Investimentos de curto prazo – Dicas importantes para investir

Os investimentos de curto prazo são essenciais na carteira de qualquer investidor.

Porém, muitas pessoas não conhecem os investimentos de curto prazo e simplesmente deixam o dinheiro parado na poupança ou na conta corrente, sem render juros e perdendo valor mediante a inflação.

Os investimentos de curto prazo podem ser considerados aqueles que possuem um período máximo de até dois anos. No entanto, se a intenção é investir o dinheiro e receber os retornos em pouco tempo, existem dois aspectos que precisam ser considerados que são liquidez e rentabilidade.

Como funcionam os investimentos de Curto Prazo

investimentos de curto prazo

Os investimentos de curto prazo funcionam de acordo com os conceitos básicos de risco e retorno.

Ou seja, se o seu perfil de investidor admitir um pouco de risco, recomenda-se os ativos com ratings menores.

Afinal, todos os ativos recomendados para curto prazo devem ser protegidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Caso o emissor do papel quebre, o investidor recebe todo o seu dinheiro até o valor R$ 250 mil.

Então, tente manter aportes menores que essa quantia em um mesmo banco, levando em consideração a rentabilidade do mesmo no período.

No entanto, esse processo de recuperação pode demorar meses, o que prejudicaria a intenção de ser a curto prazo.

Portanto, verifique todos os riscos e possibilidades de retorno rápido para fazer um negócio que não o deixe desconfortável durante o período.

Por outro lado, se o investidor não precisar do dinheiro no final do prazo, arriscar pode ser uma boa alternativa para garantir uma melhor rentabilidade.

Fatores que melhoram a rentabilidade de um investimento de curto prazo

investimentos de curto prazo

  • Período de aplicação maior
  • Menor liquidez
  • Volume de aporte maior
  • Mais risco envolvido
  • Custos de operação baixos

De modo geral, nem sempre será possível contar com todos os fatores.

Então, a rentabilidade não será tão boa quanto a de ativos de médio e longo prazo que podem ou não envolver mais riscos e recursos.

Assim, grande liquidez, segurança e custos de operação baixos (taxas e tributos) são as principais características de bons investimentos de curto prazo.

Caso não saiba, a maioria dos ativos de curto prazo obedecem à tabela regressiva que tributa 22,5% da sua rentabilidade até seis meses de aplicação e 20% até 1 ano.

É uma boa saída escolher ativos que driblam esse tributo e que diminui a sua rentabilidade.

Claro que existem outros bons produtos de investimentos de curto prazo com tributação, mas eles só valem a pena quando sua rentabilidade supera os impostos.

Nesses casos, é preciso calcular a diferença. É o que ocorre com os CDBs. Geralmente, para valer a pena eles precisam de um retorno mínimo de 100% do CDI.

Investimentos de curto prazo - Considerações

No geral, em investimentos de curto prazo não se deve analisar apenas a rentabilidade, é necessário também se precaver em relação ao risco e à possibilidade de um resgate antes do vencimento.

Esses pontos precisam ser levados em consideração quando se pensa em investir no curto prazo, pois, às vezes, o dinheiro pode ser necessário para algum tipo de emergência financeira.

Marcos Baroni
Marcos Baroni Especialista em FIIs (Suno Research)

Marcos Baroni é especialista em Fundos Imobiliários. Professor há 20 anos em cursos de Graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos.

Comentários