LVBI11: Depois de uma expressiva queda, rendimentos para cotistas voltam a crescer

O VBI Logistico - LVBI11 - fundo imobiliário administrado pelo BTG Pactual e gerido pela VBI Real Estate Gestão de Carteiras , divulgou hoje, 13 de dezembro de 2019, seu relatório gerencial referente ao último mês de novembro.

Em comunicado ao mercado, o fundo informou que distribuiu rendimentos no valor de R$ 4,3 milhões, equivalente a R$ 0,57 por cota, e que foram efetivamente pagos no dia 06 de dezembro.

O resultado, segundo consta no documento, é referente ao rendimento-caixa recebido ao longo do mês de novembro e que tem como competência o mês de outubro de 2019.

Esse é o primeiro mês que os aluguéis provenientes do Ativo Mauá e do Galpão 5 do Ativo Extrema, adquiridos ao longo do mês de outubro com os recursos provenientes da 2ª oferta, fazem parte do resultado do fundo.

Desempenho operacional foi de R$ 4,9 milhões

Ao final do mês de novembro, o fundo mantinha os ativos 100% ocupados e sem inadimplência no recebimento dos aluguéis e com uma posição de caixa de R$ 304.635 mil, em função dos recursos remanescentes da 2ª oferta.

Em vista disso, a equipe de gestão informou que continua trabalhando para finalizar a alocação desses recursos em ativos de acordo com a estratégia de investimento do fundo nos próximos meses.

O fundo obteve um resultado operacional de R$ 4,9 milhões. Este proveito compreende o valor líquido das receitas, que totalizaram R$ 5,8 milhões, descontado de suas despesas, que totalizaram R$ 0,9 milhões, conforme detalhado a seguir:

Em sua rentabilidade, ao final do mês de novembro, o valor de mercado da cota era de R$ 118,00 enquanto o valor patrimonial era de R$102,82.

O gráfico abaixo compara o CDI acumulado e o IFIX em relação ao valor da cota e aos rendimentos distribuídos desde a 1ª oferta pública de cotas em 16 de novembro de 2018.

Liquidez atinge média diária de R$ 2,3 milhões

No decorrer do mês de novembro, o fundo apresentou uma liquidez média diária de R$ 2,3 milhões. Já o volume negociado atingiu o montante de R$ 44,5 milhões, o que corresponde a 5% do seu valor de mercado.

No gráfico abaixo podemos perceber que a partir da segunda quinzena de agosto, o volume diário de negociações cresce de forma bem relevante.

Carteira de ativos do LVBI11 é composto por 3 ativos de galpões logísticos

O fundo hoje está representado com um portfólio de 3 ativos de galpões, sendo eles, o Ativo Extrema, Guarulhos e Mauá. Neste ano de 2019, seu histórico de vacância tem apresentado baixos índices, sendo que desde o mês de junho, o fundo contempla 100% de taxa de ocupação em seus ativos.

Ativo Extrema: o fundo detêm 100% do complexo composto por 5 galpões logísticos totalizando 121.611 m² de área construída locável, além das demais edificações de apoio.

Ativo Guarulhos: foi adquirido em novembro de 2018. Na mesma data, foi celebrado um novo contrato de locação com a empresa Intermodal Brasil Logística com prazo de 10 anos.

Ativo Mauá: o empreendimento foi desenvolvido no formato built-to-suit através de um contrato de locação atípico para a empresa DIA Brasil Sociedade Ltda., vencendo em 2036.

Seus locatários estão diversificados em setores como bebidas, varejo, petroquímica, logística, eletrodoméstico, beleza e estética.

O VBI Logístico é um fundo imobiliário do tipo tijolo com gestão passiva, do segmento de galpões, e que investe em empreendimentos imobiliários construídos para fins de geração de renda com locação ou arrendamento.

O fundo iniciou suas atividades em meados de 2018 e atualmente possui um patrimônio de R$775 milhões e cerca de 16 mil cotistas com uma taxa de administração de até 1,30% ao ano sobre o seu patrimônio líquido.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.

Comentários