HGCR11 - Fundo divulga resultados e atinge máxima de liquidez na bolsa



Quer receber todas as notificações desse FII? Seguir FII Seguir Fundo

O fundo imobiliário CSHG Recebíveis Imobiliários FII - HGCR11 apresentou seus resultados  referentes ao último mês de outubro e, segundo destacou a sua gestão, o Credit Suisse Hedging-Griffo, no próximo dia 14 de novembro, será pago o valor de R$ 0,74 por cota referente aos rendimentos de outubro.

No entanto, o resultado apresentado no mês foi de R$ 3,4 milhões, equivalente a R$ 0,39 por cota. O rendimento teve um impacto negativo em decorrência da aquisição de um volume superior a R$ 200 milhões em novos ativos que ainda não geraram fluxo de pagamento no mês de outubro, queda da taxa Selic e baixos índices de inflação.

Ao final de outubro, o fundo havia distribuído 93,1% do resultado apurado até então no semestre e detinha R$ 4,0 milhões, R$ 0,46 por cota, de resultados acumulados em períodos anteriores e ainda não distribuídos.

Durante o mês, a cota ajustada do fundo em bolsa apresentou variação de +6,1%. No ano, a variação é de +15,9% e nos últimos 12 meses é de +22,0%.

Nesse mesmo mês, com a liberação para negociação das cotas emitidas na 6ª emissão, o fundo apresentou volume recorde de negociação, atingindo R$ 131,3 milhões, com média diária de R$ 5,7 milhões.

Sobre suas aplicações, foi realizado alocação líquida total de R$ 178,4 milhões em ativos alvo, de forma que o fundo encerrou o mês com 91,3% de seu patrimônio líquido alocado. Dessa forma, seu portfólio ficou distribuído como mostra a figura abaixo.

Como mostra a figura, o fundo é composto em sua maioria por investimentos em CRIs (83,9%), sendo esse, seu objetivo principal de investimento de acordo com seu regulamento.

Portfólio de CRIs do HGCR11

Diversificação por setor

Por fim, a gestão informou que permanece trabalhando nas alocações e novas aquisições que devem ser realizadas já nesse mês de novembro.

O HGCR11 tem por objeto investir em empreendimentos imobiliários por meio da aquisição, em especial, de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), que atendam aos critérios definidos em sua política de investimentos.

É administrado pela Credit Suisse, seu patrimônio liquido dos últimos doze meses é de próximos R$ 500 milhões, é o 13º FII mais negociado em bolsa tendo, com isso, uma participação relevante de 1,9% no IFIX.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários