Direito de subscrição – Veja como obter essa vantagem

Apesar de ainda pouco conhecido, o direito de subscrição é um evento bem comum no mercado de capitais da Bolsa de Valores.

Imagine que um fundo imobiliário deseja aumentar seu capital. Para isso, ele vai emitir novas cotas e seus cotistas atuais ganham o direito de subscrição. Mas como, de fato, esse direito pode ser exercido?

O direito de subscrição é a cota concedida com prioridade aos cotistas. Funciona como um direito de preferência na compra de novas cotas que venham a ser emitidas pelo FII. Dessa forma, o cotista pode impedir que a sua participação seja diluída quando o fundo efetuar um aumento de capital tendo o direito de comprar novas cotas e continuar com o mesmo percentual de participação que possui.

Em outras palavras, as cotas que o fundo imobiliário deseja emitir serão primeiramente oferecidas aos atuais cotistas.

Estes, por sua vez, podem optar por comprá-las para ter o mesmo percentual de cotas no FII ou não.

Em síntese, os direitos são um benefício que o fundo imobiliário confere aos seus investidores.

É muito importante que os cotistas fiquem atentos a esse direito, pois ele garante um preço de compra das novas cotas abaixo da cotação do mercado.

Portanto, basicamente, essa subscrição funciona como uma espécie de direito de preferência na compra de novas cotas.

Como exercer o direito de subscrição

direito de subscrição

Ao anunciar o direito de subscrição de cotas o FII precisa fornecer as seguintes informações aos investidores:

  • Quando o fundo decidiu emitir novas cotas;
  • A data de compra limite de novas cotas;
  • O percentual que o cotista terá o direito de subscrever;
  • O preço das novas cotas;
  • Data em que poderá negociar o direito com terceiros;
  • E a data limite para exercer o direito de subscrição.

Se o cotista desejar exercer o direito de subscrição ele deve expressar a sua vontade de subscrever as cotas e entrar em contato com sua corretora.

Já caso o cotista decida por não comprar novas cotas, ele pode vender o seu direito de compra.

Isso porque o direito de subscrição pode ser negociado na bolsa dentro do seu período de validade.

Algumas vezes o direito não é exercido e gera o que é conhecido no mercado como sobras de subscrição.

Quando isso acontece, o FII oferece novamente o direito de subscrição no mercado para tentar alcançar o montante de cotas subscritas desejado antes de ir ao mercado.

Características de um direito de subscrição

direito de subscrição

As principais variáveis que caracterizam um direito de subscrição são:

  • Proporção de subscrição;
  • Preço de subscrição;
  • Direito a dividendos; e
  • Valor previsto do dividendo.

Proporção de subscrição – Quantos direitos são necessários para subscrever uma cota nova.

Preço de subscrição – Além dos direitos, qual o montante a entregar para subscrever uma cota.

Direito a dividendos – Qual percentagem do dividendo do exercício em curso a que terão direito as cotas novas (se aquela percentagem não for 100%, significa que haverá duas emissões diferentes, até ao pagamento do dividendo).

Dividendo previsto – Quanto é que se prevê que o fundo irá distribuir relativamente a este exercício, para que se possa avaliar qual o valor da percentagem do dividendo a que as cotas novas não terão direito.

Direito de subscrição – Concluindo

Inegavelmente, o direito de subscrição é dado como um benefício para o investidor.

Por este motivo, concluímos que um direito de subscrição pode gerar uma grande vantagem para o cotista. Portanto, não deixe de investir e acompanhe sempre os fundos imobiliários que compõem sua carteira.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Desenvolvedor de conteúdos

Formado em Engenharia de Produção pela FAACZ, com experiência de mais de 5 anos no mercado financeiro do Brasil. Investidor e desenvolvedor de conteúdos sobre o mercado imobiliário, economia e investimentos.

Comentários