O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ terça-feira‌‌‌ ‌‌‌(12)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ queda de 0,23%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.780 pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ julho ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ -0,54 ‌‌‌e‌‌‌ -0,87%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌

Em resumo, GGRC11 explica dividendos maiores e pendências judiciais com inquilino, enquanto o KISU11 mostra dividend yield recorde. 

Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

GGRC11 distribui maiores resultados em meio a disputa judicial com locatária

A Zagros Capital, administradora do fundo GGR Copevi Renda (GGRC11), informou aos cotistas nesta última terça-feira (12) sobre os resultados e rendimentos de junho, que foram maiores. Além disso, a gestora detalhou sobre os processos judiciais que o fundo está envolvido e a ordem de despejo contra locatária que está inadimplente com os aluguéis.

Os dividendos do GGRC11 seguem cada vez maiores, com a distribuição de R$0,94/cota. Esse valor equivale a um yield de 0,87% no mês (10,42% anualizado), com base na cota de fechamento de junho/22 (R$108,27). Esse é o quarto aumento de rendimento em 2022. 

Mesmo assim, o fundo segue com pendências judiciais com sua locatária, a Covolan. O fundo entrou com uma ação de despejo para retomar o imóvel. A ação foi negada na 1ª instância, “pois segundo a decisão proferida no dia 05/07/2022 não há elementos que fundamentem a urgência para esta decisão”, disse a gestora. 

Além disso, o fundo conseguiu na justiça a penhora de parte das indenizações que cabem em até R$ 5,3 milhões do seguro por causa do incêndio que atingiu o imóvel alugado pela empresa, no mês de fevereiro.

A gestora comenta que atualmente o processo encontra-se em fase de emissão do mandado de citação. A Covolan assim que citada tem a possibilidade de purgar a mora em 15 dias para evitar a decretação do despejo.  

O GGR Copevi Renda tem como objetivo a realização de investimentos em imóveis comerciais, predominantemente no segmento industrial e logístico, com a finalidade de locação atípica ou venda. 

KISU11 paga maior dividendo do ano, com caixa para novos aumentos

A gestão do fundo Kilima FIC de FII SUNO30 (KISU11) detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado terça-feira (12), que o fundo está com uma crescente de dividendos, aumentando sua distribuição nos últimos meses. Além disso, a gestora do fundo diz que ainda tem espaço para novos aumentos. 

Os dividendos do KISU11 referentes ao mês de junho são de R$ 0,10/cota, representando um dividend yield de 15,73% a.a. sobre a cota de fechamento do mês.

O aumento significativo em relação aos meses anteriores veio tanto pelo carregamento da carteira, mas principalmente pelo lucro represado ao longo do semestre que foi distribuído no fechamento, explica a gestora. 

No entanto, a crescente dos dividendos pode continuar. A gestão do KISU11 destaca que, mesmo que grande parte da reserva de resultados tenha sido distribuído, “ainda restam lucros represados no caixa para distribuições futuras”.

O KISU11 é um FII (fundo de fundos) que tem por objetivo seguir a carteira teórica do índice de referência SUNO 30 FII. O Kilima FIC de FII possui patrimônio líquido de R$330 milhões e tem aproximadamente 66.750 cotistas.