Classificação dos Fundos Imobiliários – Guia para investir

Se você está pensando em começar a investir, é muito importante que conheça a classificação dos fundos imobiliários.

A partir dessa informação, vai ficar muito mais fácil fazer o investimento, pois, a classificação dos fundos imobiliários traz definições de grande relevância para o investidor.

Em linhas gerais, podemos definir a classificação dos fundos imobiliários como um detalhamento de informações sobre o investimento, para que facilite a compreensão do investidor, mostrando diferenças, características, objetivos, dentre outras informações que iremos mostrar neste artigo.

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) definiu a classificação dos Fundos Imobiliários em duas etapas: quanto ao objetivo do fundo (Mandato) e quanto ao tipo de gestão.

  1. Mandato – Determina o objetivo do fundo de acordo com a finalidade do investimento
  2. Tipo de gestão – Passiva ou Ativa

Classificação dos fundos imobiliários quanto ao objetivo       Classificação fundos imobiliários

  • Desenvolvimento para renda: Fundos que investem acima de dois terços do seu patrimônio líquido em desenvolvimento/incorporação de empreendimentos imobiliários em fase de projeto ou construção, para fins de geração de renda com locação ou arrendamento.
  • Desenvolvimento para venda: Fundos que investem acima de dois terços do seu patrimônio líquido em desenvolvimento de empreendimentos imobiliários em fase de projeto ou construção, para fins de alienação futura a terceiros.
  • Renda: Fundos que investem acima de dois terços do seu patrimônio líquido em empreendimentos imobiliários construídos, para fins de geração de renda com locação ou arrendamento.
  • Títulos e valores mobiliários: Fundos que investem acima de dois terços do seu patrimônio líquido em título e valores mobiliários como: ações, cotas de sociedades, FIPs e FIDCs.
  • Híbridos: Fundos cuja estratégia de investimento não observa nenhuma concentração das classificações anteriores.

Portanto, para se enquadrar em cada um destes itens, o fundo deve investir dois terços do patrimônio líquido nestes tipos de imóveis.

Para aqueles que investem em mais de um segmento são considerados híbridos e os que não se enquadram nos segmentos citados são considerados “Outros”.

Classificação dos fundos imobiliários quanto à gestão

Classificação fundos imobiliários

A gestão de um fundo é uma função muito importante e que deve ser levada em consideração. Veja quais são os dois segmentos de gestão:

  • Passiva: Fundos que especificam em seus regulamentos o imóvel ou o conjunto de imóveis que comporá sua carteira de investimento ou aqueles que têm por objetivo acompanhar um indicador do setor. A venda de um dos imóveis só pode acontecer com aprovação da assembleia de cotistas.
  • Ativa: Todos os fundos que não seguem os critérios da gestão passiva. Fundos de gestão ativa podem sofrer mudanças durante os anos, sendo possível incluir ou retirar outros ativos, construir novos empreendimentos e mudar os objetivos, alterando de renda para desenvolvimento de renda e assim por diante.

Seus imóveis (ou o patrimônio) não constam no regulamento. Nesse tipo de fundo, eventuais vendas de ativos ficam a critério do gestor.

Logo, podemos entender que o tipo de gestão se refere ao perfil de risco do fundo.

É por isso que um fundo passivo tem objetivo de acompanhar a rentabilidade de um indicador ou setor.

Já um fundo ativo tem objetivos mais elevados, e, portanto, terá que assumir um perfil de risco maior.

Em conclusão, podemos definir a classificação dos fundos imobiliários como uma característica de analise muito relevante, pois os seus conceitos são de grande valor, atribuindo vantagens na hora de escolher um investimento.

Marcos Baroni
Marcos Baroni Especialista em FIIs (Suno Research)

Marcos Baroni é especialista em Fundos Imobiliários. Professor há 20 anos em cursos de Graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos.

Comentários