09 de junho/20: Fechamento e principais destaques do dia



O IFIX apresentou nesta terça-feira (09), uma desvalorização de 0,04%, fechando o dia aos 2.792,45 pontos. No acumulado deste mês de junho e ano de 2020, a variação acumulada do índice é de +4,97% e -11,74%, respectivamente.

fiis

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia 

MALL11 (Tijolo Shoppings): Abertura de Shopping

Fundo informou que no último sábado, 06 de junho/20, o Shopping Park Lagos reativou as suas atividades, possibilitando o funcionamento de todas as lojas, exceto operações de lazer, entretenimento e a praça de alimentação - bares, lanchonetes e restaurantes podem funcionar em sistema de delivery e take-away - com horário de funcionamento reduzido, das 12 horas às 20 horas, inclusive fins de semana.

O MALL11 atualmente detém participação nos seguintes ativos: 1) Maceió Shopping (Maceió - AL); 2) Shopping Tacaruna (Recife - PE); 3) Suzano Shopping (Suzano - SP); 4) Shopping Taboão (Taboão da Serra-SP); 5) Boulevard Shopping Feira (Feira de Santa - BA); 6) Shopping Park Lagos (Cabo Frio – RJ); e 7) Shopping Park Sul (Volta Redonda - RJ).

 

RCRB11 (Tijolo/Escritórios) recebe vários aluguéis atrasados – Destaques de maio

  • Em 08 de maio, foi assinado um Compromisso de Compra e Venda de Imóvel (CCV) para uma possível alienação da participação em um dos imóveis que compõem o portfólio do fundo, o que deverá gerar resultado extraordinário para os cotistas;
  • Em 26 de maio houve inadimplência da locatária Vip Office - Locação de Escritórios e Serviços LTDA, que ocupa 11 andares do edifício Parque Santos, nos meses de competência março e abril. O fundo recebeu o pagamento de 50% dos aluguéis em atraso referentes às competências de ambos os meses da Locatária.
  • Também foi assinado, na mesma data (26), um acordo extrajudicial com a locatária para o recebimento dos outros 50% que foram depositados em juízo e serão revertidos a favor do fundo. A locatária representa aproximadamente R$ 0,11 por cota no resultado do fundo.
  • A locatária Wework Serviços de Escritório LTDA., que ocupa o empreendimento Girassol 555, pagou em atraso o aluguel de competência abril, com vencimento em maio.
  • A Caixa Econômica Federal, locatária do 20º andar do Edifício Cetenco Plaza, comunicou o interesse na rescisão antecipada do contrato de locação, com cumprimento do aviso prévio até abril. A locatária ainda não realizou a entrega do imóvel e permanece como locatária, honrando os aluguéis no período e deve permanecer no imóvel até o final de junho/20.

Rendimentos: O RCRB11 apresentou resultado de R$ 0,67/cota e distribuição de R$ 0,75/cota para maio.

Rentabilidade: A cota valorizou 2,71%, partindo de R$ 165,50 em 30 de abril, para R$ 170,00 em 29 de maio. O valor de mercado do fundo teve aumento de 34,8% em 12 meses.

Liquidez: O número de cotas negociadas no mês de maio teve diminuição de 30% frente ao mesmo período do ano anterior e o volume médio diário negociado no mês caiu 22% no mesmo período.

Carteira de ativos: O patrimônio do RCRB11 é composto por 11 ativos localizados nas cidades de São Paulo (92,6%) e Rio de Janeiro (7,4%).

O RCRB11 encerrou o mês de maio com 20.509 cotistas e um patrimônio de R$ 589,8 milhões.

 

HGRU11 (Tijolo/Educacional) dispõe de R$ 0,25 por cota de resultado acumulado – Destaques de maio

  • Distribuição de R$ 0,68 por cota. Dividendo de 0,58% no mês (cota base R$ 115,97). Não houve nenhum impacto fora do previsto no resultado do fundo.
  • No mês, HGRU11 apresentou um resultado de R$ 7,8 milhões (R$ 0,72 por cota). Ao final de maio havia distribuído 96% do resultado apurado no semestre e detinha R$ 2,5 milhões (R$ 0,25 por cota) de resultado acumulado.
  • Fundo vendeu parte das suas posições em fundos de investimentos imobiliários para gerar caixa destinado ao cumprimento de suas obrigações de curto prazo, vendas estas que geraram um lucro bruto de aproximadamente R$ 1 milhão (R$ 0,10 por cota).
  • Em relação ao fluxo de aluguéis, todos os alugueis cobrados foram recebidos, sendo que não houve nenhuma inadimplência. Houve apenas um pequeno adiantamento de um dos alugueis cobrados atualmente pelo fundo.
  • A receita atual centrado dos imóveis educacionais representam atualmente 40% da receita total imobiliária, e, esses diferimentos por ora já acordados com os respectivos locatários, trará um impacto negativo de 17% na receita contratada, que serão cobrados nos meses seguintes a partir de setembro/20.
  • Fundo firmou um compromisso de adquirir um imóvel com destinação educacional localizado na cidade de São Paulo. O valor a ser desembolsado pelo fundo para a aquisição do Imóvel é de R$ 81.4 milhões.
  • A administradora informou sobre o término do Período de Exercício do Direito de Preferência, que contou com a subscrição de 1.360.904 cotas no valor de R$ 107,40 por cota, excluídos os valores referentes ao custo unitário de distribuição, ou seja, R$ 146.161.089,60.

 

HGRE11 (Tijolo/Escritórios) encerrou o mês com 21,18% de vacância – Destaques de maio

  • A carteira de imóveis do fundo encerrou o mês de maio com 21,18% de vacância financeira e 21,62% de vacância física, ou seja, em comparação com o mês de abril não houve alteração de área ocupada, apenas da vacância financeira por conta de reajustes de contratos.
  • Em relação ao fluxo de aluguéis, HGRE11 recebeu 87,58% dos alugueis cobrados, sendo que 0,70% foram inadimplência e 11,72% foram diferimentos.

Rendimentos: No mês de maio a distribuição foi de R$ 0,57 por cota, equivalente a um dividendo de 0,39% para o mês (cota base R$144,49).

Rentabilidade: A cota do HGRE11 desvalorizou 1,1%, partindo de R$146,10 em 30 de abril, para R$ 144,49 em 29 de maio.

Liquidez: Com 100% de presença nos pregões, foram movimentados R$ 65,1 milhões, equivalente a uma média diária de R$ 3,25 milhões.

Carteira de ativos: São 22 lajes corporativas distribuídas nas regiões sul e sudeste do Brasil. Esses empreendimentos representam 97% do portfólio. Os 3% restantes estão aplicados em cota de FIIs, CRI e outros ativos de renda fixa.

 

HGPO11 (Tijolo/Escritórios) manteve a distribuição em R$ 0,89 por cota - Destaques de maio

O fundo recebeu 92,40% dos alugueis cobrados, sendo que 5,11% foram diferimentos e 2,49% foi inadimplência. A inadimplência, no entanto, será revertida em caixa no próximo mês pois o locatário sanou as pendências na primeira semana do mês de junho.

Rendimentos: No mês de maio, o HGPO11 manteve a distribuição em R$ 0,89 por cota (dividendo 0,44%, cota base R$ 200,50) a serem pagos até 12 de junho, sendo que a geração de caixa do fundo foi de R$0,88 por cota.

Rentabilidade: A cota desvalorizou 0,23%, partindo de R$200,98 em 30 de abril, para R$ 200,50 em 29 de maio.

Liquidez: Com 100% de presença nos pregões, foram movimentados R$ 10,7 milhões, equivalente a uma média diária de R$ 0,53 milhões.

Carteira de ativos: São 2 lajes corporativas localizadas na cidade de São Paulo. Esses empreendimentos representam 99,7% do portfólio. Os 0,3% restantes estão aplicados em ativos de renda fixa.

 

HGFF11 (Fundo de Fundos/FOF) Destaques das movimentações e resultados de maio

A cota do fundo negociada na B3, ajustada por rendimentos reinvestidos, apresentou variação de 1% e a cota patrimonial de 0,9% (vs. 2,1% do IFIX), sendo que o fundo gerou o resultado de R$ 0,37 por cota.

O fundo reduziu a distribuição para R$ 0,50 por cota (dividendo 0,54%, cota base R$ 91,38), refletindo os rendimentos recebidos pelo fundo no mês, além da alocação do caixa em renda fixa e o resultado obtido na alienação de cotas em mercado secundário.

HGFF11 encerrou o mês de abril com 91,9% do PL alocado em 24 fundos imobiliários e 1 CRI, tendo negociado, aproximadamente, R$ 13,13 milhões em cotas de FIIs no mercado secundário no mês.

Durante o mês de maio, o fundo realizou vendas parciais de XPML11, IRDM11, UBSR11, VISC11, VILG11 e XPLG11, sendo o último decorrente da possibilidade de exercício do direito de preferência em patamar inferior ao preço de venda realizado. Em contrapartida, aumentaram exposição estratégica em HGRE11 e tática em XPCI11.

Liquidez: Com 100% de presença nos pregões, foram movimentados R$ 6,3 milhões, equivalente a uma média diária de R$ 0,31 milhões.

Carteira de ativos: São 90,2% do portfólio alocado em cotas de FIIs. Os 9,8% restantes estão aplicados em ativos de renda fixa e CRI.

 

GRLV11 (Tijolo/Galpões) distribuiu 93,6% do resultado apurado no semestre - Destaques de maio

O fundo recebeu 100% dos alugueis cobrados, sendo que não houve nenhuma inadimplência ou diferimento de aluguéis no mês de maio.

Manteve a distribuição em R$ 0,64 por cota (dividendo 0,53%, cota base R$ 120,00) dado que, apesar da pandemia, não houve nenhum impacto no resultado do fundo. Até o momento, o GRLV11 distribuiu 93,6% do resultado apurado no semestre.

O fundo apresentou um resultado total de R$ 928 mil (R$ 0,86 por cota), um aumento que foi impactado principalmente pelo reajuste anual e pelo término de um período de desconto do aluguel da locatária Ambev S.A.

Rentabilidade: A cota desvalorizou 2,56%, partindo de R$117,00 em 30 de abril, para R$ 120,00 em 29 de maio.

Liquidez: Com 100% de presença nos pregões, foram movimentados R$ 2,9 milhões, equivalente a uma média diária de R$ 0,14 milhões.

Carteira de ativos: Mono ativo de galpão logístico.

 

HGCR11 (Papel/CRI) dispõe de R$ 0,52 por cota de resultados acumulados - Destaques de maio

No dia 12 de junho, será pago o valor de R$ 0,56 por cota referente aos rendimentos de maio (dividendo 0,54%, cota base R$ 103,60).

Durante o mês, a cota ajustada do fundo em bolsa apresentou variação de +6,4%.

O fundo apresentou resultado total de R$ 6,0 milhões (R$ 0,48/cota) e ao final do mês havia distribuído 91,3% do resultado apurado no semestre e detinha, ainda, R$ 6,4 milhões (R$ 0,52/cota) de resultados acumulados em períodos anteriores e ainda não distribuídos.

Fundo segue monitorando ativamente todas as posições de nossa carteira de créditos, de modo a tentar antecipar e/ou tratar eventuais problemas decorrentes do agravamento da crise provocada pelo coronavírus.

Durante o mês, foi realizada movimentação total entre compras e vendas de aproximadamente R$ 43 milhões.

Liquidez: Com 100% de presença nos pregões, foram movimentados R$ 37,9 milhões, equivalente a uma média diária de R$ 1,89 milhões.

 

NSLU11 (Tijolo/Hospital) vai receber R$ 5 milhões

O fundo informou que referente à ação revisional de aluguel ajuizada em 2011 face Hospital Nossa Senhora de Lourdes, receberá R$ 5.069.865,56. Assim que tal valor for recebido a administradora (BTG Pactual) informará o mercado e os cotistas. Ainda há depositado em juízo o valor histórico de R$ 1.666.755,37 sobre o qual as partes ainda discutem e por esta razão, ainda não há autorização para levantamento pelo fundo.

 

SADI11 (Papel/CRI): Administrador diz que desvalorização não reflete o valor patrimonial da carteira (R$ 100,38/ cota), que encontra-se 100% adimplente

O fundo está com 97,2% de seu patrimônio alocado em CRI

O SADI11 teve uma desvalorização de 8,35% durante o mês de maio, encerrando o mês negociado a R$ 73,50 por cota. No ano, a desvalorização da cota está em 26,49%. Esta desvalorização não reflete o valor patrimonial da carteira (R$ 100,38/ cota), que encontra-se 100% adimplente, destacou o administrador.

No dia 12 de junho/20, será pago o valor de R$ 0,24 por cota referente aos rendimentos de maio (dividendo 0,32%, cota base R$ 73,50).

No mercado secundário, foram negociados R$ 9.096.526 em cotas. Este volume representa uma liquidez diária média de R$ 454,8 mil.

 

SARE11 (Híbrido): Carteira de imóveis permaneceu 100% locada, com todos os locatários adimplentes - Destaques de maio

O fundo assinou um novo contrato de locação, referente ao 9º andar do Edifício Work Bela Cintra. Trata-se da expansão de um locatário que já ocupa outros andares no imóvel. O prazo deste novo contrato é de 100 meses e o valor nominal da locação está 31% acima da média dos outros andares.

  • A carteira de imóveis do fundo permaneceu 100% locada, com todos os locatários adimplentes.
  • O valor de mercado da cota no último dia útil de maio foi de R$ 85,49 representando uma desvalorização de aproximadamente 7,9% no mês.
  • No mercado secundário, foram negociados R$6.049.314,80 em cotas. Este volume representa uma liquidez diária média de R$ 302.465,00.
  • No dia 15 de junho/20, será pago o valor de R$ 0,26 por cota referente aos rendimentos de maio (dividendo 0,3%, cota base R$ 85,49).

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários