho de 2020.

Por este motivo, o Boulevard Shopping Feira retornará ao estado anterior, reduzindo as suas atividades, de modo que será permitido, em horário reduzido, somente o funcionamento de serviços básicos de atendimento à população como supermercado e farmácias, bem como lotérica, correios, clínicas e algumas operações de delivery.

 

XPML11 (Tijolo/Shopping): Ativo do fundo terá atividades suspensas por tempo indeterminado

Em razão do decreto da Prefeitura da Estância Turística de São Roque, que estabelece o fechamento do comércio não essencial e, tendo em vista o Plano São Paulo, que classifica a macrorregião de Sorocaba (na qual São Roque está inserida) novamente na Fase I – Vermelha, a partir do dia 07 de julho/20, o Catarina Fashion Outlet suspenderá temporariamente suas atividades, por tempo indeterminado. As ações de vendas por meio de retirada/pick-up seguirão regularmente, cumprindo com todas as regras impostas pelas autoridades competentes.

Desta forma, o Catarina torna-se o terceiro empreendimento do XP Malls que está com as atividades suspensas, juntando-se ao Shopping Bela Vista e o Natal Shopping que, desde o fechamento em meados de março, ainda não tiveram suas atividades retomadas. Os demais shoppings do portfólio do XP Malls permanecem operando de acordo com as restrições impostas pelas autoridades competentes.

 

HGLG11 (Tijolo/Galpões) 6ª emissão de cotas

Fundo divulgou ao mercado sua oferta pública da 6ª emissão de cotas. Poderão exercer o direito de preferência os cotistas que possuem cotas neste dia 08 de julho/20.

 

IRDM11 (Papel/CRI) 7ª emissão de cotas

O administrador BTG Pactual informou que foi aprovado a 7ª emissão de cotas do fundo.

Respeitado o direito de preferência e o direito de subscrição das sobras e de montante adicional, o valor total da oferta restrita é de até R$ 341.852.697,79, correspondente a até 3.531.901 cotas, pelo valor unitário de R$ 96,79 já inclusa a taxa de distribuição.

 

HSML11 (Tijolo/Shoppings) encerrou o mês com 80.952 cotistas - Destaques de Junho

  • Três shoppings do portfólio voltaram a funcionar em Junho, somando 58.707 m² ou 47% da ABL própria total do fundo. O Shopping Metrô Tucuruvi, o Shopping Granja Vianna e o Super Shopping Osasco.
  • No plano de reabertura do Estado de São Paulo dois destes shoppings já fizeram transição para a fase 3 no final do mês. Assim o horário de funcionamento destes ativos foi ampliado para 6 horas e outros ramos de atividade estão autorizados a abrir.
  • Os shoppings do HSML11 no Nordeste e Norte permanecem fechados. Previsão mais recente é que voltem a funcionar no início da segunda quinzena de Julho. Enquanto isto o fundo mantem o custo operacional no valor mínimo.
  • Nos rendimentos, foram distribuídos R$ 0,18 por cota (Dividendo 0,2%, cota base R$ 89,00). O resultado acumulado no final do semestre é de R$ 0,16/cota.
  • O HSML11 encerrou o mês de Junho com 80.952 cotistas e o valor de mercado de aproximadamente R$ 1,4 bilhões. O volume médio diário de negociações foi aproximadamente R$ 3 milhões. A cota valorizou 6,97% no mês.
  • Seu portfólio é composto por 5 ativos localizados nas regiões Norte, Nordeste e Sudeste do Brasil.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários