06 de maio/20: Fechamento e principais destaques do dia



O IFIX apresentou nesta quarta-feira (06), uma desvalorização de -0,05%, fechando o dia aos 2.586,36 pontos. No acumulado deste mês de maio e ano de 2020, a variação acumulada do índice é de -0,56% e -19,44%, respectivamente.

fiis

Mercado de FIIs: Principais destaques e notícias do dia

XPIN11 adquiriu a unidade autônoma nº 20 do Edifício Topázio no Condomínio Centro Empresarial de Atibaia com área privativa total de 1.830,47 m² e as unidades autônomas números 04 e 04A, ambas do Edifício Brahms do Condomínio Empresarial Barão de Mauá, com área privativa total de 3.175,72 m² todas situadas no Município de Atibaia, Estado de São Paulo. O preço total pago pelo fundo para a aquisição dos imóveis foi de R$11.726.002,35. Estima-se que os rendimentos provenientes da locação serão de aproximadamente R$0,1260 por cota nos próximos 12 meses, correspondente à média mensal de R$0,0105 por cota, considerando o número de cotas emitidas pelo fundo hoje.

HGLG11: O fundo firmou no dia de ontem (05) o primeiro aditivo por meio do qual foram ajustadas as condições de pagamento para a aquisição da integralidade de três imóveis logísticos localizados na cidade de Extrema, estado de Minas Gerais. De acordo com as disposições do aditivo, que foram negociadas pela administradora levando em consideração os melhores interesses dos investidores do HGLG11, o valor a ser pago pelo fundo na aquisição do Imóvel permanece R$ 89.240.000,00. A efetiva aquisição do imóvel somente ocorrerá após o cumprimento das condições precedentes estabelecidas compromisso de compra e venda de imóvel e no aditivo. Até o momento, por consequência do pagamento do sinal, o fundo é remunerado mensalmente pelo valor de R$ 68.311,10 equivalente a 10% das receitas de locação do imóvel e aproximadamente R$ 0,01 por cota.

VVPR11: Foram estabelecidas novas condições para a aquisição do prédio industrial localizado no Município de Campinas, Estado de São Paulo, à Rua Ronald Cladstone Negri, nº 557, de modo que a aquisição do imóvel não se encontra mais sujeita às condições resolutivas originalmente pactuadas. O Imóvel foi adquirido pelo valor de R$ 18.680.000,00 e atualmente o imóvel está locado para um único inquilino, por meio de contrato de locação atípico com prazo total de 10 anos de duração, sendo que no dia de ontem (05), o prazo remanescente do referido contrato é de, aproximadamente, 4 anos. Com esta aquisição, a receita mensal do fundo terá um impacto de aproximadamente R$ 0,11 por cota, considerando as cotas das duas emissões já realizadas pelo fundo. Conforme condições comerciais firmadas na nova escritura, o VVPR11 fará jus ao equivalente a 75% do valor do aluguel do imóvel referente aos meses de abril, maio e junho.

TEPP11: Em abril, com a continuidade das restrições decorrentes da pandemia, seu gestor (Tellus Investimentos) deu continuidade no processo de discussão a respeito de eventuais flexibilizações no fluxo de locações dos ativos do fundo. Apesar de demandar bastante em termos de discussão, análise e negociação, o processo parece estar trazendo bons resultados, destacou o relatório. O fundo distribuiu em abril, assim como em março, um dividendo de R$0,49/cota. O volume médio diário negociado, por sua vez, foi de R$ 1,35 milhão. O TEPP11 informou também que o nome e o ticker do fundo estão sendo alterados: a partir de hoje (06), as cotas do SDI Properties FII (SDIP11) passam a ser negociadas com o nome de pregão “FII TEL PROP” e com novo código de negociação TEPP11. O Fundo passa formalmente a se chamar Tellus Properties FII. Segundo o relatório, com a mudança de nome do gestor, fazia sentido promover a mesma migração no nome e ticker do fundo.

HTMX11: Durante março, nenhuma unidade hoteleira foi vendida. Desde que o ciclo de desinvestimento iniciou, foram vendidas 382 unidades hoteleiras perfazendo o valor de R$ 44,61 por cota amortizada. No início de março a carteira do Fundo começou operando com 457 unidades hoteleiras em 23 hotéis. No dia 06 de março/20 foi realizada a Assembleia Geral Extraordinária de Cotistas que aprovou a 15ª emissão do FII Hotel Maxinvest. No entanto, devido ao novo cenário existente, acarretado pela pandemia do Coronavírus, a HotelInvest em conjunto com a BTG Gestora de Recursos LTDA estão analisando o momento mais adequado para iniciar uma eventual captação.

MGFF11: O fundo informou que o preço unitário sem custo de distribuição das cotas da 5ª emissão foi atualizado para o valor de R$83,94 que consiste no valor patrimonial das cotas no fechamento de 05 de maio/20, acrescido dos dividendos acumulados a serem distribuídos e somado ao custo unitário de distribuição de R$3,00 por cada nova cota, que não foi objeto de atualização e será arcado por todos os investidores que subscreverem as novas cotas.

CPTS11B: Fundo comunicou a modificação da oferta da 4ª emissão, em razão das condições adversas de mercado em virtude dos impactos do coronavírus e a deterioração e volatilidade do cenário de investimentos, onde alterou o cronograma indicativo da oferta, o preço de emissão e o preço de subscrição das novas cotas, o montante inicial da oferta, o montante mínimo da oferta, o valor do investimento mínimo por investidor, a definição de investidor institucional e investidor não institucional, o fator de proporção, a data-base para exercício do direito de preferência e a atualização do estudo de viabilidade. Além disso, disse que já foi iniciado o período de reserva e será aberto o período de desistência para investidores que já aderiram à oferta.

TRXF11: No dia 30 de abril, foi anunciado a distribuição de R$ 0,67 por cota aos investidores que detinham cotas naquela data. Esse valor representa um dividend yield anualizado de 8,55%, sobre a cota de fechamento do mês de R$ 94,00. As cotas do fundo negociadas no mercado secundário sofreram desvalorização de 2,08% no mês. No ano, a rentabilidade total do TRXF11, que inclui a variação da cota no secundário e a distribuição de dividendos, é de -4,95%, contra -16,56% do IFIX. Ainda em abril, não houve nenhuma inadimplência dos locatários dos imóveis do fundo e foi aprovado a 2ª emissão de cotas que tem como objetivo a captação de recursos para aquisição dos imóveis do Grupo Pão de Açúcar.

TGAR11: O TG Ativo Real FII apresentou em abril/20 uma variação de -2,19% em suas cotas negociadas em bolsa, ou -2,93% se desconsiderado os efeitos de distribuição de dividendos. Foi distribuído no mês R$ 0,80 por cota, representando 265% do CDI e um Dividend Yield de 0,76%. O fundo apresentou, um aumento na base de cotistas, contando com 17.739 cotistas ao fim de abril. Isso representa um aumento de 2,34% frente ao mês anterior. Quanto ao volume financeiro movimentado, o mês de abril totalizou R$ 15,8 milhões, com média de R$ 789 mil por dia. No consolidado dos últimos 12 meses, o volume financeiro negociado foi de R$ 359 milhões, aproximadamente. O fundo atingiu um resultado caixa de R$ 2.828.264 neste mês, correspondente a R$ 0,82 por cota. O TG Ativo Real investe em empreendimentos localizados em municípios expostos a sólidos ciclos de crescimento econômico ligados ou a movimentos de expansão e adensamento de regiões metropolitanas (por exemplo, Trindade, Senador Canedo e Valparaíso de Goiás) ou a fatores regionais específicos, com destaque para três regiões: Cinturão da Soja, MATOPIBA e região que engloba o Estado de Goiás, Triângulo Mineiro e o interior paulista.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários