‌O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quinta-feira‌ ‌(4)‌ ‌em queda de -0,36%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.655,40 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ novembro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -0,75%‌ ‌e‌ -7,48%,‌ ‌respectivamente.‌ Confira na tabela abaixo:

Já o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ queda de -0,35%‌ ‌‌e‌‌ ‌96,11 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

TRXF11 mostra resultados e explica impactos positivos em venda de ativo

O fundo imobiliário TRX Real Estate (TRXF11), representado por sua gestora TRX Gestora de Recursos, comunicou nesta última quinta-feira (4) os resultados de outubro. Somado a isso, a gestão também explicou sobre a venda de ativo e os impactos para o fundo.

A gestora informou a distribuição de R$ 0,77 por cota, valor que representa um dividend yield anualizado de 9,24%. Confira abaixo:

TRXF11

Da mesma forma, a gestão falou sobre as distribuições por direito de subscrição da 5ª Emissão de Cotas do fundo, sendo R$ 0,41 por direito de subscrição com código TRXF13 e TRXF14. 

Os impactos de venda de ativo

O fundo lembrou aos cotistas que conseguiu vender o imóvel que estava ocupado pela Camil. Desta forma, o ativo não chegou a ficar vago, o que trouxe impactos positivos para a receita do TRXF11: 

  • Os custos de manutenção do imóvel estimados em R$ 0,02 por cota ao mês deixaram de existir; 
  • A Camil pagará a multa por rescisão antecipada no valor equivalente a R$ 0,76 por cota em 2 parcelas
  • O valor recebido pela venda do imóvel passa a ser remunerado pelo investimento

Por esses motivos, a gestão do TRXF11 decidiu pelo aumento da distribuição para R$ 0,77, ainda de forma conservadora, mantendo este patamar para os próximos meses. 

Ainda sobre a venda do ativo, o fundo arrecadou R$ 55 milhões com a alienação do imóvel, sendo que o TRXF11 recebeu R$ 43 milhões à vista. O restante, R$ 12 milhões, será recebido pelo fundo em 12 parcelas mensais de R$ 1 milhão.

Abaixo, a gestão mostra os ganhos após a venda do imóvel: 

TRXF11

A gestora acredita que a venda do imóvel melhora consideravelmente vários indicadores do Fundo, com destaque para: 

  • Aumento do prazo médio dos vencimentos dos contratos de locação; 
  • Melhora considerável dos indicadores da estrutura de capital do TRXF11, já que reforça o caixa para o pagamento das amortizações das securitizações; 
  • Zera a Vacância Projetada, sendo que o primeiro vencimento de contrato de locação está programado apenas para 2030; 
  • Reciclagem dos recursos com a venda do 1º imóvel adquirido pelo TRXF11, em outubro de 2019, com um expressivo retorno de 28,51% no período de investimento. 

A gestão reforça que o TRXF11 possui hoje um portfólio de 46 imóveis, dos quais 45 lojas de varejo “Big Box”, espalhadas por 12 estados e mais de 30 cidades brasileiras, e 1 galpão logístico localizado na região metropolitana de Fortaleza/CE, somando no total uma ABL de 395.900,68 m² e uma área de terreno de 687.165,61 m². 

Por fim, a gestão ressaltou que as securitizações que foram realizadas, no geral, melhoram os resultados dos investidores de forma saudável, sem criar pressões de curto prazo. 

O TRX Real Estate é um fundo de investimento imobiliário com foco na distribuição de renda e dividendos aos seus cotistas através de uma gestão ativa que busca maximizar seu retorno por meio da aquisição, do desenvolvimento e da venda de imóveis locados preferencialmente para grandes empresas com contratos de longo prazo.

XPPR11 aluga imóvel para empresa de tecnologia

A XP Vista Asset, gestora do XP Properties FII (XPPR11), comunicou nesta quinta-feira (4) aos seus cotistas, a assinatura de contrato de locação de um dos seus ativos.

O fundo celebrou o Contrato de Locação com a Telefônica IOT, empresa de serviços e soluções em internet das coisas (IoT), big data e tecnologia da informação. 

O ativo alugado pela empresa é relativo às unidades 101 e 102 (equivalente à metade do 1º andar) (Conjuntos 101 e 102) do Condomínio Empresarial Iguatemi Alphaville (“Edifício Itower”), localizado em Barueri/SP. 

O prazo de vigência da locação é de 58 meses a partir de 01/10/2021. A receita acumulada bruta do Contrato, considerando a soma dos recebíveis relativos aos 24 primeiros meses de vigência, é estimada em R$ 0,1316 por cota. 

A receita mensal bruta decorrente do aluguel nominal do Contrato a partir do 25º mês, sem considerar a correção inflacionária prevista no Contrato, é estimada em R$ 0,0060 por cota. 

Os cálculos foram realizados considerando a quantidade atual de cotas do Fundo em circulação. 

A gestora destacou que o Contrato irá reduzir em 1,26 p.p. a vacância atual do XPPR11, considerando o último Relatório Gerencial divulgado na CVM. 

Cabe ressaltar que os valores acima não são garantia de rentabilidade e que o XPPR11 poderá realizar uma retenção de até 5% dos lucros auferidos no semestre e apurados em base caixa, conforme previsto na regulamentação em vigor. 

O XP Properties FII (XPPR11) é um fundo imobiliário do tipo tijolo, com objetivo de rentabilizar na aquisição e exploração comercial de empreendimentos preponderantemente na área de lajes corporativas, educação e hospitais.