Gestão de FIIs. Você deveria se atentar a ela?



Quem acompanha as nossas newsletters percebe o quanto falamos por aqui sobre a importância de se avaliar a qualidade da gestão de um fundo imobiliário.

Hoje, gostaríamos, especificamente, de destacar alguns pontos os quais achamos serem convenientes de se observar em relação a esse fator de bastante relevância no que tange a decisão de se investir em determinado fundo imobiliário ou não.

Segue abaixo, portanto, pontos importantes a se levar em consideração na análise da gestão de um fundo imobiliário:

  • Qualidade e apresentação de informações nos relatórios gerenciais, ou seja, a sua clareza, transparência e organização na entrega do conteúdo. Tente entender, ainda, mediante a “fotografia” que a gestão envia através dos seus relatórios, qual é o filme que existe por trás daquela imagem;
  • Capacidade do gestor de se manter próximo aos locatários e dos ativos que ocupam. Faça o exercício de se perguntar: o gestor se presta ao trabalho de adequar o ambiente de modo a atender as necessidades dos locatários? Essa indagação pode ser um bom critério de avaliação;
  • Avalie a qualidade do relacionamento dos gestores com os seus cotistas. Lembre-se que os gestores são quem “cuida” do patrimônio dos investidores. Por conta disso, quanto maior (e melhor) for o nível de relacionamento entre as partes, em tese, maior deveria ser o nível de confiança. Procure fazer contato por e-mail, telefone e/ou presencialmente com os gestores, e preste atenção ao nível e à qualidade de retorno dos profissionais ali envolvidos;
  • Entre no site da gestora e procure entender o nível de importância que a mesma dá para os fundos imobiliários no seu portfólio de produtos. Tente enxergar esse parâmetro com olhos críticos. Procure buscar saber qual o tamanho do patrimônio dessa gestora que está alocado nos Fii e os compare com outros produtos. Fazendo isso, você consegue perceber o tamanho da importância dos produtos na “prateleira” do gestor.
  • O gestor precisa acompanhar as operações. Precisa mostrar, através dos seus relatórios, o acompanhamento dos ativos presentes ali dentro, ou seja, os eventuais imóveis, CRIs e demais ativos de renda fixa, contratos atípicos, a saúde financeira dos inquilinos, enfim, o gestor tem de ser muito diligente e manter o acompanhamento de todas as operações (posições), bem como a reciclagem da carteira visando a melhor relação de risco/retorno possível.

É claro que um processo de análise da gestão envolve pontos mais específicos e aprofundados do que os citados acima.

Falamos, inclusive, sobre esse processo com maior clarividência em uma das aulas do nosso Close Friends, que abrirá novas turmas em breve.

No mais, temos total convicção que o amadurecimento dessa avaliação se faça naturalmente com o tempo, desde que seja iniciada.

Isto posto, avaliar a gestão aplicando os passos acima pode, em nossa opinião, fazer com que os investidores (principalmente os iniciantes), comecem a desenvolver senso crítico e opinião própria em relação aos profissionais que administram os ativos presentes dentro da categoria de investimentos que mais cresce hoje no Brasil.

Conte conosco.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.




Comentários