Com apenas 3 meses no mercado, XPCI11 concluiu 2ª emissão e já alocou boa parte dos recursos

O XP Crédito Imobiliário (XPCI11) é um fundo imobiliário administrado pelo Vórtx que iniciou suas atividades no mercado de bolsa em dezembro de 2019.

Em sua 1ª emissão de cotas encerrada em 12 de setembro/19, foram subscritas e integralizadas 1 milhão de cotas, ao preço de R$ 100,00 por cota, com um valor total da oferta de R$ 100 milhões.

XPCI11 - Resultados de fevereiro/20

O fundo concluiu a 2ª emissão de cotas no volume de R$ de R$ 450 milhões e, com o lote adicional, o montante total captado ficou em R$ 540 milhões.

De acordo com o XP Vista, gestor do XPCI11, sua equipe já trabalhava com a hipótese de captação integral da oferta com o lote adicional e, em função disso, já estava trabalhando fortemente na originação e estruturação de papéis para alocar o caixa captado o mais rápido possível, visando otimizar a estrutura de capital do fundo.

Com isso, no final do mês de fevereiro, o XPCI11 estava com 79% do Patrimônio Líquido (PL) alocado em 32 CRIs com uma boa diversificação de risco de crédito e setores da economia. O restante do PL está aplicado em instrumentos líquidos de Renda Fixa e outros FIIs.

"Como fato subsequente à data base da presente carta, na primeira semana de março, foram alocados R$ 105 milhões em novos CRIs e R$ 12 milhões em FIIs, de forma que o XPCI11 já se encontra com mais de 94% do PL alocado em CRIs".

Alguns pontos importantes sobre suas distribuições:

  • O fundo recebeu um total de R$ 2,47 milhões de rendimentos em CRIs e R$ 604,21 mil de juros oriundos da aplicação financeira do caixa;
  • As despesas somaram R$ 102,93 mil;
  • Seu resultado líquido no regime de caixa foi de R$ 2,97 milhões;
  • Considerando os rendimentos distribuídos aos cotistas que exerceram o Direito de Preferência, subscreveram as Sobras e aderiram à oferta, o montante distribuído foi de R$ 2,92 milhões;
  • Foram distribuídos 98,10% dos lucros apurados no mês segundo regime de caixa.

A distribuição no mês para os detentores de cotas XPCI11 representa aproximadamente 220,58% do CDI no período, já livre de impostos, o que equivale a um rendimento de 259,50% do CDI se considerarmos um gross up de 15% de impostos.

A distribuição de R$ 0,65 por cota comunicada no último dia útil do mês de fevereiro será realizada na próxima sexta-feira, 13 de março de 2020.

xpci11

As distribuições de R$ 0,42 por cota de Direito de Preferência (XPCI13), de R$ 0,42 por cota de Subscrição das Sobras (XPCI15) e de R$ 0,36 por Novas Cotas (XPCI14) divulgadas no último dia útil de fevereiro também serão realizadas no próximo dia 13.

Liquidez e mercado secundário: Ocorreram 8.003 negociações no período, movimentando um volume de R$ 16,21 milhões. A liquidez média diária na bolsa foi de R$ 900 mil e a cotação no mercado secundário fechou o mês a R$ 100,66 por cota.

Carteira de ativos: O portfólio do XPCI11 é composto atualmente por CRIs de Crédito Corporativo, Residencial e Comercial e uma parcela disponível em caixa. Ele está distribuído da seguinte forma:

xpci11

xpci11

O relatório evidenciou que o time de gestão do XPCI11 atuou fortemente durante o mês de fevereiro na aquisição de CRIs, de forma a alocar rapidamente os recursos captados. No total, foram realizados investimentos no valor de R$ 196,02 milhões em 15 CRIs, nos mercados primário e secundário.

Adicionalmente, houve um aumentou na exposição de ativos que já faziam parte do book de CRI, alocando um total de R$ 65,79 milhões.

-

O XP Crédito Imobiliário é um FII do tipo papel gestão ativa que tem o objetivo de obter ganhos através da aplicação em ativos financeiros, tais como:

  • CRI, LCI, LH;
  • Debêntures; e
  • Cotas de outros FIIs;

O XPCI11 possui cerca de 6,2 mil cotistas e sua taxa de administração é de 1% ao ano sobre o seu patrimônio líquido, que hoje está próximo de R$ 644 milhões.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.

Comentários