FOFs: Entenda como investir em Fundos de Fundos Imobiliários

No mercado imobiliário brasileiro existem vários tipos de fundos imobiliários. Dentre eles, uma categoria de fundos imobiliários que se destaca são os FOFs — Fundos de Fundos. 

Portanto, neste conteúdo, iremos abordar tudo o que o investidor precisa saber antes de investir nos FOFs. Continue a leitura para descobrir!

O que são FOFs?

FOFs é uma sigla para Fundos de Fundos. São fundos imobiliários que buscam investir em cotas de outros fundos.

Sendo assim, o objetivo desses fundos é oferecer o melhor dos dois mundos: diluir riscos e otimizar ganhos. Para isso, esses FIIs têm o objetivo de oferecer, por um único veículo, acesso a diversas estratégias de investimento vinculadas ao mercado imobiliário.

Por regra, os FOFs precisam investir ao menos 95% do seu patrimônio em cotas de outros fundos. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) os diferencia dos outros fundos através da sigla FIC ou FICFI, que basicamente denota Fundos de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento.

Quais FOFs são listados na B3?

Na bolsa de valores, existem os seguintes Fundos de Fundos listados:

  • AFOF11 — Alianza FOF;
  • BBFO11 — BB Fundo de Fundos;
  • BCFF11 — BTG Pactual Fundo de Fundos;
  • BCIA11 — Bradesco Carteira Imobiliária Ativa;
  • BLMR11 — BlueMacaw Renda + FOF;
  • BPFF11 — Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos;
  • CPFF11 — Capitania REIT FOF;
  • CRFF11 — Caixa Rio Bravo Fundo de Fundos II;
  • CXCI11 — Caixa Carteira Imobiliária;
  • CXRI11 — Caixa Rio Bravo Fundo de Fundos;
  • DVFF11 — Devant Fundo de Fundos;
  • GCFF11 — Galapagos Fundo de Fundos;
  • HFOF11 — Hedge TOP FOF;
  • HGFF11 — CSHG Imobiliário FOF;
  • IBFF11 — FOF Integral Brei;
  • ITIP11 — Inter Teva Índice de Tijolo;
  • JBFO11 — JBFO FOF;
  • KFOF11 — Kinea Fundo de Fundos;
  • KISU11 — Kilima FOF Suno30;
  • MFAI11 — Mérito Fundos e Ações Imobiliárias;
  • MGFF11 — Mogno Fundo de Fundos;
  • MORE11 — More Real Estate FOF;
  • NAVT11 — Navi Imobiliário Total Return;
  • OUFF11 — Ourinvest Fundo de Fundos;
  • RBFF11 — Rio Bravo Fundo de Fundos;
  • RBRF11 — RBR Alpha Multiestratégia Real Estate;
  • RCFF11 — RBR Desenvolvimento Comercial Feeder FOF;
  • RECX11 — REC Fundo de Fundos; 
  • RFOF11 — RB Capital Fundo de Fundos;
  • RVBI11 — VBI Reits FOF;
  • SNFF11 — Suno Fundo de Fundos;
  • VIFI11 — Vinci Instrumentos Financeiros;
  • XBXO11 — R Cap 1810 Fundo de Fundos;
  • XPSF11 — XP Selection.

Como investir nos FOFs?

fundo-de-fundos

Da mesma forma que um investidor investe em fundos imobiliários, ele o fará ao investir em FOFs. Afinal, os Fundos de Fundos nada mais são do que FIIs.

Em vista disso, para investir nos FOFs basta ter uma conta em uma corretora de valores de sue preferência e buscar por um dos fundos listados acima. No entanto, antes de efetuar o investimento, é necessário saber quais são suas vantagens e desvantagens:

Vantagens dos FOFs

Os FOFs possuem diversas vantagens. As principais delas serão listadas abaixo:

Diversificação

Por natureza, os Fundos de Fundos tendem a diversificar o patrimônio daqueles que investem nesses FIIs. Isso acontece, pois, ao aplicar em apenas uma cota de um FOF, é possível ter acesso aos diversos outros fundos imobiliários em que esse FII investe.

Gestão profissional

Uma das grandes vantagens dos FOFs está relacionada à gestão profissional de sua carteira de ativos. Assim, o investidor, caso escolha bem seu FOF pode ficar despreocupado, já que seus investimentos estarão em mão de pessoas qualificadas para realizar o gerenciamento dos ativos.

Desvantagens dos FOFs

Apesar das vantagens, investir nos Fundos de Fundos Imobiliários têm suas desvantagens:

Taxação dupla

Um dos pontos aos quais o investidor deve se atentar ao investir nos FOFs se refere à taxação dupla. Isso quer dizer que além das taxas de administração que os próprios FIIs cobram, existem aquelas relacionadas aos fundos investidos por aqueles FOFs.

Risco de gestão

Mesmo que os FOFs sejam geridos por gestores profissionais, sempre existe o riscos relacionados à má gestão. Afinal, são seres humanos por trás das decisões tomadas, ou seja, mesmo que sejam profissionais, são passíveis de cometer erros.

Como declarar FOFs no Imposto de Renda

Declarar o rendimento dos FOFs no Imposto de Renda (IR) funciona da mesma forma que os fundos imobiliários. Segue um passo a passo para a declaração desses FIIs:

fundo-de-fundos

1º Passo – Informe de rendimentos

 Nos fundos imobiliários, geralmente, o cotista recebe o seu informe de rendimentos através do email registrado na bolsa de valores ou pelos correios. Caso o cotista não tenha recebido esse documento é necessário entrar em contato com o administrador do FII para obtê-lo.

 O informe de rendimentos contém todas as informações necessários para que o investidor faça a sua declaração de imposto de renda.

2º Passo – Declarando fundos imobiliários

Para declarar os FIIs, é necessário que o investidor faça o download do programa de declaração do imposto de renda da receita federal e acesse:

  •         Ficha “Bens e Direitos”
  •         Grupo 07 – Fundos
  •         Código 03 – Fundos de Investimento Imobiliário (FII)

A partir disso, é necessário especificar o nome e CNPJ do FII, a corretora custodiante e o preço médio por cota adquirida do fundo imobiliário. Ressalta-se que todas essas informações podem ser obtidas do informe de rendimentos do fundo.

3º Passo – Rendimentos isentos

Os rendimentos isentos devem ser declarados com o código 26 na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. Neste caso, é preciso colocar o CNPJ do administrador do FII, que consta no informe de rendimentos do cotista.

4º Passo – Rendimentos tributáveis

Os rendimentos tributáveis devem ser declarados caso haja alguma negociação de cotas de fundos imobiliários. Esses rendimentos devem ser declarados na ficha “Renda Variável”, na opção de “Operações de Fundos de Investimento Imobiliário”.

Nesta etapa é necessário que o cotista informe o ganho líquido ou prejuízo proveniente de suas operações com fundos imobiliários. É importante ressaltar que é possível compensar as perdas em operações de FIIs com ganhos em negociações de outros fundos imobiliários.

Caso haja o ganho líquido, a tributação ocorre a uma alíquota de 20% sobre o lucro obtido nas negociações. Além disso, a emissão e pagamento da DARF é de total responsabilidade do investidor e deve ser informada no campo “Imposto Pago” após o recolhimento do imposto.

5º Passo – Não se esqueça de revisar

É muito importante que o cotista revise todos as informações preenchidas. Em caso de divergência das informações enviadas com as da receita federal, é possível que ocorram pendências no processamento da declaração.

Além disso, é importante ressaltar que esse preenchimento das informações descrito acima deve ser feito para cada FII detido pelo cotista.

Considerações Finais

Em síntese, poderíamos dizer que os FOFs funcionam como uma espécie de LTN (Letras do Tesouro Prefixada), mas, com diferenças mais interessantes como rendimentos mensais, líquidos de IR e com perspectiva de reajustes anuais.

Dessa forma, os FOFs – Fundo de Fundos podem ser uma excelente escolha para aqueles investidores que não querem se preocupar com as oscilações do mercado e desejam obter retornos medianos se acumulando ao longo do tempo.

 

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Autor

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.


Comentários