04 de agosto/20: Fechamento e principais destaques do dia



IFIX se manteve estável nesta terça-feira (04), fechando o dia aos 2.714,29 pontos. No acumulado do mês de agosto e ano de 2020, a variação do índice é de -0,69% e -15,48%, respectivamente.

fiis fechamento notícias

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

KNRI11: FII híbrido elevou taxa de vacância, mas sustenta rendimentos - Destaques de julho

O Kinea Renda Imobiliária divulgou seu relatório de gestão e resultados do mês de julho/20. O documento iniciou apresentando a elevação da taxa de vacância de 5,68% para 5,91% no portfólio do KNRI11 devido a desocupações em dois de seus edifícios corporativos no estado do Rio de Janeiro.

O patrimônio do KNRI11 (R$ 3,7 bilhões) fechou o mês de julho com uma parcela alocada em ativos de liquidez (R$ 500 milhões) e o restante permanece composto por 19 propriedades sendo 10 edifícios comerciais (escritórios corporativos) e 9 centros logísticos (galpões), o que demonstra, de acordo com seu gestor, o equilíbrio entre a tipologia de logística e de escritório, concedendo maior previsibilidade e menor volatilidade no fluxo de receitas de aluguel.

No mercado secundário da B3, foram movimentados um total de 665.332 cotas do KNRI11, equivalentes a cerca de 2,82% do seu total de cotas. Com isso, o volume médio diário somou R$ 4,6 milhões e sua cota obteve uma variação negativa de -7,17% no mês, partindo de R$168,94 em 30 de junho, para R$ 156,82 em 31 de julho.

Nos rendimentos, o valor que será distribuído pelo fundo referente ao mês de julho cujo pagamento ocorrerá no próximo dia 14 de agosto, foi mantido em R$0,65 por cota, representando um dividendo de 0,41% para o mês (cota base R$ 156,82).

 

BRCR11 (Tijolo/Escritórios) caminha para R$ 3 bi de patrimônio e número de cotistas dispara - Destaques de julho

Foi encerrado a 7ª emissão de cotas do BRCR11, gerando uma distribuição de 3.720.000 novas cotas, envolvendo um montante aproximado de R$ 314,6 milhões.

Conclusão da aquisição do Edifício Morumbi Corporate - Diamond Tower que está localizado na cidade de São Paulo. O valor da aquisição é de R$ 810 milhões.

No dia 31 de julho/20, o fundo registrou um aumento de 25% em seu número de cotistas, fechando o mês de julho com cerca de 125 mil investidores.

Com esses acontecimentos, o patrimônio do BRCR11, também conhecido como BC Fund, fechou o mês acumulando um patrimônio próximo de R$ 3 bilhões, alocado em 13 edifícios corporativos localizados nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, com inquilinos distribuídos em mais de 60 contrato de locação.

Nos rendimentos, o valor distribuído pelo fundo cujo pagamento ocorreu no dia 14 de julho, foi de R$0,43 por cota, representando um dividendo de 0,47% para o mês (cota base R$ 92,24).

As cotas do BRCR11 foram negociadas em 100% dos pregões com volume médio diário de aproximadamente R$ 8,3 milhões, registrando uma desvalorização de 1,5%, partindo de R$92,41 em 30 de junho, para R$ 91,00 em 31 de julho.

 

BTLG11 (Tijolo/Galpões): receita é impactada negativamente, mas portfólio permanece 100% locado e adimplente

O BTG Pactual, administrador e gestor do fundo, informou na tarde do dia 03 de agosto/20 que renovou contrato de locação com locatário (MECHATRONICS & MIRRORS) por mais 60 meses, contados a partir de 1 de maio/20, e que são renováveis automaticamente por mais 60 meses após o vencimento.

Em contrapartida, o aluguel foi renegociado de forma a refletir o atual patamar de mercado concedendo à locatária a possibilidade de solicitar, nos próximos 12 meses, uma expansão no imóvel, sendo que, se executada, a área expandida será locada na modalidade Built to Suit. Diante isso, a receita do BTLG11 será impactada negativamente em, aproximadamente, R$ 0,02 por cota.

No entanto, o BTG destacou que a carteira do fundo permanece 100% locada e adimplente.

 

BPML11 (Tijolo/Shoppings): gestor e administrador anunciaram que vão reduzir 30% do valor das taxas cobradas pelos serviços no fundo

Diante do momento de mercado decorrente da pandemia e da realidade enfrentada pelo setor de varejo e shoppings centers, a administradora e a gestora (BTG Pactual) reduzirão, de forma voluntária, a remuneração da administradora em 30% pelo prazo de 6 meses, de modo que a taxa de administração, que corresponde a 1,00% ao ano, corresponderá a 0,70% ao ano, a partir de julho/20, até dezembro/20.

O BTG expressou que a redução voluntária de sua remuneração no atual momento está em conformidade com os interesses dos cotistas do BPML11, uma vez que irá minimizar os impactos sofridos por estes.

Em julho não houve nenhuma alteração na composição do seu portfólio de Shoppings, sendo que a carteira permanece com 7 ativos, dos quais 3 estão alocados em sociedade de propósito específico (SPE).

Cinco shoppings abertos. Os Shoppings de Contagem e Capim Dourado, seguem aguardando a liberação dos órgãos competentes para o funcionamento, ainda sem uma perspectiva oficial.

Em relação ao comportamento da cota no mercado secundário, o fundo apresentou negociações em 100% dos pregões no mês, transacionando cerca de R$ 235 mil. O valor de mercado encerrou em R$ 92,00/cota, representando uma variação negativa de 3,0% se comparado ao mês anterior.

Ainda neste período, o fundo concluiu a reavaliação anual do portfólio de seus imóveis. O resultado desta avaliação, que impacta os relatórios financeiros do mês de junho, gerou um aumento no valor dos ativos de R$ 153,9 milhões. Com isso, o patrimônio líquido atingiu R$ 582,5 milhões ou R$135,3/cota.

 

KNCR11 (Papel/CRI) movimentou R$ 4,2 milhões por dia e cota desvalorizou 4,7% - Destaques de julho

Ao final de julho, o KNCR11 apresentava 93,1% do seu patrimônio alocado em CRIs. A parcela remanescente (6,9%) está alocada em instrumentos de caixa. Os imóveis que baseiam suas operações estão localizados nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

O fundo destacou que sua carteira permanece saudável e adimplente com suas obrigações.

Nos rendimentos, o valor que será distribuído pelo fundo referente ao mês de julho cujo pagamento ocorrerá no próximo dia 13 de agosto, será de R$ 0,30 por cota, representando um dividendo de 0,34% no mês (cota base R$ 88,03).

No mercado secundário, as cotas do KNCR11 foram negociadas em 100% dos pregões com volume médio diário de aproximadamente R$ 4,2 milhões, registrando uma desvalorização de 4,7%, partindo de R$92,40 em 30 de junho, para R$ 88,03 em 31 de julho.

Para critério de conhecimento, o fundo apresentou uma ilustração abordando um cenário hipotético, onde, se o KNCR11 encerrasse suas atividades, com o pagamento do saldo devedor de todas as operações, os investidores receberiam um principal de aproximadamente R$ 104,00 por cota, montante superior ao valor patrimonial da cota (R$ 97,39) e altamente superior ao valor de negociação no mercado secundário (R$ 88,03 ao fechamento de julho).

 

KNIP11 (Papel/CRI): carteira permanece saudável e adimplente com suas obrigações - Destaques de julho

O fundo destacou que sua carteira permanece saudável e adimplente com suas obrigações.

Ao final de julho, o KNIP11 apresentava 97,4% do seu patrimônio (R$ 3,6 bilhões) alocado em CRIs. A parcela remanescente (3,3%) está alocada em instrumentos de caixa.

Nos rendimentos, o valor que será distribuído pelo fundo referente ao mês de julho cujo pagamento ocorrerá no próximo dia 13 de agosto, é de R$ 0,70 por cota, representando um dividendo de 0,64% no mês (cota base R$ 109,50).

No mercado secundário, as cotas do KNIP11 foram negociadas em 100% dos pregões com volume médio diário de aproximadamente R$ 3,3 milhões, registrando uma desvalorização de 0,9%, partindo de R$ 110,55 em 30 de junho, para R$ 109,50 em 31 de julho.

 

KFOF11 (Fundo de Fundos/FOF) está de olho em FIIs do segmento logístico e de escritórios - Destaques de julho

A gestão do fundo informou que está analisando as ofertas primárias para a alocação dos recursos captados na 3ª emissão, com destaque para FIIs do segmento logístico e de escritórios e também nas oportunidades existentes no mercado secundário.

No fim de julho, 94% dos ativos do KFOF11 estavam alocados em fundos imobiliários. A parcela remanescente (4%) está alocada em instrumentos de caixa. (Patrimônio líquido atual R$ 435,5 milhões)

Nos rendimentos, o valor que será distribuído pelo fundo referente ao mês de julho cujo pagamento ocorrerá no próximo dia 14 de agosto, é de R$ 0,46 por cota, representando um dividendo de 0,40% no mês (cota base R$ 113,41).

No mercado secundário, as cotas do KFOF11 foram negociadas em 100% dos pregões com volume médio diário de aproximadamente R$ 0,42 milhões, registrando uma valorização de 1,9%, partindo de R$ 111,25 em 30 de junho, para R$ 113,41 em 31 de julho.

 

HFOF11 (Fundo de Fundos/FOF): leilão de cotas gera saldo de R$ 116,38 para cotistas

Seu administrador (Hedge Investments) informou que no dia 30 de julho/20 foi realizado o leilão das cotas correspondentes às frações decorrentes das relações de troca do processo de incorporação das cotas do TFOF11 pelo HFOF11. O leilão negociou cerca de R$ 187 milhões. Com isso, será creditado nas contas dos cotistas beneficiários do leilão, no dia 06 de agosto, o valor equivalente a R$ 116,38 por cota.

 

KNHY11 (Papel/CRI) vai distribuir R$ 0,45 por cota, representando um dividendo de 0,41% no mês - Destaques de julho

Ao final de julho, o KNIP11 apresentava 74,9% do seu patrimônio e os restantes 25,1% estão alocados em instrumentos de caixa. A gestão esclareceu que essa alocação em caixa se justifica pelo processo de emissão de cotas. (Patrimônio líquido atual R$ 1,1 bilhão)

Nos rendimentos, o valor que será distribuído pelo fundo referente ao mês de julho cujo pagamento ocorrerá no próximo dia 13 de agosto, é de R$ 0,45 por cota, representando um dividendo de 0,41% no mês (cota base R$ 109,00).

No mercado secundário, as cotas do KNHY11 foram negociadas em 100% dos pregões com volume médio diário de aproximadamente R$ 1 milhão, registrando uma desvalorização de 0,9%, partindo de R$ 109,00 em 30 de junho, para R$ 110,00 em 31 de julho.

O Kinea High Yield CRI destacou que sua carteira permanece saudável e adimplente com suas obrigações.

 

Ainda não sabe o que fazer para entrar no mercado de Fundos Imobiliários? Através deste minicurso gratuito você vai aprender como investir em FIIs e como identificar as melhores oportunidades do mercado.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários