Esqueça as especulações. Invista em renda passiva!

O que gera riqueza, patrimônio e independência financeira no longo prazo é a acumulação de ativos geradores de renda.

É o que muitos chamam de renda passiva.

Portanto, esqueça day trade, swing trade, especulações de curto prazo.

Compre bons ativos, segure-os pelo maior tempo possível e reinvista os dividendos.

E quais seriam esses bons ativos geradores de renda?

  • Fundos Imobiliários;
  • Ações Nacionais;
  • Ações Internacionais;

Quais deles recomendamos mais ativamente, principalmente para o iniciante?

A primeira alternativa, obviamente.

Por apresentar uma volatilidade (variação nos seus preços de cotação) de cerca de um terço na comparação com as ações, os fundos imobiliários são bastante indicados para os investidores que estão começando.

Sabemos, é claro, que a volatilidade pode ser uma grande aliada do investidor de longo prazo, haja vista que, para quem não tem interesse em vender seus ativos, um cenário de queda de preços se configura, na verdade, em uma oportunidade de compra a preços descontados, por parte do investidor.

No entanto, para boa parte dos iniciantes, altas variações dos preços das cotas dos Fiis e das ações podem gerar sim, sem dúvidas, desconforto e insegurança.

Somente com uma abordagem de longo prazo é que esse tipo de incômodo é superado.

Muitos devem se questionar:

"Ok, mas como saber se um fundo imobiliário é bom ou ruim, ou seja, se vale a pena comprar suas cotas pensando no longo prazo? "

Essa é uma excelente pergunta.

O que responderíamos para esse investidor, em primeiro lugar, seria para ele se atentar sobre a proveniência da renda do fundo imobiliário em questão.

Olhar apenas um indicador, como o Dividend Yield, por exemplo, pode ser uma decisão precipitada, pois a análise de apenas esse indicador pode esconder muitos detalhes relevantes e que podem fazer diferença no médio prazo.

O que fazer, então?

Diríamos que uma das partes mais importantes de uma análise é tentar entender a proveniência dos rendimentos de um ativo financeiro.

No caso dos fundos imobiliários, seria muito importante, para o investidor, buscar analisar de onde sai o fluxo de caixa daquele Fii.

De uma maneira geral, a renda de um fundo imobiliário pode sair de 5 fontes:

  1. Aquisição de cotas de outros fundos imobiliários;
  2. Aluguel de imóveis;
  3. Aquisição de títulos de renda fixa atrelados ao mercado imobiliário;
  4. Arrendamento de imóveis;
  5. Construção e venda de imóveis;

Leia os relatórios gerenciais dos Fiis (alguns não emitem relatórios, outros emitem de maneira bem simplista. Use esse artifício como um de seus critérios de avaliação da gestão desse Fii) e tente entender a origem dos recursos desse fundo imobiliário.

Fazendo isso, você irá desenvolver um senso crítico bem interessante, não só sobre a indústria de fundos imobiliários, mas como em outras esferas da vida, como política e economia, por exemplo.

Temos certeza de que qualquer pessoa é capaz de desenvolver um juízo de avaliação coerente.

Para isso, basta dar o primeiro passo e continuar firme na jornada, pois no começo muitas dúvidas irão surgir, o que é extremamente natural.

Além disso, conte conosco para sua evolução como investidor da categoria de investimentos que mais cresce hoje no Brasil.

Precisamos de você na indústria de fundos imobiliários.

Investidores bem orientados e independentes contribuem para o desenvolvimento do mercado e, por consequência, do país.

Comece o quanto antes, se desenvolva e conte conosco!

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.

Comentários