10 de setembro/20: fechamento e principais destaques do dia



IFIX apresentou nesta quinta-feira (10), uma valorização de 0,16%, fechando o dia aos 2.793,01 pontos. No acumulado do mês de setembro e ano de 2020, a variação do índice é de +0,39% e -12,63%, respectivamente.

Mercado de FIIs: principais destaques e notícias do dia

SDIL11 (Tijolo/Galpões) finaliza compra de galpão localizado em Guarulhos, São Paulo

  • Nessa quarta-feira (09), o fundo pagou a parcela de (R$ 15,4 milhões) do galpão localizado em Guarulhos, São Paulo, e recebe a escritura definitiva.
  • A aquisição tem valor total de R$ 36,3 milhões e toda a receita de locação do empreendimento já está sendo recebida pelo fundo desde o dia 05 de junho/20, quando foi pago a primeira parcela de R$ 18,15 milhões.
  • Em adição, ficou acordado o pagamento de R$ 2,75 milhões até junho de 2025, caso o vendedor aprove perante a Prefeitura Municipal de Guarulhos/SP uma possibilidade de expansão da área construída do Galpão.
  • A aquisição prevê ainda a realização de um retrofit para modernização do espaço. O cap rate pós-retrofit é estimado em 9,3%.
  • O Imóvel está totalmente locado para duas empresas: uma com contrato de locação atípico na modalidade Sale-Lease-Back (SLB) e a outra com contrato de locação na modalidade típica com vencimento em junho de 2023.

 

HGLG11 (Tijolo/Galpões): aquisição de 2 novos ativos, conclusão da 6ª emissão e 18,6 mil novos investidores - Destaques de agosto

  • Conclusão da aquisição dos imóveis em Betim e Itupeva, os quais somam juntos o valor total de aproximadamente R$ 346 milhões.
  • Fundo recebe de volta o sinal de aquisição do imóvel descrito no prospecto como (G2). A administradora informou que permanece trabalhando para conclusão desta aquisição.
  • Conclusão da 6ª emissão de cotas, com captação de aproximadamente R$ 984 milhões.
  • Em relação ao fluxo de aluguéis, 99% dos cobrados foram recebidos. Apenas um inquilino não realizou o pagamento. Além disso, durante o mês, o HGLG não recebeu pleitos dos locatários e já havia concluído todas as negociações pendentes.
  • Em seus rendimentos, o HGLG11 terminou o mês com um resultado por cota de R$ 0,40 e distribuindo uma renda de R$ 0,78 (Dividendo, 0,42%, cota base R$ 182,00), o que equivale a 93% do seu resultado obtido nos primeiros meses do semestre. Esse valor será pago na próxima terça-feira, 15 de set/20, aos detentores de cotas no dia 31 de agosto.
  • No mercado secundário, as cotas do HGLG11 movimentaram cerca de R$ 107 milhões, atingindo um volume médio diário de aproximadamente R$ 5,1 milhões e registrando uma valorização de 1,1%.
  • Aumento de 18.682 novos investidores, fechando o mês com 223.439 cotistas.
  • Seu portfólio terminou o mês composto por 14 ativos localizados nas regiões sul e sudeste do Brasil.

 

HGRU11 (Híbrido): cota do fundo valorizou 2,15%, movimentando cerca de R$ 5 milhões por dia - Destaques de agosto

  • O HGRU11 terminou o mês com um resultado por cota de R$ 0,49 e distribuindo uma renda de R$ 0,68 (Dividendo, 0,52%, cota base R$ 130,50), o que equivale a 95% do seu resultado obtido no período. Esse valor será pago na próxima terça-feira, 15 de set/20, aos detentores de cotas no dia 31 de agosto. O fundo possui R$ 0,09 centavos por cota de resultados acumulados ainda não distribuídos.
  • Administrador explicou que a partir de outubro, o fundo inverte esse ciclo de diferimento e passa a receber de volta os diferimentos acordados. Portanto, para este momento de menor fluxo de receita, sua gestão entende que é necessária a utilização do resultado acumulado, de forma a manter a estabilidade dos rendimentos distribuídos.
  • Adminstrador aprovou a realização da 4ª emissão de cotas do fundo que será destinada a investidores em geral. O valor da oferta será de R$ 583.333.450,40.
  • No mercado secundário, a cota do fundo valorizou 2,15%, movimentando cerca de R$ 5 milhões por dia.
  • O número de investidores aumentou para 67.566 (vs 61.085 ao final de ago/20).
  • Na distribuição do seu patrimônio (R$ 1,35 bilhão), o fundo possui investimentos em 15 empreendimentos, sendo 5 imóveis do setor educacional e 10 do varejo (76%), cotas de FIIs (22%) e ativos de renda fixa (2%).

 

HGCR11 (Papel/CRI): número de investidores aumentou para 60.037 em agosto - Destaques de mês

  • No mês de agosto, a cota do fundo valorizou 3,8%, movimentando cerca de R$ 2,3 milhões por dia, tendo atingido volume total de R$ 47,8 milhões negociados durante o mês.
  • Já a cota patrimonial ajustada por rendimentos apresentou variação de -0,6% (-365% do CDI) durante o mês, impactada pela marcação a mercado de parte dos ativos indexados ao CDI. No ano, a variação é de +3,3% (154% do CDI).
  • Nos rendimentos, será pago no dia 15 de setembro o valor de R$ 0,48 por cota, representando um dividendo de 0,46% no mês (cota base R$ 104,00). O fundo ainda detém R$ 0,36 por cota de rendimentos acumulados não distribuídos.
  • O número de investidores aumentou para 60.037 (vs 59.729 ao final julho/20).
  • Na movimentação dos ativos, durante o mês de setembro, no dia 8, houve a liquidação de duas séries de CRI no volume total de R$ 50 milhões, levando a alocação do fundo para aproximadamente 98% em ativos alvo.
  • Não houve novos pleitos por parte de devedores devido ao cenário provocado pelo Coronavírus.
  • O patrimônio do HGCR11 (R$ 1,3 bi) fechou o mês de julho alocado em CRIs (76,7%), cotas de FII (17,7%) e ativos de renda fixa (4,1%).

 

OUJP11 (Papel/CRI): carteira permanece adimplente e recursos da 3ª emissão são alocados - Destaques de agosto

  • Carteira permanece adimplente em suas obrigações e chegou ao final do mês com 81,2% dos investimentos alocados em ativos imobiliários, dos quais 78,8% em CRI e 2,4% em FII. O saldo de 18,8% estava alocado em instrumentos de caixa.
  • A principal alteração na carteira foi a ampliação em R$ 2,4 milhões da posição no CRI HBC.
  • Alocação dos recursos captados na 3ª oferta de distribuição de cotas do fundo ocorreu de acordo com o planejado.
  • A distribuição de rendimentos, com pagamento em setembro, dia 15, será de R$ 0,46/cota (dividendo 0,43%, cota base R$ 105,99. Esse valor, combinado à valorização de 0,28% da cota patrimonial, proporcionou retorno total de 0,74% no mês.

 

HABT11 (Papel/CRI): liquidez das cotas apresentou melhora significativa, com média de R$1 milhão/dia - Destaques de agosto

  • Fundo possui 71,35% do seu PL alocado em CRIs, com taxa média de inflação + 12,03% a.a., distribuídos em 23 operações distintas. Todos os CRIs estão adimplentes com suas obrigações (juros e amortização). O investimento em cotas de FII (25,5% do PL) tem o objetivo de otimizar a alocação do caixa que será utilizado em aquisições de CRIs futuramente.
  • A distribuição de rendimentos vai ocorreu neste dia (10), será de R$ 0,97 por cota, um yield anualizado de 11,64%. Desde o início do Fundo em 29 de julho de 2019, a distribuição de rendimentos acumulada é de R$10,41/cota.
  • A liquidez das cotas apresentou melhora significativa, com volume médio diário de R$1 milhão e um crescimento de 21% em relação ao mês de julho.
  • O número de investidores obteve um crescimento de 353% em relação ao IPO no mês de julho/19. Ao final do mês de agosto o HABT possuía um total de 12.107 cotistas.
  • A incorporação do Habitat I FII (HBTT11) pelo Habitat II FII (HABT11) está sujeita à aprovação pela Assembleia Geral Extraordinária de cotistas do Habitat I, que ocorrerá em 11 de setembro/20.

 

BBPO11 (Tijolo/Bancário): valor de mercado está 37,6% superior ao seu valor patrimonial - Destaques de agosto

  • O BBPO foi criado com o objetivo de adquirir agências e centros administrativos do Banco do Brasil, para alugá-los ao próprio Banco do Brasil pelo prazo inicial de 10 anos (contrato atípico, vencimento em nov/22). Sua carteira possui 64 imóveis, localizados em diversas regiões do Brasil.
  • Em relação aos rendimentos, serão distribuídos R$ 1,08 por cota, valor que representa um dividendo de 0,77% no mês (cota base R$ 139,25).
  • No mercado secundário, foram movimentados cerca de R$ 99 milhões. Com isso, a cota do BBPO valorizou 0,3%, chegando a ficar 37,6% superior ao seu valor patrimonial.

 

JSRE11 (Híbrido) recebe lucro extraordinário e será usado para incrementar e trazer estabilidade nas distribuições - Destaques de agosto

  • O JSRE11 distribuiu rendimentos de R$0,52 por cota, yield de 0,52% ao mês (equivalente a 6,24% a.a) sobre a cota de fechamento do mês anterior. O deságio entre o valor de mercado e o valor patrimonial do fundo, fechou o mês em 12,0%.
  • Ao longo do mês o fundo recebeu um valor extraordinário referente a uma parcela da amortização e de rendimentos que serão usados para incrementar e trazer estabilidade na distribuição de dividendos. Entre setembro e outubro deste ano o fundo vai receber o valor residual referente à esta operação.
  • No mês não houve movimentação na carteira de inquilinos e a vacância física está em 2,6%.
  • No mercado secundário, as cotas do JSRE movimentaram cerca de R$ 71,8 milhões, atingindo um volume médio diário de aproximadamente R$ 3,4 milhões e registrando uma desvalorização de 0,2%.

 

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários