08 de junho/20: Fechamento e principais destaques do dia



O IFIX apresentou nesta segunda-feira (08), uma valorização de +0,75%, fechando o dia aos 2.793,52 pontos. No acumulado deste mês de junho e ano de 2020, a variação acumulada do índice é de +5,01% e -11,70%, respectivamente.

fiis

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia 

HGBS11(Tijolo/Shoppings): 5 dos 16 ativos já estão abertos e expectativa é de todos funcionando ainda este mês

  • Passados quase 3 meses desde que as atividades foram suspensas, a expectativa da Hedge é de que ao final de junho todos os shoppings do portfólio estejam abertos, mesmo que com horários reduzidos, fluxo controlado e restrições de alguns segmentos.
  • Atualmente, já são 5 ativos em funcionamento que correspondem a 25% do patrimônio do HGBS11. Os empreendimentos são: Goiabeiras Shopping, Tivoli Shopping, I Fashion Outlet Novo Hamburgo, Floripa Shopping e Parque Dom Pedro.
  • As regiões onde localizam o restante do portfólio (Estados de São Paulo e Rio de Janeiro) já apresentaram planos de reabertura para o comércio.
  • Retomando as atividades, um ponto de preocupação para o HGBS11 é o aumento da vacância que o setor pode sofrer nos próximos meses.
  • As administradoras e o HGBS11 têm adotado diversas medidas que visam minimizar o impacto na saúde financeira dos lojistas para evitar o fechamento das operações.

Rendimentos: Serão R$ 0,35 por cota referente ao mês de maio. Esse valor representa um dividendo de 0,17% (cota base R$ 202,90). O pagamento será realizado no próximo dia 15 aos detentores de cotas em 29 de maio.

Rentabilidade: A cota do HGBS11 desvalorizou 4,2% em maio, partindo de R$212,00 em 30 de abril, para R$ 202,90 em 29 de maio. (Valor patrimonial da cota R$ 224,65).

Liquidez: Com 100% de presença nos pregões foram movimentados R$ 79,7 milhões, equivalente a uma média diária de R$ 3,9 milhões.

Carteira de ativos: São 16 shoppings centers distribuídos em 11 cidades de 5 estados. Esses empreendimentos representam 87% do portfólio. Os 13 % restantes estão aplicados em cota de FIIs, CRI e outros ativos de renda fixa.

 

SDIL11 (Tijolo/Galpões) vai adicionar mais um ativo em seu portfólio

O empreendimento está localizado em Guarulhos, São Paulo, e possui área bruta locável (ABL) de 22.825 m². O Imóvel está totalmente locado para duas empresas.

A aquisição tem valor total de R$ 36.300.000,00 e será paga em 3 parcelas. Contudo, ainda que os valores sejam pagos a prazo, toda a receita de locação do empreendimento será recebida a partir da data do contrato (05 de junho/20).

Será feito um retrofit para modernização do espaço. O investimento estimado para o projeto é de até R$ 14 milhões e a estimativa das gestoras é que o retrofit dure 6 meses e deverá ser iniciado em 2022. O cap rate pós-retrofit é estimado em 9,3%.

 

HFOF11 (Fundo de Fundos/FOF): Cotas valorizam 10% e dividendo expressivo de 0,81%. Destaques dos resultados de maio/20

  • Em 17 de abril de 2020, o Hedge TOP FOFII 3, detentor de mais de 5% das cotas do FII PRSV, solicitou à BEM Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários (BEM DTVM), administradora do FII PRSV, a convocação de assembleia geral extraordinária para deliberar pela substituição da administradora e gestora pela Hedge Investments, bem como a adequação do regulamento do FII PRSV. Cotistas detentores de mais de 25% das cotas emitidas votantes aprovaram a substituição, a qual produzirá efeitos a partir de 18 de junho/20.
  • Sobre o investimento realizado no TBOF11, HFOF11 informou que ao longo do mês de maio, receberam o valor total de R$ 91,3 milhões, referente à amortização final e rendimentos.
  • Foram realizados R$ 32,3 milhões em aquisições de cotas de FIIs ao longo do mês de maio.
  • Considerando o agregado dos meses de março a maio foram realizados R$ 359 milhões em investimentos, por meio do aumento da participação em ativos do portfólio e pelo início de novas posições. O valor foi investido em fundos de tijolos nos segmentos de shopping-centers (35% do volume total) e de lajes corporativas (31% do volume total), buscando alocar em ativos resilientes, por serem considerados de difícil replicação, muitos deles com importante desconto em relação ao valor patrimonial e ao valor de reposição destes empreendimentos.

Rendimentos: HFOF11 distribuirá R$ 0,90 por cota referente ao mês de maio. Esse valor representa um dividendo de 0,81% (cota base R$ 109,98). O pagamento será realizado no próximo dia 15 aos detentores de cotas em 29 de maio.

Rentabilidade: A cota do HFOF11 valorizou 10%, partindo de R$99,48 em 30 de abril, para R$ 109,98 em 29 de maio.

Liquidez: Com 100% de presença nos pregões foram movimentados R$ 67 milhões, equivalente a uma média diária de R$ 3,3 milhões.

Carteira de ativos: 95% alocado em cotas de fundos imobiliários e os restantes 5% em ativos de renda fixa.

 

XPLG11 (Tijolo/Galpões) 4ª emissão de cotas, obras em finalização e mais destaques dos resultados de maio

  • No dia 21 de maio/20, foi publicado fato relevante comunicando a aprovação da 4ª emissão de cotas no montante de R$ 500.000.091,63, correspondente a 4.573.311 cotas pelo preço de R$ 109,33 por cota, sem considerar a taxa de distribuição primária (R$ 3,75).
  • Gestora concluiu a negociação com o único locatário inadimplente do XPLG11, a qual resultou na continuidade do referido contrato com impactos pouco representativos no resultado.
  • As obras do centro de distribuição Leroy, com área construída de 110.163,0 m², permanecem em conformidade com o cronograma previsto de entrega, ou seja, junho de 2020.
  • Já as obras do Centro Logístico Especulativo, com área construída de 125.717,0 m², permanecem em conformidade com o cronograma previsto de entrega, 1º trimestre de 2021. No entanto, diante dos impactos da pandemia, este cronograma poderá ser alterado.
  • O XPLG11 possui 23 contratos vigentes e 66% da sua receita imobiliária total atrelada aos contratos atípicos.
  • Por outro lado, é importante mencionar que o fundo está exposto a diversos setores da economia, como, por exemplo, o comércio varejista em geral (43,0%), o qual foi atingido severamente. Isto posto, até a presente data, foram recebidos 13 pedidos para flexibilização de alugueis.

Rendimentos: XPLG11 distribuirá R$ 0,54 por cota referente ao mês de maio. Esse valor representa um dividendo de 0,47% (cota base R$ 115,00). O pagamento será realizado no próximo dia 15 aos detentores de cotas em 29 de maio.

Rentabilidade: A cota valorizou 2,24%, partindo de R$112,48 em 30 de abril, para R$ 115,00 em 29 de maio.

Liquidez: Com 100% de presença nos pregões, ocorreram 830.244 negociações no período, movimentando um volume de R$ 96 milhões. A liquidez média diária foi de R$ 4,8 milhões.

Carteira de ativos: São 15 empreendimentos logísticos com 23 contratos de locação. Esses imóveis equivalem a 99% do patrimônio e os restantes 1% estão alocados em ativos de renda fixa.

 

ALZR11 (Tijolo/Híbrido): Comunicou aquisição de ativo construído em uma operação Built-to-Suit e locado via um contrato atípico

O BTG Pactual e o Alianza gestão de recursos, administrador e gestor, respectivamente informaram que o fundo adquiriu, conforme comunicados ao mercado de 21/08/2019, 30/08/2019 e 04/10/2019, o empreendimento APTIV Espirito Santo do Pinhal/SP no dia 05 de junho/20.

A propriedade foi construída em uma operação Built-to-Suit e locado via um contrato atípico para a APTIV Manufatura e Serviços de Distribuição Ltda.

 

VISC11 (Tijolo/Shoppings) tem 5 shoppings de seu portfólio em funcionamento, que representam 53% da receita imobiliária – Destaques de maio

  • Dois novos shoppings do fundo foram reabertos: o shopping Pátio Belém, que reabriu no dia 06 de junho/20, e o Iguatemi Fortaleza, que retomará suas atividades a partir da data de hoje, 08 de junho/20.
  • O Prudenshopping, Iguatemi Florianópolis e Shopping Crystal, ativos que já estavam abertos, junto dos shoppings Pátio Belém e Iguatemi Fortaleza, o fundo atualmente tem 5 shoppings de seu portfólio em funcionamento, que representam 53% da receita imobiliária esperada.
  • O VISC11 ultrapassou a marca de 150 mil cotistas no mês de maio. Seu valor de mercado é de R$ 1,4 bilhões.
  • A Vinci Partners, por sua mera liberalidade, decidiu reduzir 50% da parcela da taxa de administração a que faz jus em relação ao mês de maio, sendo que o referido montante será pago ao Gestor em 3 parcelas iguais, nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2020.

Rendimentos: O VISC11 vai distribuir R$ 0,23 por cota referente ao mês de maio. Esse valor representa um dividendo de 0,23% (cota base R$ 99,60). O pagamento será realizado no próximo dia 15 aos detentores de cotas em 29 de maio. O fundo encerrou o mês com uma reserva de resultado não distribuído de R$ 0,19 por cota.

Rentabilidade: A cota valorizou 1,47%, partindo de R$ 98,15 em 30 de abril, para R$ 99,60 em 29 de maio.

Liquidez: Com 100% de presença nos pregões, o volume médio diário de negociação foi de R$ 2,5 milhões, o que representou um giro equivalente a 4% das cotas.

Carteira de ativos: Seu portfólio é composto por participação em 13 shoppings em 9 diferentes estados, administrados por 7 administradoras distintas, totalizando mais de 106 mil m² de ABL própria.

 

QAGR11 (Tijolo/Indefinido) apresenta proposta de aquisição de estrutura de armazenagem pelo valor de R$ 98 milhões

A Quasar Asset, gestora, informou que em 25 de maio/20 assinou uma proposta de aquisição de 03 estruturas de armazenagem no montante de até R$ 98 milhões. São elas:

  • Unidade em Nova Ponte (MG) com 110.000 toneladas de capacidade estática;
  • Unidade em Uberlândia (MG) com 130.000 toneladas de capacidade estática;
  • Unidade em Jataí (GO) com 60.000 toneladas de capacidade estática.

As unidades atualmente estão locadas para a empresa BRF S.A que permanecerá como locatária de todas.

De acordo com o documento, a proposta tem caráter vinculante para o vendedor e seus sucessores e será implementada mediante condições precedentes acordadas entre as partes além de garantir exclusividade para a QAGR11 pelo período de 120 dias contados a partir da data de assinatura da proposta, no dia 04 de junho/20.

 

HSML11 (Tijolo/Shoppings) FII encerrou o mês com uma reserva de resultado não distribuído de R$ 0,31 por cota – Destaques de maio

No final de Maio todos os shoppings do portfólio permaneciam temporariamente fechados.

Rendimentos: O fundo manteve a metodologia de distribuição mínima equivalente ao CDI sobre o valor patrimonial. Portanto, foram distribuídos R$ 0,18 por cota. Esse valor representa um dividendo de 0,21% (cota base R$ 83,20). O pagamento foi realizado no dia 05 de junho aos detentores de cotas em 29 de maio. O fundo encerrou o mês com uma reserva de resultado não distribuído de R$ 0,31 por cota ou R$ 4.891.990,03.

Rentabilidade: A cota desvalorizou 0,35%, partindo de R$ 83,50 em 30 de abril, para R$ 83,20 em 29 de maio.

Carteira de ativos: Seu portfólio é composto por participação em 4 shoppings em 3 diferentes estados. São 555 lojas no comando do HSML11, no total.

O fundo encerrou o mês de maio com 75.727 cotistas e valor de mercado de aproximadamente R$ 1,3 bilhões. O volume médio diário de negociações foi próximos R$ 2 milhões.

 

VILG11 (Tijolo/Galpões): Apesar dos efeitos da pandemia, o VILG11 recebeu 96,6% dos valores devidos de aluguel para o mês de maio

  • A exposição da receita do fundo a locatários que praticam o comércio eletrônico aumentou de 38% para 51% 4 após a aquisição do Extrema Business Park I, locado 100% para a Tok&Stok por meio de um contrato típico, com prazo de vigência de 10 anos, iniciado em abril/20.
  • Apesar dos efeitos da pandemia, o VILG11 recebeu 96,6% dos valores devidos de aluguel para o mês de maio. Foram concedidos diferimentos a locatários afetados pela crise, o equivalente a 0,4% da receita, e que deverão ser pagos nos meses subsequentes.
  • Três locatários do ativo Airport Town não efetuaram o pagamento do aluguel até a data de vencimento e dois locatários regularizaram pagamentos atrasados, o que resultou em uma inadimplência líquida no mês de 3%.

Rendimentos: O VILG11 vai distribuir R$ 0,52 por cota referente ao mês de maio. Esse valor representa um dividendo de 0,45% (cota base R$ 115,03). O pagamento será realizado no próximo dia 15 aos detentores de cotas em 29 de maio. O fundo encerrou o mês com uma reserva de resultado não distribuído de R$ 0,02 por cota.

Rentabilidade: A cota valorizou 2,03%, partindo de R$ 112,74 em 30 de abril, para R$ 115,03 em 29 de maio.

Liquidez: Com 100% de presença nos pregões, o volume médio diário de negociação foi de R$ 3,8 milhões, o que representou um giro equivalente a 10% das cotas.

Carteira de ativos: Seu portfólio é composto por participação em 9 imóveis, distribuídos em 4 estados do país, totalizando mais de 238 mil m² de ABL próprio.

O VILG11 encerrou o mês de maio com 39.039 cotistas e um valor de mercado de R$ 809,7 milhões.

 

RECT11 (Híbrido): Aquisição de novo ativo vai custar R$ 27,6 milhões

Fundo se comprometeu a adquirir da Construtora Canopus São Paulo Ltda., 4 andares gerando 100% de renda, com área locável de 4.149,12 m² e um cap rate de 9,78% ao ano.

Os imóveis estão localizados no Condomínio Canopus Corporate Alphaville, situado na Avenida Tamboré, Barueri, SP.

O valor total da transação é de R$ 27.637.000,00 do qual R$ 3.896.500,00 foi pago à vista no dia 08 de junho/20, na assinatura do Contrato de Venda e Compra, mediante a transferência da posse indireta dos imóveis. O restante do preço de aquisição será pago em até 24 meses.

O BRL TRUST, administrador, disse que após concluída a transação, a distribuição de rendimentos deverá ficar em aproximadamente R$ 0,81 por cota.

Estamos chegando no fim do prazo para declarar os FIIs no imposto de renda. Você já sabe como faz? Preparamos um conteúdo bem detalhado e gratuito. Confira!

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários