O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(15)‌ ‌em alta de 0,27%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.676,14 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ dezembro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 3,79%‌ ‌e‌ -6,75%,‌ ‌respectivamente.‌  

Já o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ queda de -0,30%‌ ‌‌e‌‌ ‌102,84 pontos.‌‌ ‌‌Confira na tabela abaixo:

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

LVBI11 mostra vacância financeira zerada e informa resultados

A‌ VBI Estate Gestão de Carteiras,‌ ‌gestora‌ ‌do‌‌ FII VBI LOG (LVBI11),‌ ‌comunicou‌ ‌nesta‌ quarta-feira ‌(15)‌ os resultados do mês de novembro. Também, a VBI Estate deu detalhes sobre a gestão dos ativos do fundo, com destaque à sua vacância financeira de 0%.

Em relação aos resultados, o fundo distribuiu de rendimentos o equivalente a R$ 0,70 cota, pagos no dia 7 de dezembro. A gestão disse que a distribuição é fruto de um resultado de R$ 0,71/cota do LVBI11, mas a gestão reteve R$ 0,01 por cota para composição de reserva. 

Confira os resultados abaixo:

LVBI11

A distribuição representa um dividend yield de 9,7% sobre o preço de fechamento das cotas no mercado secundário (R$ 86,93) em 30/11. 

Durante o mês de novembro, a gestão destacou que não houve movimentações na carteira de locatários. Por isso, a taxa de vacância física do fundo permanece em 2,3% e taxa de vacância financeira de 0%. 

Na verdade, uma vez que os únicos espaços vagos do portfólio são os quatro módulos do ativo Aratu, eles não impactam financeiramente o LVBI11, pois foi negociado um rendimento preferencial mínimo até maio de 2023 junto ao vendedor do ativo. 

Obras no portfólio do fundo

No ativo Araucária, o fundo prossegue com as obras referentes a execução do novo pátio de estacionamento de caminhões. Esse foi um acordo previsto no contrato de locação com a Magalu. 

Já no ativo Aratu, as obras do Galpão G02 estão em andamento e atingiram ao final do mês de novembro 53% de evolução física, frisou a gestora. 

No Ativo Cajamar, as obras, que devem ser concluídas no 2º trimestre de 2022, seguem conforme o cronograma esperado e atingiram 43% de conclusão. 

Por fim, as obras de expansão no Ativo Betim seguem segundo o cronograma previsto e ao final do mês atingiram 21% de conclusão. 

O FII VBI LOG tem como objetivo a obtenção de renda e ganho de capital por meio de, no mínimo, dois terços do seu patrimônio líquido investido em imóveis ou direitos reais sobre imóveis do segmento logístico ou industrial, bem como indiretamente, através de ações ou cotas de sociedades de propósito específico, cotas de FIIs.

SNCI11 divulga novas aquisições e informa resultados do mês

A Suno Asset, gestora do novo fundo imobiliário Suno Recebíveis Imobiliários FII (SNCI11) informou nesta última quarta-feira (15), os resultados e rendimentos do mês de novembro. Como complemento, a gestão comentou as operações no mercado de CRIs.

Em relação aos resultados do mês, o fundo distribuirá o valor de R$1,20 por cota, o que corresponde a um dividend yield anualizado de 15,41%. Confira abaixo:

SNCI11

Alocação de recursos

O fundo prosseguiu o processo de alocação com a dinâmica de chamadas de capital. No primeiro dia do mês foram liquidados os CRIs Ibirapitanga 1, 2 e 3. 

A gestão disse que esses CRIs foram emitidos para financiar as obras do condomínio Reserva Ibirapitanga, empreendimento que possui 3 fases totalmente concluídas, sendo que as duas primeiras já estão com praticamente 100% de vendidas. 

Os três CRIs somados totalizam R$ 14,1 milhões, possuem remuneração de IPCA + 12,00% a.a. 

A gestão lembrou que no dia 16 de novembro, o SNCI11 realizou a 5ª chamada de capital, com o intuito de alocar as 311.000 novas cotas em 2 operações que estavam em fase final de estruturação. 

A nova operação liquidada é um CRI de desenvolvimento residencial da construtora RDR, uma operação que foi totalmente estruturada pelo time de gestão da SUNO com o objetivo de financiar as obras de um empreendimento da construtora no centro da cidade de Itu – SP. 

O CRI possui remuneração de IPCA + 12,00% a.a., amortização via cash sweep, pagamento de juros mensal e prazo total de 36 meses. O volume total da operação é de R$ 22,7 milhões, que será liquidado em três parcelas. 

A outra operação que iríamos investir no mês de novembro é um CRI de perfil contratual, para financiamento de projetos de geração distribuída de energia solar em Minas Gerais. 

Perfil do fundo

Com essas novas operações, a gestão afirma que o SNCI11 se aproxima cada vez mais do portfólio idealizado pelo time de gestão em níveis de risco e yield. Confira abaixo:

SNCI11

Para explicar o perfil do portfólio do fundo, a gestão disse que a carteira possui 28% dos seus ativos com perfil pulverizado, 23% com perfil contratual e 49% com perfil corporativo. 

Quanto ao indexador, 80% da carteira está em IPCA, 13% em CDI e 7% em IGPM. 

O fundo imobiliário Suno Recebíveis Imobiliários a geração de renda por meio de recebíveis imobiliários e outros ativos de renda fixa. De acordo com o estudo de viabilidade do fundo, a rentabilidade líquida esperada é 10,50% a.a.

SNFF11‌ informa resultados e explica investimentos

A‌ ‌‌Suno‌ ‌Asset‌,‌ ‌gestora‌ ‌do‌ ‌‌Suno‌ ‌Fundo‌ ‌de‌ ‌Fundos‌ ‌(SNFF11)‌,‌ ‌informou‌ ‌nesta‌ ‌última‌ ‌quarta-feira‌ ‌(15)‌ ‌os‌ ‌resultados‌ ‌e‌ ‌rendimento‌s ‌referentes‌ ‌ao‌ ‌mês‌ ‌de‌ novembro.‌ ‌Da mesma forma,‌ ‌a‌ ‌gestão‌ divulgou as operações realizadas no período. 

Sobre os resultados de novembro, o fundo distribuirá o montante de R$0,70 por cota. Isso corresponde a um dividend yield de 0,82% ao mês e 9,88% no ano. Também, o fundo acumulou uma reserva em caixa equivalente a R$0,11 por cota. 

A gestão destacou que o SNFF11 segue superando as expectativas do seu estudo de viabilidade, que até então previa um dividendo de R$0,45 neste mês. Confira abaixo:

SNFF11

A Suno Asset destacou que o cenário para o mercado de FIIs segue com muitos desafios, mas descartou qualquer possibilidade de novas emissões de cotas no momento. Na visão da gestora, emitir novas cotas abaixo do Valor Patrimonial é algo prejudicial aos cotistas.

Operações mais importantes

Em novembro, o fundo vendeu cotas do RECR11 com foco no ganho de capital. A exposição no ativo continua grande, mas a gestora disse que aproveitará novas oportunidades de ganho por meio desse fundo.

Da mesma forma, o SNFF11 vendeu cotas do HCTR11, por meio de operação de arbitragem. O fundo entrou na 11ª emissão do FII da Hectare com preço mais baixo que as cotas que já possuía. Por isso, o SNFF11 liquidou parte das cotas com lucro. 

Como consequência dessas movimentações, o SNFF11 aproveitou para entrar em novas ofertas, neste caso, do IRDM11 e APTO11. Veja abaixo:

SNFF11

Por fim, o fundo também aumentou sua posição no outro FII gerido pela Suno Asset, o SNCI11.  

O Suno Fundo de Fundos tem como objetivo investir em cotas de outros fundos de investimento imobiliário e, complementarmente, em ativos ligados ao setor, podendo ser  em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs); letras hipotecárias (LH), letras de crédito imobiliário (LCI) e outros ativos de renda fixa.