10 de junho/20: Fechamento e principais destaques do dia

O IFIX apresentou nesta quarta-feira (10), uma valorização de 0,25%, fechando o dia aos 2.799,38 pontos. No acumulado deste mês de junho e ano de 2020, a variação acumulada do índice é de +5,22% e -11,49%, respectivamente.

fiis

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia 

RCFA11 (Tijolo/Desenvolvimento): Gestor renuncia posição

A FRAM Capital S.A., administrador, informa ao mercado recebeu a renúncia do gestor FRAM Capital – Gestão de Ativos LTDA., tendo em vista que é o administrador quem faz a gestão dos ativos imobiliários de Fundos de Investimento Imobiliário.

 

PQDP11 (Tijolo/Shoppings): Shopping já está aberto para receber clientes

O Shopping Parque Dom Pedro voltou a receber clientes e retomou suas atividades em 08 de junho/20, com horário reduzido, das 16h às 20h, adotando medidas de distanciamento social como meio de conservar a saúde de seus clientes, colaboradores e lojistas.

 

VIFI11 (Fundo de Fundos/FOF) vai iniciar seus negócios na bolsa de valores - B3

No próximo dia 10 de junho/20 serão iniciados, no mercado de bolsa, os negócios com as cotas do Vinci Instrumentos Financeiros FII.

Em sua 2ª emissão de cotas, encerrada em 04 de junho/20, foram subscritas 1.340.562 cotas, ao preço de R$ 96,17 por cota, sendo o valor total de R$ 128.921.847,54.

O VIFI11 é destinado a investidores em geral.

 

RVBI11 (Fundo de Fundos/FOF): Ganho de capital acumulado está estimado em R$ 1,48 por cota - Destaques de maio

  • No mês, o patrimônio líquido do VBI REITS avançou +1,1%, encerrando maio em R$ 92,23 por cota.
  • O retorno total do fundo, que abrange a variação do patrimônio líquido mais as distribuições acumuladas desde o início de suas operações em 4 de fevereiro, é de -6,8%.
  • Apesar da queda de 6,8% do patrimônio líquido (incluindo dividendos), as cotas negociadas no mercado secundário encerraram maio cotadas R$ 78,70, o que indica deságio de 14,7% em relação ao seu valor patrimonial (R$ 92,23).
  • Com base no resultado do mês foi anunciado a distribuição de R$ 0,34 por cota, o que representa 5,2% de dividend yield sobre o valor de fechamento da cota (R$ 78,70).
  • A distribuição tem como base apenas a receita com dividendos dos fundos em carteira, sem qualquer realização de ganho de capital acumulado. A estimada está em R$ 1,48 por cota ao final de maio.
  • A receita com dividendos dos 18 fundos em carteira usada como base da distribuição foi 27% menor do que a média destes mesmos fundos no primeiro trimestre de 2020.
  • De todos os fundos na carteira do VBI REITS há apenas um caso de inadimplência, que representa queda de 0,2% na receita.
  • A distribuição poderá ser eventualmente potencializada pela realização de ganho de capital com a alienação de cotas e a alocação dos 8,3% do patrimônio líquido do fundo que ainda se encontra em caixa.
  • No terceiro mês de operações no mercado secundário, RVBI11 registrou média diária de negociação de R$ 283,4 mil, encerrando abril com R$ 5,7 milhões em transações, o que representa um giro de 5,0% em relação ao seu valor de mercado.
  • RVBI11 encerrou o mês de maio com 89% do patrimônio líquido alocados em 18 fundos imobiliários e 2% alocados em CRI. Ainda resta R$11,0 milhões em caixa para alocações futuras.

 

VLOL11 (Tijolo/Escritórios): Resultado a ser distribuído aos cotistas em junho apresenta valores maiores ao histórico recente do fundo - Destaques de maio

  • Apesar do momento ainda se mostrar desafiador, os imóveis do fundo continuam 100% locados com recuperação da inadimplência de abril e nenhuma inadimplência em maio.
  • Em 12 de junho serão distribuídos lucros do mês de maio, no valor total de R$ 0,62 por cota. (Dividendo 0,6%, cota base R$ 102,01). A distribuição reflete um Dividend Yield anualizado de 7,3%.
  • O resultado de caixa a ser distribuído aos cotistas em junho apresenta valores maiores ao histórico recente do fundo. Tal fato se deve à recuperação de 100% do valor principal do aluguel inadimplido no mês de abril.
  • As cotas no mercado secundário fecharam no último dia útil de maio a R$ 102,01, valorizando 2,01% no mês.

O VLOL11, constituído sob a forma de condomínio fechado em Agosto/12, investe em 6 lajes da Torre B do empreendimento comercial classe AAA Vila Olímpia Corporate. Com os recursos captados em sua primeira emissão, o FII realizou a aquisição do ativo pelo valor de R$ 166.777.200,00. Após emissão do Habite‐se em Agosto/13, o FII iniciou o período de 12 meses de maturação do investimento no qual a empresa desenvolvedora remunerou o cotista com a taxa de 9% a.a. líquido mediante o pagamento do prêmio de locação. Após este período, as receitas imobiliárias do FII passaram a ser provenientes exclusivamente do resultado operacional do Vila Olímpia Corporate.

 

RCRI11 (Papel/CRI): Destaques de maio

  • No mês de maio o fundo RCRI11 apresentou rentabilidade de 92,6% do CDI.
  • A proteção (hedge) utilizada nos ativos que são indexados ao IPCA na carteira apresentou desempenho negativo pelo fato de ter havido fechamento da curva de juros durante o mês.
  • O resultado da soma dos rendimentos dos ativos indexados ao IPCA com esta proteção gerou performance líquida de 19,4% do CDI no mês.
  • O carrego dos ativos sofreu leve redução fruto do corte da taxa básica de juros e da inflação menor projetada para o mês.
  • A posição no fundo do UBSR11 teve uma contribuição relevante positiva dado que no mês sua cota valorizou na ordem de 10%.
  • O RB Capital Rendimentos Imobiliário tem rentabilidade acumulada em 2020 de 84.6% do CDI.
  • O RCRI11 fechou o mês de maio com posição de caixa de aproximadamente 3% do patrimônio, sendo que parte desse valor deverá ser utilizada para compra de CRI, que estão em análise.
  • Para alocação do restante, a gestão está mapeando o mercado secundário com foco em ativos indexados ao CDI.
  • Por fim, a perspectiva é uma redução da participação de FII na carteira do fundo, com intuito de reduzir a volatilidade da cota.

 

RBGS11 (Tijolo/Shoppings): Receita está sendo utilizado para arcar com as despesas de manutenção do equipamento - Destaques de maio

  • O FII investe no Parque Shopping Sulacap por meio da aquisição de participação equivalente a 44% do empreendimento localizado na cidade do Rio de Janeiro e é administrado pela General Shopping Brasil.
  • Com a drástica redução das receitas do shopping no mês de abril, tendo o shopping finalizado o referido mês com resultado operacional negativo, o RBGS11 não recebeu qualquer repasse no mês de maio, portanto, não havendo qualquer valor a distribuir no dia 12 de junho.
  • No mercado secundário houve 677 negociações em maio, movimentando um volume de aproximadamente R$ 600 mil.
  • Indicadores do Shopping Sulacap em abril/20: - Vendas: redução de 95,2% com relação a abril/19; - Fluxo de veículos: redução de 95,8% com relação a abril/19; - Inadimplência líquida: Apenas 54,8% do aluguel faturado no mês e 11,2% nos últimos 12 meses.
  • Com o agravamento da crise e a redução de aproximadamente 90% da receita efetivamente recebida no empreendimento, o consumo do caixa do empreendimento, que estava destinado para ações comercias, está sendo utilizado para arcar com as despesas de manutenção do equipamento.

 

MXRF11 (Híbrido): Administrador convoca assembleia para falar sobre 6ª emissão de cotas do fundo

O BTG Pactual, administrador, apresentou aos seus cotistas uma proposta com a intensão de realizar sua 6ª emissão de cotas no montante de até R$ 501 milhões, observado que o valor exato do montante inicial da oferta e da quantidade correspondente de cotas serão divulgados quando da definição do preço de emissão.

O assunto será levado a assembleia proposta para o próximo dia 15 de julho/20 a ser realizada de forma não presencial, por meio de consulta formal.

 

RFOF11 (Fundo de fundos/FOF) continua adotando uma postura seletiva em relação às alocações, tendo em vista a análise dos fundamentos imobiliários - Destaques de maio

  • Acreditamos que o fato do RFOF11 possuir um tamanho relativamente menor que a média dos fundos de fundos da indústria, de aproximadamente R$ 350 milhões, nos coloca em um posicionamento favorável nesse contexto.
  • Em relação à composição da carteira do RFOF11, o fundo finalizou o mês de maio com 72,6% do patrimônio líquido alocado em cotas de fundos de investimento imobiliários e mantinha um volume de aproximadamente 27% dos recursos em caixa.
  • O portfólio do RFOF11 está diversificado setorialmente, pulverizado em 23 fundos, com maior exposição no estado de SP e em ativos de alta qualidade.
  • O fundo distribuirá R$ 0,24 por cota, como rendimento referente ao mês de maio, aos detentores de cotas no final do dia 29 de maio.
  • Os proventos pagos pelos FIIs no mês de maio continuaram a sofrer efeitos negativos da crise, consequentemente impactando as receitas.
  • Mesmo diante dessa melhora do mercado, o fundo continua adotando uma postura seletiva em relação às alocações, tentando identificar aqueles fundos que trazem maior visibilidade e mantendo a disciplina no processo de investimento, tendo em vista a análise dos fundamentos imobiliários.

 

SHPH11 e FVPQ11 (Tijolo/Shoppings): Shoppings vão reabrir no feriado de Corpus Christi

O administrador BTG Pactual informou que os Shoppings Pátio Higienópolis (SHPH11) e o Via Parque Shopping (FVPQ11) retomarão as atividades a partir de 11 de junho/20 (feriado nacional de Corpus Christi), em horário de funcionamento reduzido, conforme determinação do poder público local.

O Shopping seguirá rígido protocolo de prevenção em suas operações, em linha com as recomendações das autoridades de saúde, como intensificação da limpeza das áreas comuns e orientações de distanciamento para o público, com o objetivo de garantir a segurança e a saúde de todos os clientes, lojistas, colaboradores e fornecedores.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.

Comentários