FLMA11 – Fundo apresenta uma forte queda no preço de suas cotas em novembro

O fundo imobiliário Continental Square Faria Lima (FLMA11) divulgou hoje ao mercado o seu relatório gerencial referente ao último mês de outubro.

De acordo com os números apresentados, é possível perceber claramente o aumento expressivo que aconteceu nos últimos meses em relação ao FII, no que tange a quantidade de negócios e a quantidade de cotas do FLMA11 negociadas ao longo dos últimos meses.

No entanto, ao se observar a taxa de ocupação do hotel presente no portfólio do fundo, é possível perceber também que o aumento dessa taxa nos últimos meses não aconteceu na mesma expressividade dos aumentos percebidos na quantidade de cotas negociadas em outubro.

Além disso, o valor distribuído também não apresentou variações significativos nos últimos anos, e a tabela abaixo transparece claramente esse ponto. Os números são referentes à quantidade de 100 cotas do FLMA11.

Mesmo assim, no entanto, se percebe que houve, nos últimos meses, uma alta bastante intensa do preço das cotas desse fundo imobiliário, muito embora elas estejam, atualmente, em uma forte tendência de queda, principalmente desde o início de novembro até agora.

Abaixo é possível visualizar tal situação.

FLMA11 – Saiba mais sobre esse fundo imobiliário

O FLMA11 – Continental Square Faria Lima – é um fundo imobiliário administrado e gerido pela BR-Capital DTVM, e que possui como prestador de serviços de consultoria a Unitas.

Dessa maneira, o fundo imobiliário FLMA11 é um ativo híbrido, ou seja, investe em dois tipos de empreendimentos imobiliários: lajes corporativas/escritórios e hotéis, sendo 4,5 andares em edifício comercial, de padrão construtivo AA e divididos em 18 salas comerciais, e 75% do Hotel Pullman São Paulo Vila Olímpia, uma região de ótima visibilidade locatícia na capital paulista.

A Área Bruta Locável (ABL) das lajes é de 7.874,71 m² e a do hotel é de 11.398,80 m².

O edifício corporativo do fundo possui uma área total de 27.386 m², divididos em 16 andares, 13 elevadores sociais, 01 de carga e 928 vagas de estacionamento, além de heliponto, auditório, restaurantes, bancos, academia e outros serviços.

Com padrão AA (double A), o edifício é sede de empresas de diversos segmentos, apesar de que, tradicionalmente exista, na Vila Olímpia, um apelo maior para a área jurídica.

O seu patrimônio líquido, atualmente, gira na faixa dos R$ 199,9 milhões, e o fundo possui uma taxa de administração e gestão de 2% sobre as receitas, além de uma taxa de consultoria de também de 2% em cimas das suas receitas.

O FLMA11 teve o seu início em 2003, tendo tido, até hoje, apenas sua primeira emissão de cotas, que foi feita no seu IPO (abertura de capital), possuindo, portanto, 69.033.50 cotas no mercado.

Dessa maneira, o fundo é muito lembrado no mercado por se posicionar em ambos os nichos de mercado, além de apresentar perdas ‘amenas’ por conta da sua volatilidade de distribuição de dividendos, conforme já ressaltado anteriormente, embora tenha apresentado uma forte variação no preço de suas cotas recentemente. O FLMA11 possui uma participação de 0,6% no IFIX.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.

Comentários