BLMG11 registra queda de 4,88% no valor patrimonial; quais são os impactos?

O fundo imobiliário BLMG11 apresentou uma variação negativa em comparação com o balanço divulgado no mês anterior; veja detalhes

BLMG11 registra queda de 4,88% no valor patrimonial; quais são os impactos?

O fundo imobiliário BLMG11 divulgou em fato relevante nesta quarta-feira (17) uma variação negativa no valor de seu patrimônio líquido. De acordo com o documento, o valor apresentou queda de 4,88% na comparação com o balanço anterior.

“Os ativos do fundo foram reavaliados a valor justo em dezembro/2023 pela empresa especializada independente Colliers Technical Services (“COLLIERS”), resultando em uma variação negativa de 4,88% no valor do patrimônio líquido do fundo em 29/12/2023”, afirmou a gestão do BLMG11.

No último relatório, o FII BLMG11 destacou que seu patrimônio líquido atingiu R$ 320.924.522, sendo R$ 84,22 o valor patrimonial da cota. Com essa queda, o valor patrimonial de BLMG11 em 29 de dezembro de 2023 deve ficar em cerca de R$ 305,2 milhões no próximo relatório.

Além disso, o FII BLMG11 detém propriedade de quatro galpões, sendo três de padrão AAA. Vale ressaltar que o fato relevante não cita detalhadamente os resultados da reavaliação para cada imóvel.

Portfólio FII BLMG11

O Bluemacaw Logística é um fundo de investimento imobiliário de gestão ativa institucional de investimentos imobiliários no setor de galpões, com foco em renda, também buscando apreciação de capital.

O fundo tem como inquilinos Via Varejo, Dafiti, Mercado Livre/Toyota e Baker Hughes, em galpões localizados no Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Bernardo do Campo (SP) e Jandira (SP), respectivamente. Os três primeiros contam com uma participação de 71,2% do ativo e, no último, o FII detém 100% de propriedade.

Esses quatro ativos geraram R$ 6,6 milhões – ou R$ 5,5 milhões na proporção do BLMG – de receita e R$ 2,6 milhões no mês de novembro de fluxo de caixa para o BLMG11.

O FII BLMG11 afirmou ainda no documento que a amortização mensal das dívidas dos três ativos em sociedade com a Oaktree será quitada nos próximos anos com os aportes vindos da Oaktree.

foto: Vanessa Loiola
Vanessa Loiola

Jornalista formada pela PUC-SP e pós-graduanda em jornalismo de dados, automação e data storytelling pelo Insper. Possui experiência na cobertura das editorias de economia, finanças, bolsa de valores, política, setor elétrico, eletromobilidade e entretenimento.

últimas notícias