Veja os 6 fundos imobiliários de papéis que estão em “ponto de compra”, na visão da XP

Confira os 6 fundos de papel recomendados pela XP Investimentos.

Veja os 6 fundos imobiliários de papéis que estão em “ponto de compra”, na visão da XP

A XP Investimentos recomenda a compra de 6 fundos imobiliários que investem em papéis. Os FIIs selecionados pelos analistas possuem retornos atrativos num cenário de inflação elevada e taxa Selic no patamar de 13,75%. Os fundos selecionados são: KNCR11, XPCI11, CPTS11, RBRR11, MCCI11 e VGIR11.

Na visão da XP, a escolha desses fundos se justifica pelos bons rendimentos e menor risco de perda de patrimônio. Por isso, 52,5% dos FIIs da carteira recomendada da XP são de papéis. 

Em uma carteira diversificada, os fundos imobiliários que investem em crédito imobiliário são opções para “diversificação e mitigação de risco, principalmente em períodos de alta volatilidade do mercado”, afirmam os analistas. 

A XP acrescenta que os fundos imobiliários com papéis indexados em CDI+ “devem se beneficiar do cenário macroeconômico com a taxa de juros Selic em patamares mais elevados”. 

Veja no detalhe o racional de cada FII que está em “ponto de compra” na visão dos analistas.

Os 6 Fundos imobiliários de papel recomendados pela XP

XPCI11

Na estratégia de crédito do XPCI11, seu portfólio é composto de CRIs com boa qualidade, credores com risco de crédito saudável e estrutura de garantias sólidas, afirma a XP.

Na recomendação dos analistas, o fundo XPCI11 deve ter rendimentos reais ainda em patamares favoráveis, “além de negociar atualmente com desconto de aproximadamente 10% em relação ao seu valor patrimonial”.

KNCR11

O KNCR11 possui 94,1% do seu patrimônio líquido indexado ao CDI e 5,3% à Selic. O FII está posicionado com um “portfólio que deve lhe trazer níveis favoráveis de rendimentos durante o atual período de altas taxas de juros”, afirma a XP. 

Além disso, o risco de crédito e risco de mercado do fundo da Kinea são menores que seus pares, afirmam os analistas.

CPTS11

A XP acredita que o fundo da Capitânia terá rendimentos favoráveis com seu portfólio atual ao longo dos próximos anos. O ponto alto do CPTS11, é o histórico da equipe de gestão, que “possivelmente deve contar com importantes ganhos com a negociação de seus ativos”, destaca. 

RBRR11

Os analistas pontuam que a partir do desempenho de sua carteira de CRIs, o fundo RBRR11 deve obter rendimentos reais favoráveis ao longo dos próximos anos.

Além disso, o fundo possui uma estrutura para originação e estruturação próprias de CRIs, contando com uma “diversificação entre indexadores, tipos de riscos de crédito e setores econômicos dos ativos”, destaca a XP.

MCCI11

Atualmente, o fundo está negociando próximo ao seu valor patrimonial. Nesse preço, os analistas consideram o desconto interessante. 

O dividend yield anualizado do MCCI11 é de 13,1%, com rendimento de R$ 0,95 por cota, que devem ser mantidos ao longo do primeiro semestre de 2023. 

VGIR11

O portfólio do VGIR11 é majoritariamente indexado ao CDI, com 96,3% da carteira de CRI., O objetivo do fundo é entregar rentabilidade tendo como referência CDI.

Atualmente, o fundo está negociando próximo ao seu valor patrimonial, com um dividend yield anualizado é de 14,8%. A rentabilidade do fundo “deve se beneficiar no curto prazo com o seu nível relativamente alto de spread médio e com os atuais patamares da taxa Selic”, afirma a XP.  

Os outros setores de FIIs que compõem a carteira recomendada

Além dos fundos citados anteriormente, a carteira recomendada da XP possui FIIs de vários segmentos com diferentes pesos, tais como:

Confira abaixo os outros fundos recomendados pelos analistas:

Por fim, esta matéria tem o objetivo educacional, sem qualquer relação com as indicações de fundos imobiliários citados.

foto do autor: Gustavo Silva
Gustavo Silva

Jornalista com doutorado pela UFMG e produtor de conteúdo da unidade de mídias da Suno. Também trabalha no Suno Notícias e Funds Explorer, fazendo a cobertura de FIIs, Fiagro e FI-Infra.

últimas notícias