Fundo de CRI - BARI11 - vem superando seu benchmark desde o início de suas atividades



Quer receber todas as notificações desse FII? Seguir FII Seguir Fundo

O Barigui Rendimentos Imobiliários I (BARI11) é um fundo imobiliário do tipo papel e sua administração é exercida pela Oliveira Trust.

Na última quarta-feira, 11 de dezembro de 2019, o fundo divulgou seu primeiro relatório gerencial onde informou que a partir deste mês de dezembro, vai começar a demonstrar seus resultados de forma mensal.

O fundo começou suas atividades em dezembro de 2018 e suas negociações na bolsa de valores só foram observadas na primeira quinzena do mês de agosto deste ano. Segundo seu administrador, foi alcançado a alocação total de seu patrimônio em ativos alvo, que são os certificados de recebíveis imobiliários (CRI). Em outubro, foi anunciado a sua 2ª emissão de cotas dando continuidade à sua estratégia de alocação.

Estratégia de alocação de ativos

O BARI11 investe preponderantemente em CRI de lastro pulverizado, emitidos a partir de cesta de créditos oriundos de contratos de financiamento à aquisição de imóveis performados e contratos de crédito com garantia imobiliária (CGI).

De acordo com esse perfil de alocação, sua carteira detém 371 créditos ativos que compõe estas cestas e que são oriundos de empreendimentos verticais, mais de 87% (residenciais e comerciais), concentrados nas capitais e adjacências do eixo sudeste e sul.

Desempenho e resultados

Com base nos dados de seu relatório, o Barigui, desde o inicio de suas atividades vem superando seu benchmark tanto pela evolução do valor patrimonial da sua cota somado aos dividendos quanto pelo ponto de vista do valor de mercado de suas cotas também somado aos dividendos distribuídos.

Contudo, foi destacado que exceções se deram pela incidência de fatores negativos do indexador dos CRI de seu portfólio no viés patrimonial, enquanto pela ótica do valor de mercado de suas cotas se deram por traders atípicos no mercado secundário.

Nos rendimentos, BARI11 fechou o mês de outubro com retorno acumulado de 8,85% pelo ângulo patrimonial e 20,43% pelo conceito do valor de mercado da cota. Fazendo um comparativo, esses valores representam respectivamente, 201% e 464% do CDI liquido do período.

Com exceção dos primeiros meses de 2019, que o fundo estava em processo de ajustes de alocações, o resultado permitiu distribuições consecutivas próximas de R$1,00 por cota, totalizando R$10,06 no acumulado até outubro de 2019.

Mercado secundário e liquidez

Desde a primeira negociação no mercado de bolsa, no dia 12 de agosto de 2019, o BARI11 esteve presente em 100% dos pregões, com evolução  tanto no número de cotistas (aproximadamente 18x), quanto no número mensal de negócios (9,9x) e no volume financeiro diário de negociações.

Em outubro, influenciado pelo anúncio da 2ª emissão de cotas, foi apresentado o maior múltiplo de crescimento dos indicadores mencionados acima. 

Segmentado por títulos e valores mobiliários e uma gestão ativa, o fundo possui um patrimônio de R$ 73,7 milhões e já alcançou 98,6% de alocação em seus ativos alvo.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários