Fundos Imobiliários no Brasil: vale a pena investir agora?



O mercado imobiliário na bolsa de valores está sendo uma porta de entrada para a maioria dos investidores brasileiros. Entretanto, poucos sabem o que são fundos imobiliários e como fazer para investir nessa modalidade.

No Brasil, investir em imóveis sempre foi uma excelente maneira para obter renda passiva. Seja para alugar ou revender, esse modelo de investimento continua sendo uma opção para quem busca boa rentabilidade e segurança na hora de aplicar seu dinheiro.

Porém, sabemos que a maior parte da população de nosso país não tem condições de comprar um empreendimento sozinho. O valor de um imóvel costuma ser alto, o que afasta a maioria dos investidores.

A boa notícia é que investir neste setor pode ser mais barato, prático e fácil do que você imagina. Através dos Fundos Imobiliários (FIIs), qualquer pessoa pode ser sócio de grandes empreendimentos.

O que são fundos Imobiliários?

Os fundos imobiliários são representados por grupos de investidores que juntam seu dinheiro com o intuito de aplicá-los em ativos do setor imobiliário, seja no desenvolvimento de empreendimentos, Títulos e Recebíveis, cotas de FIIs ou em imóveis já prontos, como edifícios comerciais, shopping centers, hospitais e galpões logísticos, por exemplo.

O valor aplicado é dividido em forma de cotas e administrado por um gestor, que é o responsável por encontrar e realizar os investimentos para garantir uma boa rentabilidade para o fundo.

Seu objetivo principal é conseguir retorno pela exploração de locação, arrendamentos, venda do imóvel e demais atividades do setor.

E os tipos de fundos imobiliários. Quais são?

Os FIIs se dividem em 5 categorias. São elas:

  • Fundos de tijolo (empreendimentos físicos): investem em empreendimentos físicos, como, por exemplo, lajes corporativas, salas comerciais, galpões industriais-logísticos, universidades, hospitais, hotéis, resorts, shopping-centers, parques temáticos, lojas independentes de varejo, cemitérios, agências bancárias, dentre outros;
  • Fundos de papéis (recebíveis): investem em títulos financeiros de lastro imobiliário, como os CRIs e as LCIs, por exemplo. Em outras palavras, são ativos que recebem fluxos de caixa oriundos de financiamentos imobiliários diversos que são, por meio destes títulos, repassados aos cotistas dos fundos de papéis;
  • Fundos de fundos (cotas de fundos imobiliários): também conhecidos como FOF, este tipo de fundo imobiliário investe em cotas de outros fundos imobiliários. Em geral, estes FIIs possuem um gestor que é ativo na montagem da carteira, bem como na compra e venda das cotas a fim de trazer retorno para os cotistas na forma de ganho de capital e rendimentos;
  • Fundos de desenvolvimento (construção de empreendimento): investem no projeto de um empreendimento imobiliário para posterior venda ou locação. Na maioria dos casos, os fundos de desenvolvimento investem em um ativo para, futuramente, vendê-lo e retornar este capital investido pelo cotista;
  • Fundos Híbridos: Esse modelo pode ser composto por todos os segmentos de investimento do mercado imobiliário. Ou seja, ele pode obter em seu portfólio quaisquer dos ativos mencionados no tijolo, papel, fof e desenvolvimento.

 

FIIs: 5 características relevantes desse investimento

Essa modalidade de investimento tem ganhado grande destaque no mercado de investimentos no Brasil.

Além disso, investir em fundos imobiliários se tornou a forma mais barata e rentável de investir em imóveis.

  • Com menos de 100 reais já dá para investir, sem custos;
  • Diversificação é importante;
  • Isenção de Imposto de Renda (IR);
  • Proprietário de grandes empreendimentos imobiliários; e
  • Liquidez na compra e venda das cotas.

Com menos de 100 reais já dá para investir e sem taxas e custos

Existem fundos imobiliários cuja cota vale R$10, R$5 e até R$1.

Portanto, com apenas esse valor você pode se tornar cotista de um fundo de investimento imobiliário e começar a receber os rendimentos mensais deste.

Coisa que não seria possível se você fosse comprar um imóvel para alugar, por exemplo.

Investindo em fundos imobiliários, você pode organizar suas finanças de modo que, mensalmente, consiga aportar uma quantia recorrente.

Diversificação é importante

Comprando cotas de um único fundo imobiliário, o investidor adquiri participação em investimentos de alto padrão como, por exemplo:

  • Shoppings;
  • Galpões industriais;
  • Lajes Corporativas/escritórios;
  • Prédios Universitários;
  • Hotéis;
  • Recebíveis;
  • Outros.

Isenção de Imposto de Renda (IR)

Exatamente isso! Os rendimentos que são gerados pelos investimentos em fundos imobiliários são isentos do IR.

Além disso, os FIIs são obrigados a distribuir, no mínimo, 95% do seu rendimento para os cotistas, como forma de dividendos.

Entretanto, nos fundos imobiliários é cobrado o imposto somente se o investidor decidir vender suas cotas obtendo lucro na operação.

Proprietário de grandes empreendimentos imobiliários

Isso mesmo! O investidor pode ser dono de grandes e excelentes imóveis. Os FIIs investem em empreendimentos de qualidade localizados nos grandes centros urbanos do país.

São imóveis de alto padrão, muitas vezes com certificações acessíveis apenas a grandes investidores.

Esse investimento, definitivamente, proporciona a um investidor comum, a possibilidade de comprar e ser sócio de um imóvel como esse.

Liquidez na compra e venda das cotas

Você sabe o que significa liquidez? Liquidez em investimentos é a capacidade do investidor movimentar (vender/comprar) um ativo no momento que melhor lhe convém.

Portanto, ao investir em fundos imobiliários o investidor conta com liquidez de negociação das cotas, garantindo o negócio de forma fácil e rápida através do mercado de capitais representado na bolsa de valores.

Fundos imobiliários é um bom investimento?

Os fundos imobiliários são uma excelente oportunidade para diversificar uma carteira de investimentos e ainda obter bons rendimentos.

Por isso, evite entrar em um fundo sem entender do que se trata e de como está o panorama da economia no momento.

É fundamental conhecer todas as opções, observar a relação risco x retorno e também o prazo de perspectiva de ter seus rendimentos.

Por fim, acreditamos que o investimento em fundos imobiliários é um canal que oferece ao investidor comum a possibilidade de se tornar sócio de grandes ativos imobiliários dos mais diversos setores e sem burocracia.

Texto publicado em 14 de setembro/20.

 

Ainda não entende muito bem sobre Fundos Imobiliários? Baixe nosso e-book gratuito e entenda de maneria simples como funcionam seus segmentos no mercado.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários