18 de agosto/20: fechamento e principais destaques do dia



IFIX apresentou nesta terça-feira (18), uma valorização de 0,24%, fechando o dia aos 2.755,25 pontos. No acumulado do mês de agosto e ano de 2020, a variação do índice é de +0,81% e -13,98%, respectivamente.

Mercado de FIIs: principais destaques e notícias do dia

FLMA11 (Híbrido): valor descontado em alugueis será pago no início do ano de 2021 - Destaques de julho

  • O fundo distribuiu no último dia 14, R$ 0,0078 por cota (dividendo 0,26%, cota base R$ 2,97). A redução da receita e consequentemente da distribuição de rendimentos é efeito da pandemia, uma vez que alguns inquilinos solicitaram desconto nos aluguéis de março, abril maio e junho. O valor descontado será pago no início do ano de 2021.
  • Houve a devolução de um conjunto totalizando 460 m² de área disponível, que impactará no resultado a ser distribuído em agosto.
  • As receitas de escritório já retornaram ao patamar do período anterior à pandemia. No entanto, o hotel ainda está tendo um impacto mais representativo, uma vez que sua operação está interrompida desde 27 de março/20, com previsão de abertura para meados de setembro.
  • No mercado secundário, sua cota movimentou cerca de R$ 5,4 milhões no mês, registrando uma desvalorização de 9,6%.
  • O FII Continental Square Faria Lima é proprietário de 18 conjuntos de escritórios, com 10 locatários diferentes, no empreendimento Continental Square Faria Lima, localizado na região da Vila Olímpia. Além disso, também possui 75% do hotel cinco estrelas Pullman Vila Olímpia.

 

QAGR11 (Tijolo/Outros): fundo já anunciou 4 operações diferentes para alocação de caixa - Destaques de julho

  • O fundo celebrou o Compromisso de Compra e Venda de 3 centros de recebimento de grãos pelo montante total de aproximadamente R$ 98 milhões. As três unidades adquiridas, localizadas nos estados de Minas Gerais e Goiás, foram locadas à BRF S.A., na modalidade de contrato atípico com prazo de 5 anos.
  • Esse aluguel irá impactar o resultado e a distribuição de rendimentos a partir de setembro/20, em aproximadamente R$ 0,14 por cota.
  • Com a conclusão desta operação, o QAGR11 vai atingir cerca de 50% do patrimônio alocado em ativos-alvo. Ao final do mês de julho, seus recursos estavam alocados em ativos-alvo (29%) e aplicações de renda fixa – cotas de fundo e LFT (71%).
  • Até o momento, o fundo anunciou 4 operações diferentes: a) 4 imóveis no Paraná, locados para Belagrícola (R$ 88 milhões); b) 4 imóveis no Paraná e Santa Catarina, locados para BRF (R$ 50 milhões); c) 3 imóveis em Minas Gerais e Goiás, locados para BRF (R$ 98 milhões); e d) 1 imóvel no Paraná, a ser locado para uma Companhia agroindustrial (R$ 48 milhões).
  • Os contratos das operações “a” e “b” foram assinados e os recursos já desembolsados. Os contratos da operação “c” foram assinados, porém os recursos só serão desembolsados na lavratura da escritura. A operação “d” segue nas etapas de due diligence.
  • Na distribuição dos rendimentos referente a julho, os cotistas receberam R$ 0,34 (dividendo 0,42%, cota base R$ 80,32). O resultado não sofreu impacto em função do contexto atual da pandemia do Covid-19.
  • No mercado secundário, sua cota movimentou cerca de R$ 1,4 milhões por dia, registrando uma desvalorização de 8,3%.

 

ALZR11 (Tijolo/Híbrido): portfólio está 100% ocupado por contratos atípicos - Destaques de julho

  • Durante o mês de julho, fundo avança com o processo de captação de até R$ 180 milhões, através de sua 3ª emissão de cotas. Os recursos totais captados, em conjunto com o caixa disponível da 2ª emissão de cotas, serão investidos na aquisição de imóveis de um pipeline em avançado estágio de negociação.
  • Gestão mantem decisão de renúncia à taxa de gestão até que a alocação dos recursos derivados da 2ª emissão de cotas seja concluída, agora em conjunto com a 3ª emissão.
  • Nos rendimentos, serão distribuídos R$ 0,59 por cota para os cotistas da base de 18/08/2020, e a distribuição deste provento acontecerá no dia 25/08/2020.
  • No mercado secundário, o ALZR11 apresentou novo crescimento no volume médio diário de negociação, passando de R$ 1,5 milhão em junho para R$ 1,8 milhão em julho. Nesse período, sua cota desvalorizou 8,87%, partindo de R$ 130,04 em 30 de junho, para R$ 118,50 em 31 de julho.
  • A base de investidores cresceu novamente em julho, alcançando 58.979 cotistas ao término do mês e representando 11,4% a mais de cotistas diante da quantidade apurada em 30 de junho.
  • Seu patrimônio (R$ 351 milhões) é composto por 7 empreendimentos, sendo 3 edifícios comerciais e 4 galpões. O portfólio está 100% ocupado por contratos atípicos.

 

UBSR11 (Papel/CRI) trocou de nome e será negociado com novo código no mercado secundário

  • A BRL Trust, administradora, informou nesta terça-feira (18), que foi alterado a denominação do fundo, de FII UBS (BR) RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS para FII REC RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS.
  • O documento esclareceu que essa modificação advém do encerramento amigável da parceria comercial firmada entre a REC Gestão de Recursos S.A. e a UBS Brasil Serviços de Assessoria Financeira Ltda. em setembro de 2016 para a prestação conjunta de serviços de consultoria imobiliária, tendo a REC assumido exclusivamente as funções de consultora de investimentos do até então UBSR11.
  • No entanto, em razão da alteração da denominação, as cotas do UBSR11 passarão a ser negociadas a partir do dia 26 de agosto/20 com o novo nome de pregão “FII REC RECE” e com novo código de negociação (ticker): RECR11.

 

As oportunidades aparecem todos os dias! Acesse nosso kit gratuito para investidores iniciantes e entenda o que um investidor precisa saber para encontrar os melhores FIIs.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários