O Fundo de Investimento Imobiliário Maxi Renda (MXRF11), administrado pela BTG Pactual Serviços Financeiros, divulgou seu relatório gerencial nesta quinta-feira (18) referente a janeiro de 2021, no qual divulgou seus resultados e rendimentos acumulados até o fechamento do mês.

Um dos pontos destacados do relatório foi o elevado crescimento no número de cotistas do MXRF11, que teve alta de 3% no mês de janeiro, totalizando 323803 ao todo até o final do mês. Segundo dados da B3, esse aumento foi o maior da indústria de FIIs no Brasil durante esse período.

A distribuição dos rendimentos do fundo no mês em questão foi de R$0,08 por cota, realizada no dia 12 de fevereiro e anteriormente anunciada aos cotistas ainda no dia 31 de janeiro. Os cotistas com direito ao recebimento desses dividendos são os que estiveram comprados na MXRF11 até o dia 29 de janeiro.

Segundo o regime de caixa, foram distribuídos 100% dos lucros apurados no mês, de modo que esta distribuição mensal representa 530,90% do CDI, já descontado os impostos, considerando o valor da cota em R$10,08.

A receita do fundo Maxi Renda no mês de janeiro totalizou cerca de R$16,11 milhões, equivalente a 12,23% da receita acumulada dos últimos 12 meses, que é de R$131,68 milhões.

As despesas mensais do fundo chegaram a R$1,51 milhões, cerca de 9,38% do total acumulado dos últimos 12 meses, que é de R$16,12 milhões. Desse modo, o resultado do fluxo financeiro do MXRF11 no mês de janeiro foi de cerca de R$14,60 milhões.

O relatório gerencial ainda apontou uma liquidez média diária na B3 de R$6,22 milhões. O valor patrimonial da cota registrado ao final de janeiro foi de R$10,08 e valor de mercado da cota atingiu R$10,62, como pode ser visto no gráfico a seguir disponibilizado pelo próprio relatório:

MXRF11

Apresentação institucional MRXF11 - Evolução do Valor da Cota e Volume Médio Diário de Negociação

Considerando a rentabilidade do MXRF11, o patrimônio líquido de mercado alcançado no mês de janeiro foi de aproximadamente R$1,94 bilhão, cerca de 22,29% maior que a média dos últimos 12 meses, que foi cerca de R$1,58 bilhão.

No portfólio do Maxi Renda 78,7% é composto por CRI, que leva a maior parte participação em classe de ativos na carteira. Permutas financeiras representam 11,8% desse total, 5,5% é o caixa e 3,9% é investido em FIIs.

MXRF11 - No portfólio do Maxi Renda

Já os ativos-objetos são divididos da seguinte forma nos investimentos da carteira do MXRF11:

  • 33,4% em crédito corporativo;
  • 31,5% em residencial;
  • 29,6% em comercial ;
  • 5,5% em caixa.

MXRF11

A carteira de FIIs do Maxi Renda, que encerrou o saldo em janeiro de R$71,49 milhões, apresenta 87,24% alocado em 2 ativos específicos: 56,24% em XPCI11 e 31,00% em HBRH11. Juntos compõem mais de R$62,3 milhões de montante investido.

Outros 3 FIIs em que o MXRF11 apresenta participação é:

  • KNCR11 com 10,79%;
  • BRCR11 com 1,88%;
  • DMAC11 com 0,09%.

MXRF11

Dos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs), a maior parte da carteira desse segmento está investida em CDI+, com 53% do total.

MXRF11

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Da carteira que inclui CRIs e permutas de forma conjunta, 46% é alocado em CDI+.