‌‌‌O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ quinta-feira‌‌‌ ‌‌‌(07)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ alta ‌‌de 0,05%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.805 ‌pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ março ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌0,91%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ 0,01%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌Em resumo, ‌‌‌ RECR11 mostra aumento de dividendos e VINO11 afirma ter o melhor retorno entre fundos de escritório. 

Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

VINO11 supera os FIIs de lajes corporativas, diz gestora 

A Vinci Real Estate, gestora do Vinci Office FII (VINO11), comunicou na última quinta-feira (07), que seus resultados e rentabilidade estão acima dos fundos do segmento de lajes corporativas. 

A gestora divulgou resultado de março, que foi de R$ 6.08 milhões. Esse valor  equivale a R$ 0,37 por cota. 

Em relação aos rendimentos, o fundo VINO11 distribuirá neste mês o valor de R$ 0,34/cota, fechando o mês com uma reserva de resultado não distribuído de R$ 8.6 milhões ou R$ 0,52/cota. Nas contas da gestora, o dividendo médio mensal a ser distribuído, até junho deste ano, estará entre R$ 0,32 e R$ 0,36/cota. Confira:

VINO11

É o melhor FII de Lajes Corporativas? Veja o que disse a gestora

A gestora disse que, devida a consistência de geração de resultado do fundo, o dividend yield do fundo sobre a cota patrimonial é 7,5%, ou seja, 1,5 pontos percentuais acima da média dos outros fundos de lajes corporativas

Desta forma, a gestora acredita que a consistência dos rendimentos juntamente com a qualidade do portfólio do fundo, poderão contribuir com a melhora performance da cota no mercado secundário. No momento, as cotas do VINO11 seguem com desconto de 10% abaixo do valor patrimonial. 

Atualmente, o aluguel médio/m² referente aos contratos típicos do portfólio do VINO11, apresenta um desconto de 15% em relação à média de mercado. Em contrapartida, a taxa de ocupação média dos seus ativos é maior que seus pares do setor. Confira abaixo:

VINO11

O Vinci Office FII é um fundo imobiliário do tipo tijolo. Seus investimentos são focados em propriedades comercias do segmento de escritórios.

RECR11‌: fundo imobiliário aumenta dividendos. Veja o valor

A‌ ‌gestora‌ ‌do‌ ‌‌FII‌ ‌REC‌ ‌Recebíveis‌ ‌Imobiliários‌ ‌(RECR11)‌,‌ ‌detalhou‌ ‌em‌ ‌‌relatório‌ ‌gerencial‌ ‌divulgado‌ ‌na‌ ‌última‌ quinta-feira‌ ‌(7),‌ ‌os‌ ‌resultados‌ ‌do‌ ‌fundo‌ ‌referente‌ ‌ao‌ ‌mês‌ ‌de março.‌ Também,‌ ‌a‌ ‌‌Real‌ ‌Estate‌ ‌Capital‌ mostrou o aumento nos rendimentos do fundo, além de mostrar investimentos. 

Em relação aos resultados do mês de março, o RECR11 distribuirá R$33.186.230, o equivalente a R$ 1,36 por cota. O fundo fechou o mês com 96,4% de seus recursos alocados em CRIs, distribuídos em 82 operações. 

Nos meses de fevereiro e março, o RECR11 distribuiu respectivamente, o valor de R$1,05 e R$1,19 por cota. Confira abaixo a rentabilidade mensal do fundo, mostrando que referente a março, o rendimento ficou acima da média:

RECR11

No acumulado dos últimos 12 meses, a distribuição de rendimentos do RECR11 corresponde a 14,1% a.a., ou o equivalente a 219% do CDI. 

Em março, o fundo fez vários investimentos em CRIs, além de aproveita a oferta do SNCI11 e fazer uma operação de "flipagem". O RECR11 comprou cotas do fundo na emissão e vendeu no mercado secundário, com ganho de capital. 

Além disso, o fundo também realizou lucros com vendas de CRIs e também investiu em operações compromissadas. 

Emissão de cotas

Foi aprovada em 05 de abril de 2022, a realização da 12ª emissão de novas cotas do RECR11, destinada exclusivamente aos cotistas. 

O valor total da oferta é de R$ 249.999.960,00, com 2.551.020 novas cotas. Desta forma, o preço por Nova Cota será de R$ 98,00. Por fim, a gestora divulgou o pipeline da destinação dos recursos da oferta. 

O FII REC Recebíveis Imobiliários é um fundo imobiliário do tipo papel com foco na gestão ativa de ativos de renda fixa com preponderância em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs).