05 de maio/20: Fechamento e principais destaques do dia



O IFIX apresentou nesta terça-feira (05), uma valorização de +0,20%, fechando o dia aos 2.587,55 pontos. No acumulado deste mês de maio e ano de 2020, a variação acumulada do índice é de -0,61% e -19,39%, respectivamente.

fiis

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

KFOF11: No fim de abril, 93% dos ativos do Fundo estavam alocados em fundos imobiliários. O rendimento que será distribuído em 15/05, é de R$ 0,45 por cota, equivalente a um dividend yield de 0,43% (178% do CDI Líquido) em relação à cota patrimonial de fechamento do mês.

KNHY11: O fundo fechou o mês de abril com 71,3% em ativos de CRI e os restantes 28,7% permanecem aplicados em instrumentos de caixa. Essa maior alocação em instrumentos de caixa se justifica pelo processo recente de emissão de cotas. Os dividendos referentes a abril serão de R$ 0,50 por cota e representam uma rentabilidade de 0,45% considerando a cota média da 3ª emissão (R$ 110,20).

KNCR11: Ao final de abril, o fundo apresentava alocação em CRI de aproximadamente 98,8% de seus ativos. Os restantes 1,2% está alocado em instrumentos de caixa. O dividendo referente a abril será de R$ 0,35 por cota e representa um rendimento de 0,36% (cota base R$ 95,55). Segundo seu gestor, Kinea, as operações dos CRIs possuem alto grau de segurança, para que possam atravessar momentos de maior risco, como o atual. Com isso, destacou que a carteira de ativos do fundo permanece saudável e adimplente em suas obrigações.

KNIP11: Ao final de abril, o Kinea Índice de Preços apresentava alocação em CRI equivalente a 97,2% do seu patrimônio. Essa parcela de seu patrimônio possui média ponderada de aquisição de 6,28% ao ano. Os dividendos serão de R$ 0,66 por cota e representa uma rentabilidade de 0,58% considerando a cota média da 5ª emissão, de R$ 113,94. Esse rendimento foi menor devido aos patamares mais baixos de inflação, medida pelo IPCA. Na medida que sejam apurados variações de inflação maiores na economia, os rendimentos refletirão esta dinâmica automaticamente.

KINP11: Devido as medidas restritivas impostas pela covid19, no mês de abril os stands de vendas continuaram fechados e o atendimento ao público foi realizado de maneira remota e online. Foi destacado também que por conta da estrutura de investimentos do fundo, sua rentabilidade não é impactada com as despesas de lançamento já incorridas e previstas para a reabertura dos projetos ainda não lançados. O retorno para o fundo permanece de IPCA + 10,5% ao ano, isento de impostos.

KNRE11: Em linha com o divulgado nos relatórios anteriores e levando em consideração os efeitos produzidos pela crise do coronavírus, a equipe de gestão segue avaliando os impactos do atual cenário no resultados esperando para o fundo e uma nova revisão na rentabilidade estimada não está descartada. No mês de abril foi distribuído R$ 10 milhões a título de amortização de principal, representando 0,54 por cota.

KNRI11: O fundo informou que durante o mês de abril não ocorreram movimentações na carteira de inquilinos. Dessa maneira, a vacância física se manteve-se em 5,52%, a vacância financeira em 8,20% e a vacância financeira ajustada pelas carências previstas nos novos contratos de locação em 8,84%. Será, portanto, distribuído no próximo dia 15 de maio, referente ao mês de abril, R$0,65 por cota. Esse valor representa um dividendo de 0,4% (cota base R$ 158,99). A equipe de relacionamento com inquilinos do fundo segue trabalhando ativamente de maneira a mitigar os potenciais efeitos que o prolongamento da crise relacionada ao Covid-19 possa exercer na geração de rendimentos futuros. Em paralelo, sua equipe de gestão predial também adotou uma série de medidas de forma a minimizar os custos de condomínio e está adotando as melhorias práticas operacionais nos prédios visando o retorno seguro de seus locatários.

BPML11: O fundo ressaltou que todos os seus ativos permanecem fechados por decretos governamentais. A expectativa é que neste mês de maio tenha a reabertura gradual, que deve começar pelo Sul, seguir para o Norte, até chegar no Sudeste, onde o Rio de Janeiro deverá ser o último a seguir com a abertura.

BRCR11: No mês de abril, o fundo teve a expansão de um locatário no ativo BFC para mais dois andares. O novo contrato tem prazo de 10 anos. Com esta locação a vacância do ativo sai de 19,4/5 para 8,3%. Neste momento, o fundo segue focado na segurança e bem estar da população de seus ativos, ao mesmo tempo em que buscam alternativas eficientes para mitigar os impactos financeiros, através da redução temporária de custos das operações prediais.

GGRC11 informou que após tratativas realizadas entre o fundo e a CEPALGO EMBALAGENS FLEXIVEIS LTDA. para regularização da inadimplência, o valor mensal à título de aluguel de R$ 216.426,05 foi pago pela locatária no último dia útil do mês de abril/20, o que representa cerca de R$0,03 por cota nos rendimentos a serem distribuídos pelo fundo referentes ao mês de abril/20. As Locatárias JEFER PRODUTOS SIDERURGICOS – EIRELI e SANCHES PARTICIPAÇÕES LTDA, após muitas tratativas, cumpriram também o pagamento do aluguel referente ao mês de abril/20 em duas parcelas acrescido dos encargos, sendo a primeira paga em abril/20 e a segunda será paga neste mês de maio/20, ficando mantido o pagamento pontual dos demais alugueis mensais com vencimento nos referidos meses. Já a locatária FARMÁCIA E DROGARIA NISSEI S/A não realizou o pagamento do aluguel mensal que venceu em 29/04/2020. O valor desse inadimplemento representará um decréscimo de aproximadamente R$0,03 por cota nos rendimentos a serem distribuídos pelo fundo referentes ao mês de abril/20.

SPTW11: A administradora e a gestora do fundo estão em contato direto com a locatária dos imóveis “Belenzinho” e “Badaró”, a fim de negociar um acordo que se adeque à atual crise originada pelo COVID-19 e que busque reduzir ao máximo eventual impacto causado aos rendimentos distribuídos aos cotistas. Esse contato permitiu com que as parcelas referentes aos alugueis dos imóveis correspondentes ao mês de abril fossem pagas no dia 02 de abril/20, em valor equivalente a 50% do valor devido, conforme informado no fato relevante divulgado em 02 de abril/20. Do mesmo modo, foi paga, ontem (04), a parcela correspondente ao mês de maio, também em valor equivalente a 50% do valor devido, podendo gerar um impacto negativo de R$ 0,30 por cota na distribuição de rendimentos no mês de maio/20, quando comparada a março/20.

MFII11: O fundo apurou o valor de R$ 2,99 por cota a ser distribuído como rendimento referente ao período de janeiro a março de 2020 e que, de forma a viabilizar um pagamento mensal, irá realizar o pagamento em 3 parcelas, sendo de (i) R$ 1,03 por cota aos cotistas detentores de cotas em 30 de abril/20 com pagamento em 15 de maio/20, (ii) R$ 1,01 por cota aos cotistas detentores de cotas em 29 de maio/20 com pagamento em 15 de junho/20 e (iii) R$ 0,95 por cota aos cotistas detentores de cotas em 30 de junho/20 com pagamento em 14 de julho/20.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários