Incorporação Imobiliária – Veja se é bom ou ruim para o investidor

Quando o assunto é incorporação imobiliária, é preciso saber muito mais do que as informações básicas sobre os imóveis.

Além disso, um dos principais conceitos que devem ser conhecidos por quem atua no segmento do mercado de imóveis é o de incorporação imobiliária.

A incorporação imobiliária é simplesmente o nome dado para o conjunto de atividades exercidas com a finalidade de construir ou promover a construção de edificações ou conjunto de edificações, bem como a sua comercialização, total ou parcial, compostas de unidades autônomas que, em seu conjunto, formam um condomínio.

Entenda o funcionamento de uma incorporação imobiliária

incorporação imobiliária

Em linhas gerais, para entender uma incorporação imobiliária, devemos ter em mente o significado jurídico dessa expressão: incorporar imóveis.

Esta deve ser entendida como sendo o meio com que uma pessoa (Física ou Jurídica) constrói um imóvel composto de unidades autônomas, em um terreno de outrem.

Então, ao finalizar a obra, o dono do terreno recebe o pagamento de acordo com duas possibilidades:

  • Valor em dinheiro (parte da arrecadação proveniente da venda das unidades), ou
  • Unidades do empreendimento

Na maior parte dos casos, a incorporadora negocia o terreno dando unidades como forma de pagamento, e vende as demais para obter o lucro.

A empresa que administra a obra, neste caso, a incorporadora, nem sempre é a mesma que executa a obra em si.

Geralmente, a empresa que administra a empreitada contrata uma construtora que fica responsável por executar o projeto civil.

Portanto, a construtora fica responsável pela execução da obra, enquanto a incorporadora pelo gerenciamento do projeto.

Incorporação em fundos imobiliários

Há uma modalidade de fundo imobiliário conhecida como fundos de desenvolvimento.

Essa é uma vertente dos fundos de tijolo, que utilizam imóveis para gerar renda mensal através dos aluguéis ou venda.

Geralmente, ao iniciar, o fundo capta recurso financeiro para adquirir novos imóveis e depois passa a alugá-los, distribuindo a renda para os cotistas.

O gestor do fundo investe na construção de imóveis que serão alugados ou vendidos, na expectativa de obtenção de lucro.

Esses imóveis são construídos através de incorporação, e o perfil é o mais arriscado dentre os tipos de fundos imobiliários.

Nesse caso, os fundos de desenvolvimento são recomendados para quem se dispõe a correr um risco maior.

Pois, todo o risco do incorporador é transferido para o investidor, que possui cotas deste fundo.

Nesse sentido, o que pode acontecer é que se houver algum problema com a obra, se o empreendimento não conseguir uma licença ambiental, ou se a obra ficar mais cara que o planejado, é o cotista que paga a conta.

Por isso, não é à toa que fundos de desenvolvimento são destinados à investidores com um perfil mais arrojado.

Contudo, se tudo der certo, o investidor e a incorporadora terão feito um excelente negócio.

Diferença entre incorporadora, incorporação e construtora

incorporação imobiliária

Incorporação

A incorporação é o instituto jurídico que promove e executa as construções de um empreendimento composto por unidades autônomas.

É a formalização, no Cartório de Imóveis, dos detalhes do novo negócio, como o número de apartamentos, a metragem, as vagas de garagem e as áreas comuns.

Incorporadora

A incorporadora é responsável por viabilizar o projeto, estudar opções de terreno e verificar os aspectos físicos da construção.

É com esta empresa que o consumidor faz negócio na hora de adquirir uma unidade autônoma.

Construtora

É a empresa contratada para a execução das obras, de acordo com o projeto.

A construtora tem como obrigação trabalhar segundo as normas do setor, assegurando a segurança do trabalho e os pagamentos referentes à mão-de-obra.

É bastante comum que as construtoras sejam também as incorporadoras do negócio.

Incorporação imobiliária - Considerações

Como resultado, percebemos que o principal objetivo de uma incorporação é viabilizar a obra em questão.

Portanto, podemos concluir que a incorporação imobiliária é um facilitador de negócios imobiliários e, além disso, contribui para o crescimento e desenvolvimento do mercado imobiliário brasileiro.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Desenvolvedor de conteúdos

Formado em Engenharia de Produção pela FAACZ, com experiência de mais de 5 anos no mercado financeiro do Brasil. Investidor e desenvolvedor de conteúdos sobre o mercado imobiliário, economia e investimentos.

Comentários