24 de junho/20: Fechamento e principais destaques do dia

O IFIX apresentou nesta quarta-feira (24), uma desvalorização de 0,24%, fechando o dia aos 2.786,72 pontos. No acumulado deste mês de junho e ano de 2020, a variação acumulada do índice é de +4,77% e -11,94%, respectivamente.

fiis

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

OULG11 (Tijolo/Logística) teve 2ª maior movimentação no mercado secundário em 12 meses - Destaques de maio

No dia 13 de maio a administração recebeu a 1ª Proposta Formal da Mercedes-Benz, solicitando redução do valor de locação por conta da pandemia. O processo de negociação se encerrou em 27 de maio com o aceite do fundo e da locatária na redução de 22% do valor de locação e extensão de prazo até Julho/24, a redução entrará em vigor a partir de Julho/20.

O resultado distribuível no mês foi R$ 0,67 por cota e a distribuição será de R$ 0,66 por cota (Dividendo 0,64%, cota base R$ 102,50).

OULG11 teve 2ª maior movimentação no mercado secundário em 12 meses (R$11,37 milhões), perdendo apenas para o mês de janeiro/20 (R$ 18,55 milhões).

O Fundo Ourinvest Logística tem como objetivo a aquisição de imóveis voltados para as atividades logística e industrial e conta hoje com dois imóveis e aproximadamente 80.000 m² de ABL próprio.

 

OUCY11 (Papel/CRI): Liquidez de R$ 4,2 milhões por dia - Destaques de maio

A alocação em ativos alvo ficou em 96,1% do patrimônio líquido (PL) no mês em comparação a 95,4% do PL no mês anterior.

O resultado distribuível no mês foi de R$ 0,53 por cota, sendo que efetivamente foram distribuídos R$ 0,55 por cota (Dividendo 0,59%, cota base R$ 91,98.

Fundo celebrou contrato de aquisição com a incorporadora TPA referente a 10 unidades residenciais em um empreendimento localizado em São Paulo. A operação conta com uma garantia de rentabilidade da Incorporadora de 10% ao ano e percentual do valor de revenda da unidade revertido para o fundo.

No mercado secundário foi movimentado R$ 84,5 milhões, cerda de R$ 4,2 milhões por dia.

 

OUFF11 (Fundo de fundos/FOF): Reserva de resultados acumulados não distribuídos é de R$ 0,79 por cota - Destaques de maio

A distribuição de dividendos foi de R$ 0,75 por cota perfazendo um dividend yield de 0,80% (9,6% anualizado) sob a cota de fechamento do dia 29 de maio ou 0,75% (9,0% anualizado) sob o valor da cota no IPO.

O ganho de capital realizado líquido no mês foi de R$ 0,05 por cota e somado ao resultado do fundo ficou em R$ 0,36 por cota. A reserva de resultados acumulados não distribuídos encerrou o mês com R$ 0,79 por cota.

O desempenho patrimonial foi de 1,2% contra 2,0% do IFIX.

Ao fim do mês o OUFF11 possuía 85% do seu patrimônio aplicado em fundos imobiliários, 9% em CRIs e 5% em ativos de liquidez.

 

XPHT11/12 (Tijolo/Hotéis): 2ª emissão de cotas ordinárias foi revogada - Destaques de maio

Fundo comunicou que em virtude da pandemia e de seus impactos na operação dos hotéis, não serão distribuídos rendimentos.

As atividades dos hotéis Íbis Budget Curitiba Centro e Íbis Londrina foram retomadas. Com isso, o fundo está com 3 dos seus 14 hotéis em funcionamento, visto que o Pullman Ibirapuera permaneceu aberto por todo o período.

Considerando o cenário atual do segmento hoteleiro e do mercado de capitais em geral, a 2ª emissão de cotas ordinárias foi revogada.

O administrador publicou na CVM a consulta formal e a proposta para a aprovação dos investidores, dentre outras matérias, da emissão e distribuição de novas cotas subordinadas, no valor total de até R$ 6,7 milhões.

As cotas sênior do fundo são listadas em bolsa para negociação sob o código XPHT11 e as cotas ordinárias, sob o código XPHT12. Ocorreram 26.263 negociações no período, totalizando uma movimentação de R$ 2,1 milhões. A liquidez média diária na bolsa foi de R$ 104 mil e a cotação no mercado secundário fechou o mês a R$ 76,00 por cota ordinária e R$ 83,80 por cota sênior.

O XP Hotéis FII possui 1.046 quartos em 14 hotéis com foco no segmento de negócios e localizados em São Paulo e na região sul do país.

 

CPTS11B (Papel/CRI) O fundo encerrou o mês com 17.390 cotistas – Destaques de maio

O fundo teve uma performance da cota de mercado inferior ao IFIX no mês de maio (-0.11% vs. 2.08%), o que não foi surpresa depois da performance bastante forte em abril, de +10.05% versus +4.39% do IFIX.

Nos meses anteriores o fundo aproveitou a queda no preço de alguns FIIs de CRI para aumentar sua posição. Com a volta de boa parte desses fundos, conseguiram gerar ganho de capital na alienação das cotas, gerando impacto positivo no resultado do fundo.

Não houve renegociações do fluxo de pagamento de nenhum dos papéis da carteira. Com isso, não tivemos impactos no resultado do fundo.

Foram, distribuídos R$ 0,65 por cota, com pagamento em 22 de junho para os detentores de cotas em 15 de junho (Dividendo 0,68%, cota base R$ 95,10).

Com 100% de presença nos pregões, foram negociadas 92.752 cotas, sendo 9.947 negócios, com volume de R$ 8,9 milhões, o que representa uma média diária de R$ 449,5 mil.

O fundo encerrou o mês de maio com 17.390 cotistas, uma variação de -2,9% contra o mês anterior.

 

XPCM11 (Tijolo/Escritórios): Dividendo de 1,34% no mês - Destaques de maio

Conforme comunicado ao mercado divulgado em 10 de julho de 2019, a locatária Petrobras formalizou sua intenção de desocupar o imóvel Corporate Macaé no final de dezembro de 2020.

A locatária deverá realizar o pagamento integral dos aluguéis e o total da multa prevista calculada conforme aluguel vigente na data do Comunicado é de R$ 21,5 milhões ou R$ 8,91 por cota.

O administrador e o gestor optaram por reduzir as distribuições para até 95% do resultado financeiro do semestre, com o objetivo de aumentar o caixa disponível do fundo para a realização de eventuais adequações e investimentos no imóvel conforme pedidos de potenciais novos locatários.

O gestor e o consultor imobiliário seguem aprofundando nas perspectivas da região em conjunto com uma renomada empresa de corretagem para prospecção de potenciais locatários para alugar o imóvel quando da entrega pela Petrobras.

A distribuição de R$ 0,85 (dividendo 1,34%, cota base R$ 63,00) por cota foi realizada em 15 de junho para os detentores de cotas do fundo em 29 de maio/20.

 

EDGA11 (Tijolo/Escritórios) não recebeu valor do aluguel de locatárias

O fundo não recebeu de algumas locatárias, o pagamento dos alugueis referentes à maio/20, vencidos no início de junho/20. A inadimplência representa um impacto negativo equivalente a, aproximadamente, R$ 0,05 por cota.

 

BLMO11 (Tijolo/Escritórios): Redução de 17,5% na taxa condominial do mês - Destaques de maio

Devido à alta redução do fluxo de pessoas no Centro Empresarial Nações Unidas, o administrador do condomínio iniciou um forte trabalho de renegociação de contratos de manutenção, serviços, limpeza, entre outros. Como resultado foi possível obter uma redução de 17,5% na taxa condominial do mês.

Fundo iniciou a elaboração da minuta de contrato para locação de 617 m² na Torre Oeste (empreendimento que estão os ativos do BLMO11) para uma empresa do setor financeiro.

Devido à imposições bastante restritivas de isolamento na cidade de São Paulo, houve uma redução nas visitas aos andares da Torre Oeste. Com relação à visita que ocorreu em abril da empresa do setor de tecnologia financeira, o processo está em negociação de termos comerciais e está sendo conduzido pela consultoria imobiliária contratada. A empresa tem interesse na locação de aproximadamente 1.500 m².

75% é a taxa de vacância do BLMO11.

 

MORE11 (Fundo de fundos/FOF) aproveitou para aumentar algumas posições a preços baixos - Destaques de maio

Dado a pequena exposição no setor shoppings, MORE11 aproveitou para aumentar algumas posições a preços baixos, buscando ganhos de curto prazo, aumentando alocação ao longo do mês, principalmente, em HGBS11, XPML11 e MALL11.

Em relação aos fundos de recebíveis, fundo aproveitou alguns momentos de disfuncionalidade de mercado para aumentar a posição em MCCI11 e também em BARI11.

No setor de lajes corporativas, os principais movimentos foram a venda da posição em HGRE11 e a compra do mesmo valor em cotas do RBCO11, que segue sendo uma importante alocação para o fundo.

Nos rendimentos, foram distribuídos R$ 0,32 por cota no dia 19 de junho (dividendo 0,31%, cota base R$ 102,00).

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Desenvolvedor de conteúdos

Formado em Engenharia de Produção pela FAACZ, com experiência de mais de 5 anos no mercado financeiro do Brasil. Investidor e desenvolvedor de conteúdos sobre o mercado imobiliário, economia e investimentos.

Comentários