Confira os rendimentos dos fundos imobiliários em Junho/20



O último dia útil do mês é a data em que a maior parte dos fundos de investimento imobiliário (FIIs) divulgam seus rendimentos mensais ao mercado.

Os valores são pagos e caem direto na conta do investidor.

Confira os dividendos anunciados pelos principais FIIs do mercado em junho.

Dividendo maior ou igual a 0,8%

dividendo fiis

De 0,7 a 0,79%

De 0,6% a 0,69%

De 0,5% a 0,59%

De 0,4% a 0,49%

Até 0,39%

dividendos fiis

Número de investidores em FIIs cresce 3,66%

De acordo com o boletim de mercado imobiliário da B3, o número de investidores em fundos imobiliários na Bolsa de Valores chegou a 848,85 mil investidores até o mês de maio/20.

Essa taxa representa um aumento de 30 mil novos investidores em FIIs, no mês.

Apesar de todas as incertezas que rodeiam o mercado de investimentos, fundos imobiliários ainda continua sendo a categoria de investimentos que mais cresce no Brasil.

238 é o número de fundos imobiliários no mercado secundário da bolsa de valores no Brasil

Já são 555 fundos registrados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o número de FIIs listados na B3 aumentou de 236 para 238 em maio/20.

fiis registros

O patrimônio líquido dos FIIs já somam R$ 99,1 bilhões (FIIs negociados na B3). Deste valor, R$ 9,21 bilhões foram de 28 ofertas públicas que aconteceram neste ano, até maio.

fiis ofertas publicas

Liquidez diária no mercado secundário de FIIs aumentou mais que o dobro em 2020

Fazendo um comparativo com o ano 2019, em 2020, até o mês de maio, a liquidez diária aumentou em 105,8%.

fiis liquidez

Fundos de Investimento Imobiliário no Brasil

Atualmente, 555 FIIs já estão listados no mercado brasileiro. Ao investir nessa categoria, o cotista compra participações em imóveis já existentes, em construções em desenvolvimento ou em crédito de dívidas emitidas para financiar outros imóveis.

Não se esqueça que essa classe de ativos consiste em um tipo de investimento em renda variável.

Entre os tipos de imóveis para investir estão:

  • Lajes corporativas (Escritórios comerciais);
  • Shoppings centers;
  • Galpões logísticos e industriais;
  • Hospitais e Universidades;
  • Imóveis de varejo;
  • Imóveis residenciais e loteamentos; e
  • Títulos de dívida imobiliária, como LCI e CRI.

Por meio dos Fundos Imobiliários, o cotista pode investir em imóveis sem precisar lidar com burocracia imobiliária e impostos , por exemplo.

Por último, vale destacar que esse conteúdo não representa indicações de compra ou venda de fundos imobiliários.

Para ter acesso aos relatórios de indicações, procure por Suno Research e Funds Explorer.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários