Disponível na bolsa brasileira desde novembro de 2020, os fundos de investimentos imobiliários, mais conhecidos como FIIs, são uns dos investimentos preferidos dos investidores, que buscam lucros advindos da renda variável, porém no segmento de imobiliário.

No entanto, os FIIs podem ir além do investimento em propriedades imobiliárias geradoras de renda. Os fundos imobiliários contam com uma funcionalidade parecia ao que ocorre no mercado acionário, o aluguel de FIIs. 

O que é aluguel de FIIs?

O investimento em FIIs garante a aquisição de uma pequena parte de uma propriedade, composta de apartamentos, escritórios, hospitais, shopping centers e hotéis. Além disso, os dividendos dos fundos imobiliários são isentos de imposto de renda e tem potencial de oferecer retornos consideráveis  para os investidores. 

Desse modo, para aqueles investidores que visam o longo prazo, a acumulação de cotas com foco nos rendimentos, torna-se uma opção nos investimentos. O serviço de aluguel de FIIs envolverá sempre duas partes: dono das ações, denominado doador e aquele que realiza o referido aluguel, denominado tomador. 

Vejamos o papel que cada um deles desempenham: 

  • O doador será sempre aquele que, geralmente, não  possui a  intenção de vender suas cotas no curto prazo. Desse modo, utiliza a opção de alugar, como meio para garantir maior rentabilidade em seus investimentos. 
  • O tomador é o investidor que procura oportunidades de ganhos no curto prazo. Neste caso, o tomador opera acreditando que haverá uma queda do ativo. Utilizando uma estratégia  conhecida como “operar vendido” ou “short”.

Como funciona o aluguel de FIIs?

O aluguel de FIIs atende o objetivo de ambos investidores, sejam eles doadores ou tomadores. No caso dos doadores, o aluguel de sua cota terá concessão mediante a uma taxa, que trará uma certa rentabilidade para esse tipo de investidor em determinado período de tempo.

Em contrapartida, o tomador preocupa-se com a queda no valor da cota, ou seja, seu objetivo é alugar o FII, pagar a devida taxa ao doador, vender a cota por um preço mais baixo e recomprá-la posteriormente por um valor mais baixo, devolvendo-a ao doador. 

Desse modo, acreditando que uma cota possa se desvalorizar em um determinado período de tempo, o tomador realiza o aluguel, tendo ganhos com a sua operação, caso sua estratégia seja assertiva.  

Riscos no ​aluguel de FIIs

O aluguel de FIIs possui duas partes envolvidas, o investidor que oferta as suas cotas para aluguel (doador) e o investidor que as aluga, de modo a operar vendido (tomador). Desse modo, assim como o objetivo da operação ocorre diferenciadamente para ambos, o nível de risco também é diferente. 

No caso do doador, há baixo risco, uma vez que o pagamento do aluguel possui garantia pela B3, mesmo que o tomador não compareça com o seu compromisso. No entanto, para o tomador o cenário de risco é diferente. 

Para aqueles que desejam alugar cotas de fundos imobiliários, os riscos envolvidos são maiores, uma vez que a aposta na queda do preço do ativo trata-se de especulação. Sendo assim, caso o tomador cometa um erro em sua análise, onde a cota do FII vá em direção contrária ao esperado, toda sua operação terá prejuízo. 

Em suma, para aqueles que desejam operar vendido nos fundos imobiliários, é necessário que já possuam uma certa afinidade com o mercado como um todo, entendendo as técnicas necessárias para analisar as tendências nos valores das cotas, bem como, os fatores externos que podem impactar no preço dos ativos. 

Como alugar cotas de FIIs? 

Como qualquer ativo financeiro, os FIIs são negociados através de uma corretora de valores, estando disponível para qualquer investidor. Caso o seu interesse seja atuar como doador, será necessário entrar em contato com a corretora e informá-la a quantidade, a taxa de remuneração e o prazo de aluguel da cota.  

Caso seja do seu interesse atuar como tomador, além de ser necessário entrar em contato com a corretora, torna-se obrigatório que o investidor ofereça garantias de pagamento, que poderá ser realizada através de outros investimentos em carteira, sejam eles de renda fixa ou variável. 

Em suma, quando a corretora aceitar as garantias ofertadas, o tomador já poderá realizar avaliar as cotas disponíveis e as características da operação, realizando assim, o  aluguel de FIIs e iniciando sua estratégia.