Se você já trabalhou com carteira assinada ou já aplicou na caderneta de poupança, provavelmente já ouviu falar da taxa TR.

A taxa TR (Taxa Referencial) é uma taxa mensal que foi criada com o objetivo de servir de referência para a taxa de juros no Brasil, numa tentativa de controlar a inflação durante o governo Collor, no início dos anos 1990.

Esse indicador (Taxa TR) leva em consideração um redutor do Banco Central, que depende da Taxa Básica Financeira (TBF). Esse redutor pode ser alterado sempre que for necessário, desde que tenha a finalidade de garantir a competitividade da poupança frente aos demais produtos financeiros.

Atualmente, a taxa TR é usada como um fator de correção monetária de empréstimos, do FGTS e de investimentos. Mas é conhecida principalmente por quem utiliza a poupança.

Entendendo a taxa TR

taxa tr

Popularmente conhecida como TR, a Taxa Referencial nada mais é do que uma taxa de juros de referência utilizada para determinar o rendimento de investimentos no país.

Vale mencionar que ela é calculada e definida pelo Banco Central do Brasil.

Entretanto, apesar de a TR ser muito importante no dia-a-dia do brasileiro, muitos não conhecem muito bem o seu papel na prática.

Além disso, é comum saber que grande parte da população não tem conhecimento, por exemplo, que é essa taxa referencial que define:

  • O rendimento das cadernetas de poupança
  • Os títulos públicos
  • O rendimento do FGTS
  • A correção dos financiamentos imobiliários e de alguns outros empréstimos
  • Outros investimentos

É importante destacar, também, que essa taxa tem seus valores divulgados diariamente pelo Banco Central, e também é possível encontrar informações dos valores da TR mensal e o histórico anual da taxa.

Como a taxa TR é calculada

taxa tr

A TR é calculada com base em uma outra taxa chamada TBF (Taxa Básica Financeira).

Essa taxa é calculada e divulgada todos os dias pelo Banco Central que faz pesquisas junto aos 30 maiores bancos do país, solicitando informações sobre as taxas praticadas por eles nos CDBs prefixados.

Para conhecimento, veja a fórmula de cálculo da TR:

R= a+b. TBF

R: é chamado de redutor a: 1,005 (valor definido na criação da TR) b: Valor divulgado pelo Banco Central que depende diretamente da TBF TBF: tarifa básica financeira divulgada pelo BACEN

Encontrado o valor do redutor, passamos para o seguinte cálculo:

TR= 100. [ (1 + TBF/R) – 1]

Uma regra importante é de que quando a TBF possuir valor baixo o suficiente para retornar uma TR negativa, ela será igual a zero.

Devido a isso, não há como a remuneração da poupança ser reduzida pela correção monetária.

Os cálculos da taxa TR sofreram algumas alterações desde a sua criação.

Nos dias atuais, como foi dito, ela é calculada a partir da remuneração mensal média dos Certificados e Recibos de Depósitos Bancários, com o prazo variável de 30 e 35 dias e emitidos pelas 30 maiores instituições financeiras do Brasil.

Taxa TR - Considerações

Por fim, é possível concluir que além de ser uma variável importante para o cálculo do rendimento mensal da caderneta da poupança, a Taxa TR também é utilizada como um indexador das prestações dos empréstimos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), já que os recursos são provenientes da poupança e destinos à construção de imóveis.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Desenvolvedor de conteúdos

Formado em Engenharia de Produção pela FAACZ, com experiência de mais de 5 anos no mercado financeiro do Brasil. Investidor e desenvolvedor de conteúdos sobre o mercado imobiliário, economia e investimentos.

Comentários