O índice IFIX: conheça suas definições e características



Muitos nos questionam, tanto por mensagens nas redes sociais, quanto por e-mails, o que seria o IFIX, termo esse um tanto quanto confuso para os iniciantes e recorrentemente citado nos assuntos relacionados à indústria de fundos imobiliários.

Antes de explicar o que é o IFIX, contudo, é interessante mencionar que é normal que toda classe de ativo financeiro negociada no mercado de capitais e financeiro, possua uma referência do setor ou benchmark que, resumidamente, serve para medir o desempenho de um setor ou de uma determinada categoria de ativos.

Um exemplo disso, no Brasil, é o índice Ibovespa que mede o desempenho das ações mais negociadas no mercado nacional, segundo critérios e metodologias especificadas pela bolsa de valores local, a B3.

Dito isso, cabe salientar que, em relação aos fundos imobiliários, esse tipo de comparação com um índice “padrão” não é diferente.

IFIX - Índice que representa os fundos imobiliários na bolsa de valores

O IFIX, portanto, é o índice que mede o desempenho médio do mercado de fundos imobiliários negociados em ambiente de bolsa de valores e balcão organizado.

Cabe aqui mencionar que o IFIX existe desde setembro de 2012, sendo que, contudo, o desempenho deste indicador é medido desde o final do ano de 2010.

De uma maneira resumida e prática, o IFIX, nada mais é do que uma carteira teórica de FIIs, e o resultado deste portfólio é uma pontuação baseada em uma média ponderada dos valores de todos os fundos imobiliários que compõem este índice.

Adicionalmente, a carteira do IFIX possui rebalanceamentos a cada 4 meses, sendo que nenhum fundo pode ter mais que 20% de participação neste portfólio.

Além disso, os pesos, ou seja, a participação de cada fundo imobiliário no IFIX é definida, basicamente, pela capitalização de mercado daquele fundo, isto é, pelo valor de mercado do ativo mais suas distribuições.

É um índice de retorno total (contempla os dividendos distribuídos e a variação das cotações).

Critérios para um fundo imobiliário fazer parte do IFIX

Para que um fundo imobiliário possa fazer parte deste índice, a bolsa de valores local, representada pela B3, estabelece alguns critérios que os fundos devem cumprir de forma acumulada:

  • Estar classificado entre os ativos elegíveis, nos períodos de vigências das 3 carteiras anteriores, em ordem decrescente do índice de negociabilidade (IN) da B3, e que representem, em conjunto, 95% da soma do total destes indicadores;
  • Estar presente em pelo menos 95% dos pregões nos últimos 12 meses;
  • Não ser um fundo que tenha as suas cotas negociadas na casa dos centavos no mercado (FIIs “Penny Stock”);

Para saber quais são os fundos imobiliários presentes dentro do IFIX, e suas respectivas participações, basta acessar o nosso site, onde temos uma página exclusiva abordando esse índice e a sua composição. Clique aqui para conferir.

 

Ainda não entende muito bem sobre Fundos Imobiliários? Baixe nosso e-book gratuito e entenda de maneria simples como funcionam seus segmentos no mercado.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.




Comentários