VISC11: Resultados de junho apresentam alívio para cotistas



Quer receber todas as notificações desse FII? Seguir FII Seguir Fundo

Vinci Shopping Centers FII (VISC11), FII administrado e gerido pelo BRL Trust e Vinci Real Estate, respectivamente, apresentou seu relatório de desempenho mensal referente ao mês de junho/20. Os destaques foram para a reabertura dos shoppings, distribuição de rendimentos e a rentabilidade bruta do mês.

  • Até o dia 7 de julho, 9 dos 13 shoppings em carteira encontram-se abertos representando 61% da receita imobiliária.
  • Na distribuição de rendimentos, o fundo seguiu a mesma política adotada em maio, equivalente à aplicação da cota patrimonial pelo CDI no período, líquido de impostos, que foi de R$ 0,19 por cota (Dividendo 0,18% no mês, cota base R$103,36).
  • O VISC11 apresentou uma variação positiva na cota de 3,8% no mercado. Somando a rentabilidade mais os rendimentos distribuídos, a valorização representou uma rentabilidade bruta de 4,0% no mês.

"No mês de junho, observamos uma melhora da situação de combate a pandemia do COVID19 de forma global, tendo diversos países já iniciado o relaxamento das medidas de restrição às atividades econômicas",  destacou a Vinci no relatório.

Quanto ao Brasil, a gestora disse que, especificamente ao setor de shoppings centers, ocorreu a reabertura da maioria dos centros comerciais.

No acumulado já são 374 shoppings localizados em 19 estados e 142 municípios que encontram-se em operação, o que corresponde a 65% dos shoppings no país.

No entanto, por consequência do aumento do número de casos e da intensificação do uso da rede hospitalar em algumas regiões do país, 47 municípios que haviam autorizado a reabertura de shoppings voltaram a restringir o funcionamento destes novamente, razão pela qual 129 shoppings foram fechados.

No caso dos ativos do VISC11, além dos 9 reabertos 2 já estiveram abertos e voltaram a fechar (Prudenshopping e Shopping Crystal), enquanto outros 2 shoppings ainda não reabriram (Minas Shopping e Shopping Paralela). Com isso, situação atual dos shoppings do portfólio é a seguinte:

VISC11

VISC11

Para compor os rendimentos distribuídos já mencionados, no mês de junho o resultado foi equivalente a R$ 0,09 por cota e as remessas dos shoppings totalizaram R$ 0,06 por cota.

A Vinci ressaltou que no mês de junho são recebidos os alugueis referentes ao mês de maio, período em que a maioria absoluta do portfólio esteve fechada e, com isso, o aluguel cobrado foi limitado aos shoppings que estiveram abertos e às operações essenciais dos shoppings que não puderam abrir, ainda assim com descontos relevantes ou somente a cobrança do aluguel percentual.

Após suas distribuições, o Vinci Shopping Centers encerrou o mês com uma reserva de resultado não distribuído equivalente a R$ 0,08 por cota.

No mercado secundário, o VISC11 movimentou um volume médio diário de R$ 4.576 milhões em negociações, o que representou um giro equivalente a 6% das cotas do fundo.

O VISC11 encerrou o mês de junho com 159.514 cotistas.

Destinado a investidores em geral, o VISC11 é um FII do tipo tijolo gestão ativa que possui patrimônio líquido de R$ 1,5 bilhões, uma taxa de administração de 1,20% ao ano e não é cobrado taxa de performance.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários