No mercado financeiro brasileiro, existem diversos tipos de fundos para investir.

Porém, se você está pensando em começar a investir ou se já é um investidor mas não tem muito conhecimento do mercado, termine de ler este artigo e conheça todos os tipos de fundos que temos no Brasil.

Os tipos de fundos são uma modalidade de investimento que se distribui em várias categorias. Existe uma gama de modelos desde a renda fixa até a variável e para todos os perfis de investidores.

Por certo, o fundos podem contribuir especialmente para aqueles que não tem muito conhecimento do mercado financeiro.

É também interessante para aqueles que não tem tempo de acompanhar o mercado para obter o conhecimento e fazer as análises necessárias.

Mas, para que o investidor saiba para onde direcionar seus investimentos, vamos mostrar os tipos e modelos que existem nesta aplicação.

Tipos de Fundos

tipos de fundos

Atualmente, existem seis tipos de fundos de investimento, os quais dentro deles podem se distribuir os diversos setores do mercado financeiro. Veja:

  • Fundos abertos: os cotistas podem solicitar o resgate a qualquer momento.
  • Fundos fechados: nestes, o cotista só pode resgatar as suas cotas ao término do prazo de duração ou em virtude de eventual liquidação.
  • Fundos restritos: já esses, são constituídos para receber investimentos de um grupo restrito de cotistas.
  • Fundos exclusivos: esse fundo é constituído para receber aplicações exclusivamente de um único cotista.
  • Fundos de investimento com carência: seus resgates são feitos após o término da carência.
  • Fundos de investimento sem carência: resgates a qualquer momento, isto é, liquidez diária.

Além dessas características, existem os modelos que compõem esse investimento, onde se distribuem da seguinte forma:

  1. Fundos de Renda Fixa (FRF)

Sua carteira é composta por títulos que rendem uma taxa previamente acordada.

Esses fundos se beneficiam em um cenário de queda de juros, mas tem o risco de taxa de juros e eventualmente crédito. Veja os tipos de fundos de renda fixa:

  • FRF de curto prazo: Tem o objetivo de proporcionar a menor volatilidade possível dentre os fundos do mercado brasileiro.
  • FRF referenciado: Tem sua atuação restrita e respectiva nos mercados de derivativos à realização de operações com o objetivo de proteger posições.
  • FRF simples: Fundo que tem seu patrimônio representado por títulos da dívida pública federal.
  • FRF dívida externa: Fundo que tem seu patrimônio representado por títulos da dívida externa de responsabilidade da União.
  1. Fundos de Ações (FA)

Fundo com carteira de renda variável. Sua performance está sujeita a variação de preços das ações negociadas em bolsa de valores.

  1. Fundos Cambiais (FC)

Esses fundos têm como principal indicador de sua carteira a variação de preços de moeda estrangeira ou a variação do cupom cambial.

  1. Fundos Multimercado (FM)

Sua política de investimento envolve vários fatores de risco, sem o compromisso de concentração em nenhum ativo em especial.

  1. Fundos de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento (FICFI)

Seu principal objetivo é investir em cotas de outros fundos de investimento.

  1. Fundos de Investimento em Índice de Mercado – Fundos de Índice

O fundo é uma comunhão de recursos destinados à aplicação em carteira de títulos que vise refletir as variações de um índice de referência, por prazo indeterminado.

  1. Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC e FIC-FIDC)

São constituídos por títulos de crédito originado de operações realizadas nas instituições financeiras, na indústria, arrendamento mercantil, hipotecas, prestação de serviços e outros títulos que possam ser admitidos como direito de crédito pela CVM.

  1. Fundos de Investimento em Participações (FIP)

Adquirem ações, debêntures, bônus de subscrição ou outros valores mobiliários conversíveis ou permutáveis em ações de emissão de companhias, abertas ou fechadas.

Os investidores que aplicam nesse instrumento financeiro se tornam proprietários de cotas do fundo e participam do processo decisório da empresa investida.

  1. Fundos de Investimento em Empresas Emergentes (FIEE)

Carteira direcionada para valores mobiliários de emissão de empresas emergentes.

Empresa emergente – Empresa que apresente faturamento líquido anual, ou faturamento líquido anual consolidado, inferiores a R$150 milhões.

  1. Fundos de Investimento Imobiliário (FII)

Destinam-se ao desenvolvimento de empreendimentos imobiliários, tais como construção e aquisição de imóveis prontos ou investimentos em projetos.

Conclusão

tipos de fundos

Definitivamente, os investidor está rodeado com uma cesta de investimentos com diversas condições e para qualquer perfil.

Por isso, basta escolher os tipos de fundos que deseja investir e assim obter bons rendimentos em suas aplicações.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.

Comentários