Você já ouviu falar em fundos cambiais?

É comum que grande parte dos brasileiros ainda tenha certa incompreensão e restrição a respeito desse investimento chamado fundos cambiais.

Fundos cambiais são fundos de investimento abertos que investem em ativos atrelados a moedas estrangeiras. Eles são indicados para proteger os recursos do investidor contra as flutuações de moedas fortes, como dólar e euro. Mas também podem ser usados para lucrar com a variação positiva da moeda.

Neste artigo, vamos explicar o que são fundos cambiais e como funcionam.

O que são fundos cambiais?

fundos cambiais

De um modo geral, o fundo cambial é um tipo de investimento em que o investidor faz aplicações em dólar ou euro e depende de como a moeda se comportará para poder aferir os seus lucros e calcular sua rentabilidade.

O investidor, portanto, beneficia-se do aumento ou disparada em geral da moeda estrangeira e sofre perdas de rentabilidade quando há desvalorização cambial.

Os fundos cambiais investem em títulos relacionados à variação de preços de uma determinada moeda estrangeira ou em taxas de juros, o chamado cupom cambial.

Deverão investir no mínimo 80% do seu patrimônio líquido em ativos que busquem a variação de uma moeda estrangeira.

Os fundos que seguem a variação do dólar são os mais conhecidos.

O principal objetivo desse tipo de fundo é manter o poder de compra em moeda estrangeira, ou acompanhar a variação dessa moeda.

Logo, ele deverá ser feito caso o investidor busque proteção contra a desvalorização do real no médio e longo prazo.

Esses fundos são ótimos para quem tem dívidas em moedas estrangeiras, ou qualquer outro tipo de obrigação de longo prazo no exterior, como:

  • Empresas importadoras
  • Pessoas que mandam dinheiro para a família no exterior
  • Quem planeja fazer um intercâmbio
  • Pretende morar fora do país

Além disso, os fundos cambiais estão sujeitos às oscilações das taxas de juros indexadas, chamadas de cupom cambial.

Como funcionam os fundos cambiais?

fundos cambiais

Diferentemente do que muita gente pensa, os fundos cambiais não são operados nas bolsas de valores e sim por instituições financeiras, que funcionam como administradoras dos ativos do fundo.

Os investimentos podem ser feitos tanto em títulos públicos como em títulos privados, como as debêntures.

Mas, para ser considerado um fundo cambial é preciso que pelo menos 80% dos investimentos sejam feitos em moeda estrangeira.

Os 20% restantes normalmente são aplicados em fundos de renda fixa, garantindo uma leve diminuição dos riscos pela garantia de rentabilidade.

Normalmente, os gestores desses tipos de fundos trabalham através de operações de Swap, compra de derivativos, ou algum outro ativo do gênero.

Assim, de certa forma, protege o capital contra as oscilações do câmbio, que naturalmente ocorrem em qualquer cenário econômico.

Considerações

Um fato importante para destacar acerca desse investimento é que tanto o aporte quanto o resgate do montante principal são feitos em reais.

Também, esse investimento tem a possibilidade de gerar ganhos elevados e a proteção contra a alta da moeda estrangeira em questão.

Em linhas gerais, investir em fundos cambiais é uma boa opção para investidores com um perfil mais agressivo. Apesar de sua rentabilidade, também é preciso considerar os seus riscos, já que a previsibilidade das mudanças cambiais nem sempre é possível.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.

Comentários