Hoje (06) foi publicada no Brazil Journal uma matéria muito interessante contendo uma entrevista com um importante player da indústria de fundos imobiliários.

Vale muito a pena a leitura.

No conteúdo da matéria, foi citado por mais de uma vez o crescimento da indústria de Fiis, e a atual conjuntura que favorece para a continuação dessa evolução.

"O Brasil tem hoje 173 FIIs listados na Bolsa. O valor de mercado desses fundos mais que dobrou: de R$ 25 bilhões em 2015 para R$ 54 bilhões em fevereiro deste ano. Despejados da zona de conforto pela queda da Selic, hoje mais de 285 mil brasileiros investem em fundos imobiliários; há um ano, o número não chegava a 150 mil", ressaltou um trecho da matéria.

"Em 31 de março deste ano subiu para 287 mil e eu acredito que em 30 de junho vai chegar a 350 mil investidores. Ou seja, você vai sair em seis meses de 200 mil para 350 mil investidores", destacou outro trecho da matéria em que o entrevistado exteriorizou a sua opinião pessoal (e a qual concordamos).

Sabemos, contudo, que ainda somos "irrelevantes" quando comparados a mercados maduros, como os Estados Unidos, por exemplo, que hoje conta com uma indústria de REITs, sigla para Real Estate Investment Trusts (que são ativos americanos similares aos nossos fundos imobiliários aqui no Brasil), que passa da casa dos US$ 1,1 trilhão (isso mesmo, de dólares).

Portanto, temos ainda muito a crescer, e o nosso trabalho (e isso inclui você, que também já investe ou simpatiza com os fundos imobiliários) é agir como um porta voz da boa nova e fazer com que a mensagem chegue ao maior número de pessoas possível.

Enxergar grandes portais, como o Brazil Journal, contribuindo para esse processo é muito empolgante, pois mostra que não estamos sozinhos nessa jornada.

Como sempre destacamos por aqui, temos muita dificuldade em encontrar pontos negativos nos investimentos em fundos imobiliários.

Alguém pode argumentar, talvez, que o controle das decisões foge das mãos dos minoritários, e isso seria um ponto negativo da indústria.

Esse posicionamento pode fazer sentido, mas caso algum investidor venha a discordar ou se sentir prejudicado por alguma decisão tomada pela gestão de um fundo imobiliários, nada o impede de se desfazer da sua sociedade vendendo as suas cotas no mercado secundário.

Por isso que sempre ressaltamos aqui a importância da diversificação de uma carteira de investimentos.

Caso uma conjuntura como a citada acima venha a acontecer, os impactos podem ser bem minimizados na ocasião de uma diversificação, não só em fundos imobiliários, mas em outras classes de ativos, como ações nacionais e internacionais, por exemplo.

Seguimos recomendando, também, a nossa já tradicional cartilha, que repetimos quase que diariamente por aqui:

  • Estude bastante;
  • Poupe parte do que ganha com o seu trabalho;
  • Invista em bons fundos imobiliários;
  • Reinvista os dividendos;
  • Repita o processo indefinidamente;

Com o crescimento da indústria – e com a ajuda de grandes portais difundindo a mensagem – temos certeza que a prática dos cinco pontos destacados acima irão contribuir para a sua jornada rumo à independência financeira.

Conte conosco!

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.




Comentários