RECT11 - FII apresenta nova compra e fica com 100% do ativo

A administradora do RECT11, BRL Trust,  comunicou ao mercado nesta quinta-feira (28) o compromisso de compra de mais um imóvel para seu portfólio de ativos.

Segundo informado no documento, o FII UBS (BR) Office - RECT11 - firmou um compromisso, onde se comprometeu a adquirir da BR Properties S. A. (BRPR) e, a BRPR se submeteu a vender ao fundo, uma fração ideal correspondente a 30% do imóvel "Edificio Barra da Tijuca", localizado na cidade do Rio de Janeiro. Com esta aquisição, o fundo passa a deter 100% do Imóvel.

O imóvel tem localização estratégica, próximo ao Barra Shopping e ao aeroporto de Jacarepaguá. Seu entorno conta com completa infraestrutura de serviços, restaurantes e varejo. A Avenida Ayrton Senna se articula no seu eixo com a Linha Amarela, se conecta com a Avenida das Américas e Avenida Sernambetiba, ligando com a orla marítima da cidade. A nova linha do BRT Transcarioca passa em frente ao imóvel.

Preço da aquisição

O preço para aquisição será de R$ 79.885.539,62 sendo que R$ 47.885.539,62 foi pago no dia de ontem, 27 de novembro à BRPR, à vista, e o valor remanescente foi pago, também na mesma data, com a utilização dos recursos decorrentes da securitização do saldo devedor.

Sobre o locatário do imóvel

Atualmente, o imóvel está totalmente locado à Telefônica Brasil S.A., por meio de contrato atípico, com vencimento em março de 2021.

A Telefônica Brasil S.A. é uma empresa de telecomunicações, com atuação em âmbito nacional e com um portfólio de produtos completo e convergente (voz fixa e móvel, banda larga fixa e móvel, ultra banda larga, dados e serviços digitais, TV por assinatura e TI), com aproximadamente 95 milhões de clientes ao final de 2018, sendo 73 milhões de clientes na operação móvel e 22 milhões de clientes na operação fixa.

É uma empresa de capital aberto, cujo acionista controlador é o Grupo Telefónica, grupo espanhol com mais de 90 anos de atuação e um dos maiores conglomerados de comunicação do mundo, com presença em 16 países, 336 milhões de acessos, aproximadamente 122 mil empregados e receitas de 48,7 bilhões de euros (2018). O Grupo Telefónica opera no Brasil através da marca Vivo.

Rendimentos futuros do RECT11

Na visão da administradora, o cap rate da transação é de 13,45% ao ano. Portanto, com esta transação, a distribuição de rendimentos do fundo deverá permanecer em aproximadamente R$ 1,00 por cota por mês.

Ainda segundo o administrador, essa perspectiva de rentabilidade esperada, não representa e nem deve ser considerada como promessa, garantia ou sugestão de rentabilidade futura.

Resultados do RECT11

O fundo encerrou o mês de outubro com distribuição de R$ 1,57 por cota, valor equivalente a 327% do CDI. Esse valor, quando se deduz o imposto de renda, tributo que incide sobre uma aplicação financeira, o rendimento distribuído pelo fundo passa a equivaler a 385% do CDI líquido do tributo.

Para ficar mais claro, o rendimento distribuído neste mês considera o resultado do mês de outubro e lucros acumulados de meses anteriores, que ainda não tinham sido distribuídos.

Com isso, o RECT11 atingiu no semestre o percentual de distribuição de 95% do lucro no regime caixa.

Em seu mercado secundário, a negociação das cotas foi iniciada em 29 de abril de 2019, com o preço de abertura correspondendo a R$ 100,00. No encerramento deste mês de outubro, a cota fechou em R$ 101,85.

O FII UBS (Br) Office é do tipo tijolo e seu objetivo principal é auferir receitas através do investimento e gestão ativa em ativos imobiliários de uso comercial.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Desenvolvedor de conteúdos

Formado em Engenharia de Produção pela FAACZ, com experiência de mais de 5 anos no mercado financeiro do Brasil. Investidor e desenvolvedor de conteúdos sobre o mercado imobiliário, economia e investimentos.

Comentários